17/09/20 - 14:42:06

Sergipe bate meta do IDEB nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental

O nível de qualidade do ensino médio brasileiro continua abaixo do esperado pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC). Esse foi o resultado geral do  Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) para o ano de 2019. O Ideb é o indicador de qualidade do ensino fundamental e do ensino médio do Brasil.  O estado de Sergipe chegou a um resultado satisfatório  quanto ao  Ensino Fundamental dos Anos Iniciais, superando a meta estabelecida. A divulgação do índice ocorreu  nesta  última terça-feira (15).

Sergipe

Para avaliar resultados, o Ideb leva em conta a aprovação de alunos e desempenho nas provas de matemática e português. O objetivo da avaliação para  2019 era atingir a  nota 5.0, mas,  em todo o país,  a nota chegou a 4,2. Segundo dados do MEC, embora tenha havido avanços  no Ideb em relação a 2017, o país não atinge a meta nessa etapa de ensino desde 2013.  A cada dois anos o MEC divulga o índice de desenvolvimento da educação de todas as regiões do país.

O estado de Sergipe apresentou o resultado de 3.7 para o Ensino Médio, não contemplando a média esperada para 2019 que é de 4.9.  Importante destacar que  Inep traça médias individuais para os estados, justamente porque são situações heterogêneas – há regiões com maior índice de pobreza, por exemplo, que terão obstáculos maiores para melhorar a qualidade da educação.

O secretário de Estado da Educação, Josué Modesto Subrinho, destacou os  resultado apresentados  no Ideb. “O  Ideb da rede Pública de Sergipe vem crescendo nesse dois últimos anos em 6,5 %.  O resultado  apresentado  pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para o Ensino Médio é esse mesmo, de 3.7, contudo, na mesma planilha apresentada, o Inep aponta que a Rede Estadual  de Sergipe saiu de 3,1  para  3,3  nos últimos anos, destacando um salto no crescimento. O Ideb não é uma loteria para ganharmos um prêmio, mas um trabalho persistente, programado, que leva tempo para colhermos os frutos. O Estado tem persistido, e estamos dispostos a acertar”, declarou o secretário em coletiva à imprensa.

Quanto ao  Ensino Fundamental,  do 1º ao 5º ano, a meta projetada para 2019 em Sergipe foi superada, chegando a nota de 5.1, estabelecendo assim o resultado  previsto. Para o  Ensino Fundamental,  do 6º ao 9º ano, o índice observado chegou a 4.1, não batendo a meta que era de 4.8.  Contudo, considerando todas as redes,  Sergipe salta de 3,8 para a marca de 4,1, um crescimento de 5,1%.

Pronunciamentos

O deputado Zezinho Guimarães (MDB) atribui o não atingimento da meta do Ideb  ao aparelhamento da máquina pública, para ele o estado  falha em não priorizar a Educação.  “Sergipe  não tem um projeto de Educação há muitos anos. É necessário um estabelecimento de um projeto de educação, a exemplo do que foi feito no município de Itabaianinha, onde a meta do Ensino Fundamental Inicial que é atribuída pelo do Ideb foi  alcançada. Sergipe precisa entender isso, buscar exemplos. É preciso um projeto de Educação estruturado, com começo, meio e fim, buscando resultados. Mais uma vez  o estado dá uma demostração de atraso, por isso os indicadores estão em frangalhos,”, analisa Zezinho.

De acordo com a deputada Maria Mendonça (PSDB), diferente de outros estados  do Brasil que apresentaram uma alta no Ideb, no que diz respeito ao Ensino Médio,  o estado de Sergipe continuou estável e mantendo baixo desempenho. Ela atribuiu  também o resultado a muitos fatores, a exemplo de estímulo salarial, e recursos para melhor desenvolvimento das aulas.

“De forma geral, observamos como foi extremamente negativa a performance de Sergipe. São resultados muito preocupantes e que nos estimula a fazer um apelo aos gestores que, a a partir de 2021, quando assumirem os seus mandatos, priorizem a educação que, é sem dúvida, a imperiosa via de transformação social. Digo isso com muita tranquilidade, pois quando fui prefeita de Itabaiana, encontramos o município com um Ideb de 2.4, no ensino fundamental menor, em 2005. Em 2007 e 2009 ampliamos esse índice, respectivamente, para 3.0 e 3.4, numa demonstração clara do nosso compromisso, não só com a qualidade da educação, mas com toda estrutura que servia aos professores e técnicos.

O deputado estadual Dr. Samuel Carvalho (Cidadania 23) lamentou o desempenho do Ensino Médio das escolas do Estado. “ A nota do Ensino Médio reflete a herança de descaso e da falta de planejamento que o atual Governo vem deixando para os sergipanos. Afinal, quem não valoriza os professores não poderia ter senão esse tipo de resultado. Nossos jovens precisam do melhor”, afirmou.

Para a deputada Kitty Lima (Cidadania), declara que  o governo do Estado tem falhado na etapa da educação e que deve observar o indicador como um alerta. ” Infelizmente tem falhado em algo  que é de sua exclusiva responsabilidade e não se pode utilizar a falta de recursos como causa. Pois, foram elaborados programas específicos para a melhoria da qualidade do Ensino Médio e Sergipe pouco avançou, estamos devendo! O Governo do Estado deve observar o indicador como um alerta do que ainda poderá vir. Pois, com a pandemia a educação sofreu um grande prejuízo e será necessário correr atrás para diminuir o déficit de aprendizagem deste tempo”, avalia a parlamentar.

De acordo com o deputado Capitão Samuel, o governo precisa repensar toda a estratégia educacional em Sergipe. “Precisamos repensar toda a estratégia educacional adotada em Sergipe, pois a que está vem  sendo adotada desde o ano de 2006, e não está  se mostrando suficientemente  importante para  que melhore a educação dos nossos jovens. Precisamos de escolas Cívicos-Militares, que deu certo em vários estados da federação. Precisa repensar, reconduzir e direcional esforços para a qualidade do ensino,  e não para outras bandeiras que se vê pelo resultado do Ideb que não deu certo”, defendeu Capitão Samuel.

“Nós precisamos ter um orçamento público que expresse a necessidade de prestigiar a educação do povo do nosso país, e não um orçamento que traga  perspectiva de cortes de quase  R$ 2 bilhões  na parte de despesas de custeio e investimento na educação”, declarou o deputado Iran Barbosa (PT).

Por Stephanie Macêdo

Foto: Freepik