18/08/20 - 00:01:38

Política sem disputa ideológica

Diógenes Brayner [email protected]

Governador Belivaldo Chagas (PSD) demonstrou altruísmo, ontem, em pronunciamento que fez durante inauguração da termoelétrica, na Barra dos Coqueiros. Disse que desceu do palanque com o resultado final das eleições, em 2018, e que agora está ao lado de Sergipe. Deixou claro que, independente de questões políticas ou de sentimentos ideológicos, primeiro vem o trabalho por um Estado melhor para todos, independente de quem esteja integrado a esse processo de expansão da sua gente e dos interesses para o desenvolvimento econômico e social.

Vive-se em um momento muito difícil, de grande dificuldade, enfrentando uma pandemia que fez mortos, deixou doentes e desempregados, quase derruba a economia e expõe dificuldades para recuperação. O aconselhável é que se deixe de lado qualquer ripo de birra ou divergência política, em benefício de um povo que votou contra e a favor dele e do próprio Jair Bolsonaro (sem partido). Dispensando um tratamento próprio a autoridades como um presidente da República, Belivaldo Chagas esteve ao lado dele como um cidadão que cuida do Brasil, assim como ele próprio tem que cuidar de Sergipe.

Quanto a cuidar bem ou mal, a sociedade que os julgue no próximo pleito.

Essa é uma visão política que se pode chamar de avançada, aberta, transparente. Os adversários políticos de campanha começam a navegar no mesmo barco, quando os palanques são desarmados e se divulga o resultado da vontade popular. A partir daí, todos devem se unir em benefício da população e não manter um comportamento hostil, apenas para fortalecer ideologias que provoquem distinções entre os que pensam diferentes. Em seu pronunciamento, Belivaldo Chagas pôs Sergipe à frente e agradeceu o apoio que recebeu do Governo Federal durante todo o tormento da pandemia, incluindo o Ministério da Saúde, o da Economia e outros segmentos importantes do Planalto, que ainda ajudam o Estado a superar consequências graves da Covid-19.

Além disso, dentro de uma visão ampla das diferenças regionais, Estados menores da região Nordeste, não podem se dar à soberba de ser adversários do Palácio do Planalto e passarem por necessidades que podem ser solucionadas, através de um relacionamento que não crie dificuldades para o diálogo e solução em favor de sua gente. Já aconteceu isso em Governos anteriores e em nada Sergipe saiu ganhando. Caprichos políticos impediam o entendimento cordial e pacífico, que superasse rancores provenientes de sentimentos ideológicos facilmente superáveis, dentro de uma avaliação de importância das necessidade de sua gente.

As portas da convivência política devem sempre ser mantidas abertas, até que se tenha à frente outra disputa eleitoral, onde cada um monta seu palanque e instala suas divergências ocasionais. Será esse, sempre, o melhor caminho para quem faz política sem ranços e sempre em defesa do povo.

Chapéu de couro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), imediatamente após sair do saguão do aeroporto, em Aracaju, colocou um chapéu de couro à cabeça.

*** Foi aplaudido por centenas de apoiadores, a maioria vestida de verde-amarelo, que gritava: “Puta que pariu, é o melhor presidente do Brasil!”

*** E mais gritos: “eu, vim de graça!” Uma indireta às informações que a esquerda dava transporte e distribuía pão com mortadela a quem ia às manifestações de Lula.

Pronta para o embate

Não houve surpresa na chegada de Bolsonaro a Aracaju. Desde quando foi anunciada sua vinda, que os grupos bolsonaristas se organizam para recebê-lo e o fez com total fidelidade.

*** Um fato causou preocupação aos militantes de esquerda: “a direita tornou-se ideológica, organizada e se mostra pronta para o embate”.

Ameaça receber Lula

Em um círculo de seguidores, um deles gritou de forma agressiva: “se Lula vier a Aracaju nós todos vamos recebê-lo”. E emendou: “mas de forma diferente”, foi aplaudido.

*** O pessoal demonstra “fanatismo” e setores da esquerda têm dito que o ex-presidente Lula virá a Aracaju para dar apoio ao pré-candidato a prefeito pelo PT.

Gritos contra Alessandro

Os apoiadores de Bolsonaro gritaram palavras de ordem contra o senador Alessandro Vieira (Cidadania), que esteve na recepção ao presidente.

*** Ele foi recebido aos gritos de “traidor”. O senador sergipano apoiou Bolsonaro, mas hoje lhe faz oposição em Brasília, daí a reação dos bolsonaristas.

Inauguração importante

Educado, o senador Alessandro Vieira disse à coluna que “foi a um evento muito tranquilo, sem nenhum tipo de problema”.

*** Segundo Alessandro, “foi uma inauguração muito importante para Sergipe, é preciso deixar de lado qualquer tipo de divergência e cerrar fileira em favor dos interesses do Estado”.

*** Acrescentou que “a vinda do presidente é positiva, é preciso construir uma relação produtiva com o Governo Federal”, admitiu.

Dinheiro para Barra

A Usina Termoelétrica Porto do Sergipe I, instalada e inaugurada ontem na Barra dos Coqueiros, levou muitos benefícios ao município com geração de empregos.

*** Além disso, a empresa pagou à prefeitura cerca de R$ 70 milhões de ISS e agora irá gerar uma arrecadação mensal para a Prefeitura de R$ 1 milhão por mês.

*** Sobre o assunto, o prefeito Airton Martins disse que o imposto foi transformado em benefícios para população.

Conversaram no carro

O governador Belivaldo Chagas (PSD) não foi ao aeroporto. Recebeu o presidente Jair Bolsonaro na Termoelétrica, na Barra dos Coqueiros, aonde ele chegou de helicóptero.

*** Da saída da aeronave até a sala vip da Termoelétrica, Belivaldo e Bolsonaro foram juntos de carro e conversaram.

*** O governador aproveitou e agradeceu o apoio que o Governo Federal deu a Sergipe no combate à pandemia.

Nada sobre política

Durante o discurso que fez na termoelétrica o presidente Bolsonaro evitou em falar sobre questões políticas. Deixou claro: “não discuto sobre 2022”.

*** Da mesma forma, também ao falar, no mesmo local, o governador Belivaldo Chagas deixou claro que o “meu palanque neste momento é Sergipe”.

*** Belivaldo elogiou ministros de Bolsonaro, inclusive o da Saúde, Eduardo Pazuello, assim como o da Economia, Paulo Guedes.

Não indica ninguém

Ainda em frente ao aeroporto, uma repórter perguntou a Bolsonaro se ele “pretendia indicar alguém para as eleições à Prefeitura de Aracaju”.

*** Bolsonaro respondeu rápido: “não pretendo indicar ninguém a prefeito, mas a vereador pode ser que vá participar”.

Fechado com Lúcio

Um desses bolsomínions disse que quando Bolsonaro comparou Sergipe a Israel profetizou que “seremos um Estado próspero”.

*** E concluiu com a frase: “fechado com Bolsonaro, fechado com Lúcio Flávio”, pré-candidato a prefeito de Aracaju, que anuncia apoio de Bolsonaro através da ministra Damares.

Conversa política

Ainda esta semana, o Republicanos terá uma conversa demorada com o governador Belivaldo Chagas (PSD) sobre toda a conjuntura política e a sucessão no Estado, principalmente de Aracaju.

*** O futuro do partido vai depender dos seus filiados e desses contatos que passarão a ser mais frequentes.

Proíbe livemícios

TSE dá parecer negativo numa consulta realizada pelo PSOL para saber se a Lei das Eleições permite a realização de livemícios – apresentações dos candidatos aos eleitores junto com artistas através de shows online.

*** Em seu parecer, o TSE considera que os livemícios se assemelham a showmícios. A tentativa dos livemícios demonstra como os candidatos estão apavorados com a forma de chegar ao eleitor.

De volta a Brasília

No retorno a Brasília, dois deputados por Sergipe estavam a bordo no avião presidencial: Laércio Oliveira (PP) e Bosco Costa (PL).

*** À noite Laércio ainda estava no Palácio do Planalto tratando sobre a Lei do Gás.

*** Durante o voo, o presidente Bolsonaro teria elogiado Aracaju. Disse que gostou da cidade e elogiou Sergipe.

Injustiça Histórica

O ex-presidente da OAB-SE, Henri Clay (Rede) disse ontem que Bolsonaro fez festa com chapéu alheio: “inaugurou, faturou politicamente o que nada fez por merecer”.

*** *** Uma injustiça histórica contra Marcelo Déda e a Jackson Barreto.

Uma boa conversa

Falso patriota – Senador Rogério Carvalho (PT) vê o Brasil sendo fatiado e vendido a preço de banana. Bolsonaro não é apenas um falso cristão, mas também é falso patriota!

Geração RM – O apresentador Ricardo Marques (Cidadania) está em pré-campanha para vereador e faz publicidade nas redes usando a geração RM.

Sem comprovação – Não há comprovação científica de que a cloroquina e a hidroxicloroquina possam evitar a morte de pessoas com Covid-19.

Sem máscaras – A máscaras foi um dos itens de prevenção à Covid-19 menos usando ontem com a visita de Bolsonaro a Sergipe.

Marcos Cardoso – Jornal Nacional registra a delação falsa de Palocci contra Lula. Mas nada sobre a ênfase dada à “reportagem” vazada pela Lava Jato às vésperas da eleição de 2018.

Bella Dona – Quando um aborto incomoda mais que um estuprador, percebemos que ser mulher não é uma tarefa fácil nesse país.

Sobre o estupro – Não deveria estar mais em discussão a interrupção de gestação involuntária de garota de 10 anos estuprada pelo tio. Essa discussão virou absurda.

Corruptos livres – Bolsopetismo empenhadíssimo em acabar com a Lava Jato em nome de corruptos livres e da corrupção escancarada.

Afasta rumores – Presidente usou as redes sociais para tentar afastar rumores de uma possível demissão do ministro da Economia, Paulo Guedes.