04/08/20 - 16:00:33

PMA AVERIGUA CUMPRIMENTO DE REGRAS DE BIOSSEGURANÇA EM SALÕES DE BELEZA

Em continuidade ao cronograma de ações de fiscalizações para averiguação das medidas de biossegurança nos estabelecimentos comerciais, previstas nos decretos do governo estadual e municipal, a Prefeitura de Aracaju, visitou, nesta terça-feira, 4, salões de beleza. A ação, desenvolvida de forma integrada pelos órgãos operacionais da Secretaria da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), visa ainda esclarecer dúvidas e reforçar orientações aos fornecedores de serviços da capital.

O empresário Paulo Monteiro, proprietário de um salão de beleza infantil, avalia que a visita dos órgãos ajuda bastante para reforçar e intensificar as medidas preventivas contra o coronavírus. “Essa visita, com as orientações, reforça a importância do esforço de todos os empresários e de toda a comunidade, nesse momento pelo qual o país está passando”, afirmou ao acrescentar que a ação proporciona sensação de segurança, também, aos clientes. “É bom saber que nossos clientes se sentem seguros. Observam que as equipes vêm aqui e que nosso esforço está valendo a pena”, frisa.

Esses são fatores levados em consideração pelo consumidor e empresário Roberto Luft, que aponta a segurança como fator primordial para ingressar em um estabelecimento com as crianças. “Elas passaram três meses em casa. Quando começamos a tirá-las da residência, nós nos preocupamos com o ambiente onde elas estarão. Só frequentaremos os lugares em que possam estar seguras”, diz.

Segundo o coordenador da Defesa Civil de Aracaju, major Sílvio Prado, há determinações específicas para salões de beleza. “Por exemplo, a cada uma hora é preciso deixar portas e janelas abertas para manter o ambiente arejado, realizar a limpeza constante dos filtros de ar-condicionado, limpezas de superfícies, higienização de cadeiras e materiais após a utilização pelo cliente, além das demais orientações sobre disponibilização de produtos eficazes para higienização das mãos, utilização de máscaras, distanciamento social e controle da lotação do espaço”, explica Sílvio Prado.

O coordenador do Procon Aracaju, Igor Lopes, ressalta que além das determinações previstas nos decretos do poder executivo, o órgão atua levando em consideração as previsões do Código de Defesa do Consumidor (CDC), sobretudo do Art. 6º, o qual está relacionado ao direito à saúde e direito à segurança do consumidor.

“Todas as orientações são repassadas, inclusive com a expedição de notificação por escrito, aos fornecedores, sobre as disposições. No entanto, aqueles consumidores que ainda assim visualizarem a situação de descumprimento das medidas, que possam lesar seus interesses, podem acionar os órgãos de proteção, a exemplo do Procon Aracaju”, orienta o coordenador.

Para entrar em contato com o órgão são disponibilizados o SAC 151 e o telefone 3179-6040, que funciona em dias úteis, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Estratégias reforçadas

“Há grande adesão por parte da maioria dos fornecedores. Ficamos muito satisfeitos com isso, até porque as normas que são repassadas são de segurança comum, tanto para clientes que irão utilizar o serviço quanto para colaboradores e para o proprietário. Nesse sentido, notamos que há, sim, um engajamento. Somente dessa forma, intensificando essas orientações, vamos conseguir ter êxito no combate à proliferação da covid-19”, avalia Igor Lopes.

Esse engajamento é evidenciado nas condutas indicadas pela gerente comercial de mais um dos estabelecimentos visitados nesta terça, Débora Figueroa. Ela garante que o empreendimento não mediu esforços para implementar medidas de segurança. No local, há disponibilização de álcool 70%, atendimento com horário agendado e máscaras e viseiras, para os clientes.

“Realizamos muitas adaptações e redobramos os cuidados, por atendermos o público infantil. Mesmo com a liberação por parte do governo, reduzimos a quantidade de dias de atendimento. Isso ocorre para a segurança dos nossos colaboradores e também dos nossos clientes”, destaca a gerente.

Outras medidas, somadas com as determinações previstas nos decretos do poder executivo, também contribuem para ampliar os cuidados contra a propagação do vírus. “Fazemos toda a higienização do local. Os brinquedos instalados na loja estão interditados e há orientação para que os pais levem os brinquedos de casa”, acrescenta Débora Figueroa. Ela também reforça a contribuição das orientações passadas pelas equipes, durante a fiscalização. “A contribuição é muito boa. A gente lê as orientações no decreto, mas eles nos dão o suporte sobre como aprimorar , para que possamos atender nossos cliente de maneira mais segura”, avaliou.