26/08/20 - 00:14:49

Como entrar num pleito confuso?

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

Até a próxima segunda-feira alguma coisa pode mudar nesse clima de pré-candidaturas em Aracaju. Alguns poucos prováveis pré-candidatos ainda estão sem rumo e não sabem como por os pés no chão. Cita-se pouco o ex-senador Almeida Lima, que anunciou candidatura a prefeito, mas se mantém em clima de discrição, embora exiba alguns vídeos expondo pontos de vistas e delineando prováveis projetos em caso de ir à disputa. Queiram ou não, Almeida tem um histórico político que já esteve ascendente – deputado estadual, prefeito de Aracaju e Senador da República – mas logo após sofreu um apagão e não retomou à sua trajetória política.

Diga-se de passagem: não foi um mau prefeito e ainda hoje algumas de suas marcas servem de fotografias para turistas, como os cajus em frente ao Iate Club e no retorno que leva à ponte sobre o rio Sergipe, caminho para o bairro Coroa do Meio. Apesar de ser conhecido, inclusive pelo seu estilo, Almeida não alavancou sua pré-candidatura, embora anuncie que a mantém. Percebe-se dificuldade em levá-la adiante, mas está posta sem ser tão exposta. Sinal de que pode perder fôlego antes que chegue a data final das convenções e registro de chapas.

Na extrema direita aparece o nome do publicitário Lúcio Flávio (Avante), que exibe uma paixão pelo projeto político do presidente Jair Bolsonaro. Teria a indicação da ministra Damares Lima. Integrante do grupo Brasil 200, que tem o comando do dono das lojas Riachuelo, Flávio Rocha, o pré-candidato do Avante em Sergipe já passou por partidos de esquerda, mas aderiu naturalmente ao projeto bolsonarista e tem certeza da vitória. Faz um trabalho via lives, mas ainda não conseguiu empolgar um eleitorado que sinalize para o êxito de sua candidatura oficial.

Teve convites para ser o vice em uma composição com o DEM, mas não aceitou. Leva a sua pré-campanha sem uma composição e o partido, que ainda não se manifestou, espera sinais de que ele poderá disputar o pleito para ganhar. Ainda não surgiu a luz no final do túnel, mas Lúcio Flávio persiste, inclusive acreditando em um apoio da ministra Damares Lima. Pode disputar o pleito, mas até agora não revelou à sociedade como vai conquistar o eleitorado, que no atual pleito está com muita dificuldade de ir às urnas.

Tem também o deputado estadual Zezinho Sobral, que é pré-candidato a prefeito de Aracaju por orientação da Direção Nacional do Podemos. Zezinho não recua. Líder do Governo na Assembleia, também não conseguiu formar alianças e nem aceita ser vice. Trabalha muito. Ainda ontem se reuniu com outros partidos, não fechou apoio, mas não desiste. Como falta pouco tempo para decisão final, tudo indica que suas pretensões sejam transferidas para outro pleito, como o de 2022. Estará nele até mesmo na tentativa de reeleição.

O deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) montou uma estrutura praticamente solo. É de direita, mas não se une ao Lúcio Flávio, embora tenha conversado com o DEM. Entretanto, já tem estrutura montada, projeto de Governo, estratégia de campanha e vai escolher o vice entre três dos seus aliados. Tem certa proximidade com Bolsonaro e foi o único dos candidatos de direita a tirar fotos ao lado do presidente, quando ele esteve em Aracaju, na segunda-feira (17). Dos que ainda não encontraram o melhor caminho, Rodrigo com certeza fará sua convenção e vai para a disputa em novembro. Quem sabe com um dedo de apoio do Planalto?

É bom lembrar da candidatura do delegado Paulo Márcio, pela Democracia Cristã. O partido sai com chapa puro sangue, está bem organizado e pretende mostrar identidade nas eleições municipais, embora tenha absoluta consciência de suas dificuldades.

Mas, ontem, entretanto, foi encerrado um ciclo que atormentava: a vereadora Emília Corrêa (Patriotas) pôs um ponto final a qualquer dúvida quanto ao seu projeto político: vai à reeleição e tentará se manter atuando na Câmara Municipal de Aracaju, com o destaque que expôs durante todo o período que cumpre o mandato. Ao contrário de outros, Emília era a única que não pretendia ser candidata à prefeita [e nem à vice], mas todos a procuravam.

Com a decisão de Emília – irrevogável – quem se anima para valer é a delegada Georlize Teles (DEM), que tem a simpatia dela e de seu partido, para saírem juntos nas eleições de novembro. Falta um entendimento entre o DEM e o Patriotas, o que não parece difícil. Outros partidos podem se somar e, se não houver atropelos na composição da chapa, Georlize estará entre os candidatos fortes que disputam a Prefeitura de Aracaju.  Agora, precisa definir o vice e sair às ruas.

Eduardo ataca Tarantela

O senador Eduardo Amorim (PSDB) ataca o empresário bolsonarista João Tarantela (DEM), nessa sua fase de não ficar mais calado e respondeu a tudo.

*** Diz que Tarantela é um daqueles políticos “frustrados e falastrões” porque nunca conseguiu ter mandato e o que fala e propõe é destruir a vida alheia.

*** – Lembra aquele vizinho invejoso e falastrão, disse.

*** E mais: “não me preocupo com o novo na política, porque o novo pode vir com defeito de fábrica no caráter”, disse.

Citando Machado

Amorim lembra que João Tarantela está filiado ao DEM, com o ex-deputado José Carlos Machado, “que não é novo, mas é homem de bem e capaz”.

*** – Eu prefiro que na política tenhamos homens e mulheres capazes e com boas atitudes coletivas, opinou Eduardo Amorim.

O novo fica velho?

Sem querer insuflar, mas o ex-senador Eduardo Amorim dá uma cutucada na idiota teoria do “novo”, quando diz que não se preocupa com isso, porque o “novo pode vir com defeito de fábrica no caráter”.

*** Amorim está vinculado a um grupo que decanta ser “o novo na política”, e vai tentar ajudar a vencer as eleições municipais sem conferir que tem “defeito de fábrica”.

Henri sobre vice

O ex-presidente da OAB-SE, Henri Clay (Rede), insistiu ontem que é pré-candidato a prefeito de Aracaju: “nunca me ofereci para ser vice de ninguém”.

*** Disse também que não entendeu as declarações do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), citando seu nome como provável indicação à vice.

Fato reforça

Henri Clay disse, ainda, que “esse fato, embora surpreendente e desagradável, acabou servindo para reforçar a nossa pretensão de candidatura própria”.

*** – Recebi muitos telefonemas de solidariedade e incentivo à minha pré-candidatura, disse ele.

*** E finalizou: – Não pretendo polemizar, mas a resposta se fez necessária para enfatizar e deixar claro que não sou pré-candidato a vice.

Mitidieri explica

Sobre o fato de ter citado Henri Clay (Rede) sobre a questão da vice de Edvaldo Nogueira (PDT), o deputado Fábio Mitidieri explicou: “o jornalista que me entrevistou perguntou se eu concordaria em Henri ser o vice, acrescentando que havia rumores sobre essa possibilidade”.

*** E concluiu: “Eu apenas disse que se tratava de um bom nome, mas que tenho preferência por quem está no projeto desde o início”.

*** Perguntado se romperia com o grupo caso Henri fosse indicado o vice, Mitidieri respondeu: “não rompo, mas não concordo e vou me colocar contra essa possibilidade.”

Henri foi convidado

O nome de Henri Clay para vice realmente fora cogitado pelo PT, que o convidou através do seu presidente regional João Daniel, do senador Rogério Carvalho, e do pré-candidato a prefeito Marcio Macedo.

*** Também no grupo liderado por Edvaldo Nogueira algumas aliados convidaram Clay para ser o vice, com extrema discrição em várias conversas.

*** A todos, Henri Clay recusou o convite e manteve sua pré-candidatura a prefeito pela Rede Sustentabilidade.

O clima está frio

Opinião de um filiado ao PSB: “o clima no partido é frio para as eleições deste ano, em razão da sigla apresentar candidato à vice-prefeito”.

*** A mesma fonte acha que “o próprio Valadares Filho perdeu o entusiasmo, embora não demonstre isso”.

Picolé do bem

Pré-candidato a prefeito pelo Avante, Lúcio Flávio lançou ontem o projeto “picolé do bem”, que “estimula a honestidade voluntária e anônima que está se espalhando por Aracaju”.

*** Há uma dificuldade: ninguém sabe qual o sabor e (pior) nem como se chupa…

*** Aliás, Lúcio Flávio já foi sondado para ser vice, mas não aceitou. Tem certeza que se elege à Prefeitura de Aracaju com facilidade.

Emília e o ponto final

Chegaram ao fim às especulações sobre candidatura de Emília Santiago (Patriota) à prefeita ou vice de Aracaju. Será o que ela definitivamente anunciou: “candidata à reeleição”.

*** Emília vai cuidar de sua pré-campanha e ficará livre das conversas para tentar convencê-la a mudar de idéia.

Maioria decide

O presidente regional do Patriotas, Uezer Márquez, tem mantido contato com o DEM sobre composição para a Prefeitura de Aracaju, mas não há nada definido.

*** Na próxima sexta-feira terá reunião com a base partidária e a decisão será tomada pela maioria.

Dergivaldo: uma pena

O vereador Dergivaldo Santos, de Cumbe, disse que é “uma pena, na minha humilde opinião”, Emilia Corrêa disputar a reeleição à Câmara de Aracaju: “Emília seria o melhor nome para a prefeitura de Aracaju”.

*** – Enquanto o nosso povo não entender que somos funcionários dele e que ele (povo)  é quem tem o poder, sempre vamos ser um país de quarto mundo, avaliou.

Rodrigo está preparado

O deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) disse que sua pré-campanha está em fase de organização e planejamento.

*** – Estou vendo como adaptar a pré-campanha às restrições. Não queremos expor as pessoas a riscos com aglomeração, acredito que será uma campanha de redes sociais.

*** Rodrigo diz que sua pré-campanha está 100% definida, com Plano de Governo e material sendo produzido.

*** Quanto ao vice, diz que tem três opções dentro do PSL: Uma pessoa ligada à igreja, um militar e uma pessoa ligada aos movimentos sociais.

Direitos Humanos

O senador Rogério Carvalho (PT) denuncia que o “desgoverno de Bolsonaro excluiu do último relatório de direitos humanos, as informações sobre as respostas dadas a todas as denúncias de violações recebidas, entre elas as de violência infantil”.

*** – Ao todo, o “Disque 100” omitiu encaminhamento devido a mais de 86 mil denúncias.

Engaveta Foro

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) diz que o projeto que acaba com o foro privilegiado, aprovado no Senado, está na gaveta do Rodrigo Maia há quase dois anos.

*** – Só mais um exemplo do poder absurdo que os presidentes concentram no Congresso. E ainda querem uma reeleição inconstitucional, lamenta.

Uma boa conversa

Casa Verde Amarela – Heleno Silva esteve ontem no Planalto onde participou do programa “Minha Casa Verde Amarela”, lançado por Bolsonaro.

Ventos fortes – Esta será uma semana de ventos muito fortes em Aracaju com batidas esparsas de chuvas, nesse finalzinho de inverno.

Muito candidato – Ainda tem muito candidato em busca de formação de alianças, mesmo que não haja muitos partidos à disposição.

Eleição à câmara – Vereadores preocupados com o número de pré-candidatos, para uma eleição que ganha quem literalmente tiver mais voto.

Balão de ensaio – Tem pré-candidato que faz pré-campanha em Aracaju, mas não vai disputar a Prefeitura. Tudo balão de ensaio.

Daniel A. Dourado – Alguém aí consegue dizer quem é o ministro da Educação do Brasil sem olhar na internet?

Jornal da Cidade – Anular as condenações de Sérgio Moro só comprova que no Brasil a banana come o macaco.

Maria – Vocês bolsopetistas que estão contentes com o STF e a decisão sobre Moro não percebem que o plano é soltar Lula de vez?

Reserva para negros – Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprova reserva de recursos para negros nas eleições de 2022