07/09/20 - 11:35:19

SEM DESFILE DEVIDO À PANDEMIA, BOLSONARO GERA AGLOMERAÇÃO

Com o cancelamento do desfile cívico-militar de 7 de Setembro em razão da pandemia do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro participou na manhã desta segunda-feira (7) de solenidade no gramado do Palácio da Alvorada para comemorar o 198º aniversário da independência do Brasil.

Ele e a primeira-dama Michelle Bolsonaro provocaram aglomeração ao cumprimentar e fazer fotos com apoiadores na grade do Alvorada. Até 800 pessoas tiveram autorização para assistir à cerimônia, informou a Secretaria de Comunicação.

O evento, com a presença dos presidentes do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP); do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli; e de ministros do governo, teve execução dos hinos Nacional e da Independência, hasteamento da bandeira e apresentação da Esquadrilha da Fumaça.

Antes do início da cerimônia, usando máscara, a primeira-dama Michelle Bolsonaro se aproximou da grade para fazer fotos e distribuir cumprimentos, o que gerou aglomeração, o que não é recomendado pelos especialistas em saúde em razão da pandemia do coronavírus. Ela deu as mãos e pegou celulares de participantes para fazer fotos.

Sem máscara, o presidente Jair Bolsonaro chegou ao evento no Rolls Royce presidencial, acompanhado de várias crianças, parte delas também sem máscaras.

Ele também cumprimentou participantes antes de se juntar às autoridades que ouviram a execução dos hinos Nacional, da Independência e a exibição dos aviões da Esquadrilha da Fumaça. Depois do evento, voltou a se aproximar da grade e fez “selfies” com apoiadores, provocando ajuntamento de pessoas.

Há um mês, o Ministério da Defesa orientou as Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) a não participarem neste ano de eventos de 7 de setembro. Com isso, os tradicionais desfiles realizados na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e em outras cidades não acontecerão neste ano.

Segundo o ministério, por causa da pandemia do coronavírus, “não é recomendável pelas autoridades sanitárias a promoção de eventos que possam gerar aglomerações de público, devido ao risco de contaminação”.

À noite, está programado um pronunciamento de aproximadamente quatro minutos de Bolsonaro em rede nacional de rádio e televisão.

Por Pedro Henrique Gomes, G1 — Brasília