24/07/20 - 07:43:12

Moradores da Mangabeiras aprovam logística da Prefeitura para realocação das famílias

A Prefeitura de Aracaju continua nesta quinta-feira, 23, com as realocações das 838 famílias da Ocupação Mangabeiras, localizada no bairro 17 de Março. A logística, que teve início na segunda-feira (20), e deve ser finalizada na sexta, dia 24, consiste em realizar toda a mudança das famílias, inclusive, com a ajuda de 15 caminhões baú para transportar móveis e pertences, além de conduzi-las, confortavelmente, até as casas de aluguel, previamente articuladas por elas e garantidas pela Secretaria Municipal da Assistência Social, por meio de auxílio-moradia.

A logística está sendo possível graças à sensibilidade da gestão municipal que, estrategicamente, planejou a construção de um novo complexo habitacional na localidade, batizado de “Irmã Dulce dos Pobres”, sem deixar de promover a realocação, de forma decente e segura, dessas pessoas para lares provisórios, até que as chaves das tão sonhadas casas próprias sejam, enfim, entregues.

E essa sensibilidade passa pelo apoio de mais de 300 profissionais das secretarias municipais da Assistência Social, da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), através da Guarda Municipal de Aracaju e Defesa Civil, e das empresas municipais de Obras e Urbanização (Emurb) e de Serviços Urbanos (Emsurb).

Reconhecimento

Quem tem autoridade para falar sobre o assunto são os próprios moradores, que se dizem “satisfeitos” e “agradecidos” pela atenção individual nesse momento de mudança radical de vida, como ratifica, emocionada, a diarista Maria Rodrigues, de 59 anos, a qual mora na Ocupação das Mangabeiras há quase sete anos, na companhia do esposo e um neto.

“As dificuldades acabaram. O choro é de alegria. Foi muito gratificante receber a notícia de sair daqui e ir para um lugar melhor. Foi gratificante porque passamos por muito sofrimento. Agradeço ao prefeito Edvaldo Nogueira por tirar a gente dessa lama, desse sofrimento. Estamos recebendo todo o apoio da Prefeitura para a mudança. Essas lágrimas são de alegria. Agradeço muito. O trabalho está sendo bem feito. Todos são atenciosos e organizados”, relata dona Maria, ao revelar que alugou uma casa, com o auxílio moradia, no bairro Santa Maria.

Outra moradora que está feliz da vida e aprova a logística adotada para a realocação das famílias é a dona de casa Andreína Rodrigues Carvalho, 37, que reside a cerca de  sete anos na Ocupação com dois filhos e um neto.

“Recebi todo o apoio. Estou adorando e não tenho o que falar, graças a Deus. Quando recebi a notícia que ia sair daqui foi uma bênção. Passamos por muito sofrimento aqui, muita chuva, perdi tudo que tinha, várias vezes. Hoje mesmo só tenho cama de dormir. Mas estou muito feliz por ganhar minha casa para morar com meus filhos e netos. Depois que soube que a gente ia pro auxílio, antes de ir para a casa própria, foi uma grande felicidade. Nunca tive casa de verdade”, afirma, com a voz embargada, mas de gratidão.

Durante a ação de realocação, era difícil não encontrar morador que não estivesse emocionado. E Fernanda Crislaine da Silva, 28, que há seis anos reside nas Mangabeiras com os três filhos, é mais uma delas.”Estou muito emocionada porque a gente não acreditava que ia sair. Se não fosse a ação da Prefeitura, a gente não iria conseguir. Enfrentávamos muitas dificuldades, como lama, chuva, até mesmo ação de marginais. Daqui para frente será melhor, porque sair do barraco já é uma vitória. É o primeiro passo para realizar o sonho da casa própria”, disse, vertendo em lágrimas.

O servente de pedreiro Florismundo da Silva, 34, morava sozinho há seis anos na Ocupação. Assim como os demais ocupantes, ele relata que o trabalho da Prefeitura está sendo executado, principalmente, com respeito. “O trabalho está sendo bom demais, era o que estava esperando e estou feliz por ser beneficiado. É a realização do meu sonho, porque as coisas não estão de brincadeira. Estou recomeçando a minha vida”, diz.

O projeto

O projeto é uma idealização da Prefeitura de Aracaju, capitaneado pelo governo Federal, para construção de 1.102 habitações do novo complexo, batizado de ‘Irmã Dulce dos Pobres’, num investimento total de R$ 124,6 milhões, recursos oriundos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), sendo R$ 116,7 milhões do financiamento e R$ 7,9 milhões de contrapartida do município.

O complexo habitacional está localizado envolto à reserva ambiental das mangabeiras, árvore símbolo do estado de Sergipe, e que será preservada e utilizada como uma reserva extrativista.

Fonte e foto AAN