11/09/20 - 00:01:05

A esquerda briga e a direita ri

Diógenes Brayner[email protected]

O petista Rômulo Rodrigues é um “arquiteto” da política. Traça com sensatez o mapa que se deve percorrer para conquistar as melhores posições, dentro de um momento em que há necessidade de seguir caminhos difíceis por linhas tortas. Há anos que é bem consultado para orientar a se chegar ao final de uma caminhada, sem desviar a trilha e nem perder o sentimento ideológico que dá vida ao Partido dos Trabalhadores em todas as suas ações políticas e sociais.

Rômulo explicou que por imposição da conjuntura, o PT precisava ter candidatos a prefeito em todas capitais, grandes cidades e mais onde puder. Sua participação não pode ser como coadjuvante, mas à frente do projeto que prega mudança e necessita de uma reforma em seu conteúdo ideológico. Naturalmente, desde a sua fundação, o PT foi feito para grandes embates e não dá mais para ficar em mais uma participação secundária, que não convoque a sua responsabilidade de conduzir os rumos do País, de um Estado e de uma Cidade.

Segundo visão de Rômulo Rodrigues, depois de iniciar e consolidar um programa de governança democrática e popular em Aracaju e Sergipe, o PT foi leal com os aliados e cedeu os maiores espaços políticos. Pela dinâmica, naturalmente esses aliados que ascenderam ao poder foram construindo novas alianças e alinhando o PT. Para ele, se o PT não desse um freio de arrumação e lançasse uma candidatura a prefeito de Aracaju, à essa hora teria sido varrido para debaixo do tapete.

Entretanto, Rômulo deixa claro que enfrentar um aliado de longa trajetória não sugere negar a história, e sim ressignificá-la, para dar um passo à frente, depois de ter dado dois passos atrás. Admite que a disputa de Aracaju vá para segundo o turno e o PT vai estar lá. Os adversários a serem derrotados serão os representantes do lavajatismo, que está implantando um Estado policial de terror e invadindo, de armas em punho, as instituições guardiãs da democracia.

Sem meias palavras e interpretando ao “pé da letra”, Rômulo Rodrigues acha que o adversário do momento não seria o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT), que vem de várias alianças com o PT e sempre seguiu o mesmo caminho. O discurso contra Edvaldo, de alguma forma, atinge o petismo que o colocou lá, já por duas vezes, e manteve-se aliado até 2019, quando se deu uma separação, hoje com caráter litigioso. Quando o PT critica o prefeito cede argumentos para a oposição, porque pode ser interpretado como uma espécie de mea culpa.

O adversário real é outro e fica claro que os partidos de tendências à esquerda – ou centro esquerda – não podem alimentar o discurso de uma direita que toma fôlego e pode superar uma tendência progressista, que se autoflagela e não atingirá seus objetivos de manter a cidade em mão de um Governo que tenha caráter progressista e responsabilidade com o social.

É preciso repensar esse risco de se unir ao que há de mais radical na direita, para combater uma consciência de esquerda à frente de Aracaju.

Tende a Rodrigo

O Patriotas vai esperar até sábado para anunciar o pré-candidato a prefeito que vai apoiar, embora a tendência maior é ficar com o deputado Rodrigo Valadares (PTB).

*** O Patriotas está reunido com todos seus candidatos a vereador para tomar uma posição, mas ainda não há maioria nem unanimidade em torno do melhor nome.

Ligação do Avante

O presidente nacional do Avante, deputado Luís Tibé, entrou em contato com a direção do Patriotas, para tentar fechar uma composição a fim de ter condições de lançar Lúcio Flávio como candidato a prefeito de Aracaju.

*** O lançamento da candidatura de Lúcio a prefeito empacou porque o Avante não tem recursos para bancar sua campanha, o que seria feito por uma outra legenda e seus apoiadores.

Problema é recurso

Um grupo de empresários, através de vídeo conferência, se comprometeu a ajudar na campanha de Lúcio Flavio (Avante) a prefeito, mas a quantia era muito pequena.

*** O Avante deixa claro que o que vai receber do Fundo Eleitoral dá apenas para financiar a chapa de candidatos a vereador.

DEM em conversa

O Democratas (DEM) também está conversando com o Patriotas, para uma composição e apoio à pré-candidatura da delegada Georlize Teles a Prefeitura de Aracaju.

*** O DEM também tem simpatia dos membros do Patriotas, mas ainda não se chegou ao consenso sobre uma posição definitiva a ser confirmada em convenção dia 15.

Antecipava obras

Durante a convenção do Republicanos, ontem, o candidato a vereador Galego da Burra, do Coqueiral, no Porto Dantas, antecipava obras realizadas por Edvaldo Nogueira, em sua região.

*** Chamou a atenção a participação de sete militares como candidatos, além de pastores, missionários e mulheres.

Anormal ou imoral

O deputado Gilmar Carvalho (PSC), denunciou que “em Aracaju, um partido que está sendo muito assediado para apoiar candidatura à prefeitura, derrapa na sede de um de seus líderes”.

*** Plenário consultou três presidentes de partidos para chegar à denúncia, mas todos eles disseram que “esses pedidos de grana para financiamentos de campanha são absolutamente normais.”

*** Um deles explicou que o “pedido de recursos para apoiar candidatura majoritária é normal, está na lei e é feito via Fundo a Fundo. Não há nada de anormal ou imoral.”

Questão do Corolla

Sem citar nomes, o deputado Gilmar Carvalho disse que o presidente de um partido pediu um Corolla a uma legenda e mais R$ 300 mil, para entrar integrar um bloco.

*** O partido teria se prontificado a locar um Corolla para uso em campanha, mas o presidente teria dito que seria para ele.

*** Essa proposta do Corolla foi desmentida pelos presidentes ouvidos…

Valadares ou Alessandro

Chega à informação de que o ex-deputado federal Valadares Filho (PSB) teria aceitado disputar a vice da delegada Danielle Garcia (Cidadania), em troca de apoio para ser o candidato a governador do grupo em 2022.

*** Valadares não teria feito essa proposta, mas pretende retornar a Brasília como deputado federal, o que outros dos seus aliados também desejam.

*** Dentro do bloco que tem Danielle candidata a prefeita, o nome que falam para o Governo é o senador Alessandro Vieira.

E por que não pode?

Um político experiente, integrante do bloco liderado por Danielle, desmentiu que Valadares Filho tenha aceitado ser o vice em troca de apoio a governador em 2022.

*** – Isso não aconteceu, disse e continuou: “mas há possibilidade dele compor a chapa do grupo ao Governo, sendo exatamente o seu titular. Ele é nome forte para isso”, concluiu.

Nome de Alessandro

O mesmo político disse que o senador Alessandro Vieira (Cidadania) é muito inteligente e sabe que disputar o Governo em 2022 fica muito complicado para ele, em razão do seu estilo.

*** Acrescentou que Alessandro não tem muita habilidade nas conversas com lideranças políticas e isso dificulta para uma candidatura a governador.

Rogério sobre o Mico

O líder do PT no Senado, Rogério Carvalho, denuncia que o Governo Bolsonaro coloca o Mico-leão-dourado na Amazônia, um animal típico da Mata Atlântica.

*** – Tudo para justificar os incêndios criminosos provocados pela negligência do Governo em fiscalizar os crimes ambientais.

Povo quer salário

Rogério Carvalho diz, ainda, que o povo quer salário digno, poder ir ao mercado comprar a carne, o arroz e o feijão.

*** – Alem de poder pagar suas contas no fim do mês e ainda ter oportunidade de, no final de semana, ter momentos de lazer. É isso que o povo quer Bolsonaro!

Indecisão em Estância

O ex-prefeito de Estância, Ivan Leite (PSDB), adiou a convenção do seu partido para a quarta-feira (16) e disse ontem que a tendência de apoio do PSDB é ao candidato do Psol, Marcio Souza.

*** O prefeito Gilson Andrade (PSD), que disputa a reeleição, aceita o ex-prefeito Ivan Leite, mas não quer indicar Adriana Leite para se manter na vice.

*** Na Câmara Municipal de Estância, 12 vereadores querem a indicação do colega André Graça (PP) para vice. Apenas um defende a continuidade de Adriana.

Fundo Eleitoral

Visivelmente exausto, o presidente regional de um partido de grande porte desabafou: “a classe política está absolutamente enlouquecida, em razão desse Fundo Eleitoral”.

*** – Criou-se a expectativa de que o Fundo Eleitoral vai inundar as campanhas de dinheiro, disse ele, concluindo: “não será como a maioria deles está pensando e quem acredita nisso terá grande frustração pós eleição”.

Uma boa conversa

Muita indecisão – Nesse período de convenções muita movimentação em Aracaju, mesmo assim ainda há candidatura indecisa e em aberto.

De um político – Quem mergulhar muito fundo nos recursos do Fundo Eleitoral pode ser preso e não assumir caso seja eleito.

Fazer justiça – Com Luiz Fulk na Presidência do Supremo a expectativa é que haja alguma mudança no comportamento político da instituição. É preciso fazer Justiça.

Metrópole – O ex-deputado federal Eduardo Cunha teve aposentadoria da Alerj cassada por improbidade administrativa.

Perdoar igrejas – O presidente Jair Bolsonaro tem até hoje para decidir se perdoa R$ 1 bilhão em dívidas de igrejas.

Deu no Globo – Pazuello diz que Ministério da Saúde não tem restrição ao canabidiol, que pode ser fornecido pelo SUS.

Silêncio total – O líder Zezinho Sobral (Podemos) está em silêncio absoluto quanto a sua candidatura à Prefeitura de Aracaju.

Pouca gente – A frequência nos shoppings ainda não está como se esperava. Bem menos gente circulando e pouquíssimas comprando.

Pacotes de dados – Alunos da UFS já podem solicitar pacotes de dados das aulas remotas e apoio financeiro para compra de equipamento.