07/08/20 - 13:18:41

“Falta transparência porque falta gestão”, critica Márcio Macêdo

Petista analisou dados de pesquisas que posicionam Aracaju nas colocações mais baixas na transparência de informações sobre a covid-19

Pesquisas de duas organizações internacionais colocam a capital sergipana em uma situação delicada quando se fala em transparência de informações sobre a pandemia. Os levantamentos, divulgados esta semana, pela Transparência Internacional Brasil e a Open Knowledge Brasil (OKBR), revelam que a cidade está entre as piores capitais brasileiras.

Aracaju figura na 22ª colocação em transparência quando o assunto é covid-19, segundo pesquisa da organização não-governamental Transparência Internacional, com dados até o dia 31 de julho. O estudo aponta que a capital sergipana ficou atrás apenas de Belém (PA), Porto Velho (RO) e São Luís (MA) neste quesito.

Já a Open Knowledge Brasil (OKBR), que é uma organização nacional apartidária, sem fins lucrativos, realizou um estudo mais detalhado, apontando os índices totais. Neste, divulgado na última quinta-feira, 06, a capital ficou em último no lugar no ranking da transparência sobre a covid-19. Ficando com 18 pontos, numa análise de 0 a 100. A colocação aracajuana fez a cidade ser classificada como “Nível Opaco”, destinado aos municípios que pontuaram entre 0 a 19.

Os dados, embora preocupantes, não surpreendem o pré-candidato a prefeito, Márcio Macêdo (PT), tendo em vista que, conforme ele vem apresentando à sociedade aracajuana, a Prefeitura recebeu recursos altos para o enfrentamento da pandemia e ações voltadas à assistência social. “Esses dados me deixam muito triste, mas não trazem surpresa. Infelizmente, a gestão municipal tem sido completamente inerte às necessidades que a pandemia impõe. A Prefeitura já recebeu R$ 76,5 milhões para serem usados em ações de enfrentamento à covid-19 e, também, de assistência social. Mas ninguém vê nada. Não tem UTI, respirador. Não tem EPI’s para a equipe. O povo está morrendo e a gestão, com dinheiro em caixa, não age. Não há informações sobre o recurso, não há ações concretas. Veja, somente R$ 17 milhões do orçamento para a covid-19 foram usados. O que foi feito com o restante? É preciso transparência”, afirmou.

Ele faz duras críticas a condição que a cidade chegou e acredita que Aracaju está nesse patamar devido à falta de olhar humano por parte da gestão. “Cidades como João Pessoa, Maceió e Natal, todas do Nordeste, se classificaram entre os três melhores índices do Brasil. E Aracaju lá embaixo. Afundada nas últimas posições do ranking. Isso tem acontecido porque vivemos em uma cidade onde prefeito voltou as atenções para os interesses individuais. Não pensa no povo, mas tão somente naqueles que o rodeia. Por isso ele acabou com o orçamento e planejamento participativos. Porque ele não acredita em uma gestão em que o controle esteja na gestão pública. E o resultado disso tudo está aí, nesses números. Falta transparência porque falta gestão”, apontou.

Fonte e foto assessoria