03/09/20 - 09:16:17

Governo paga terceira parcela do Mão Amiga a trabalhadores do corte da cana

Para evitar aglomerações, sindicatos dos trabalhadores rurais e gestão estadual pactuam utilização do cadastro de 2019

Já está disponível para saque, a terceira parcela do Programa Mão Amiga, paga aos trabalhadores do corte da cana de 20 municípios sergipanos de atividade sulcroacooleira no período da entressafra. O benefício foi creditado pelo Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Inclusão Social (Seias), na última segunda-feira, 31 de agosto, nas contas de 3.295 trabalhadores rurais, num investimento de R$ 2.504.200,00, oriundos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep). Já a vertente do programa voltada para os trabalhadores da citricultura, em adaptação às condições da pandemia, terá um protocolo diferenciado, definido após reunião realizada entre a Seias, a Emdagro e os Sindicatos dos Trabalhadores Rurais dos 14 municípios da região citrícola de Sergipe. Este ano, o cadastro será feito com base no credenciamento realizado na última edição do programa, em 2019.

O diretor de Inclusão Produtiva e Cidadania da Seias, Ricardo Mascarello, responsável pelo Programa Mão Amiga, explica que a solução foi encontrada consensualmente pelos atores que participam diretamente do processo de credenciamento. “Temos um público médio de 4.500 trabalhadores rurais no Mão Amiga Laranja. A forma encontrada para viabilizar o pagamento do benefício, sem provocar aglomerações nos escritórios e sem demandar reuniões presenciais, foi a utilização do cadastro da última edição como base. Todos os Sindicatos municipais e a Fetase [Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado de Sergipe] concordaram com a estratégia, que busca tão somente assegurar que o benefício seja pago a quem precisa, resguardando a integridade de beneficiários e técnicos envolvidos no processo de inscrição”, explicou Mascarello.

O chefe do escritório regional da Emdagro [Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe] em Lagarto, Adailton dos Santos, também participou da reunião e considera que a decisão de utilizar o cadastro de 2019 foi acertada. “Todos os sindicatos rurais da região decidiram que a inscrição deveria ter como base o cadastro do ano passado, não permitindo novas inscrições esse ano, para não aglomerar. A gente concorda. É o caminho mais eficiente. Não teríamos condição de receber essa quantidade de gente sem aglomeração. Então, pra gente foi bastante satisfatório esse direcionamento. A Emdagro se comprometeu a realizar aquilo que é de sua competência, que seria o cadastro conforme a base de 2019, acompanhamento do processo e eventuais revalidações”, pontuou Adailton.

Em nota técnica emitida pela coordenação do Programa Mão Amiga, a Seias especifica o número de beneficiários da última edição, em cada um dos 14 municípios da citricultura: 244 em Arauá; 526 em Boquim; 190 em Cristinápolis; 220 em Estância; 93 em Indiaroba; 584 em Itabaianinha; 141 em Itaporanga; 495 em Lagarto; 252 em Pedrinhas; 319 em Riachão do Dantas; 348 em Salgado; 353 em Santa Luzia; 244 em Tomar do Geru; e 566 em Umbaúba. Também na nota técnica, a Seias afirma que, com essa estratégia, a edição 2020 do programa será realizada dentro do calendário previsto.

“Submetemos a sugestão de estratégia ao governador Belivaldo Chagas, que entendeu ser a forma mais segura de garantir a execução do programa na atual conjuntura. Com isso, o cronograma previsto manterá as datas estabelecidas: encaminharemos a lista de beneficiários para o Banese no dia 15 de outubro e o pagamento da primeira parcela acontecerá no dia 30 de novembro, conforme programado. Consideramos ser necessário que esse benefício chegue nas datas previstas para os trabalhadores da colheita da laranja, sobretudo nesse cenário pandêmico, em que as vulnerabilidades têm sido agravadas”, concluiu a secretária de Estado da Inclusão Social, Leda Lúcia Couto.

Fonte e foto assessoria