20/09/20 - 21:53:02

Candidato a presidente do CREA-SE diz que o Conselho está sem norte e lhe falta propósito

O engenheiro Dilson Luiz está candidato a Presidência do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe  (Crea-Se), junto com o candidato a Presidência do Confea, Paulo Guimarães, Ronald Donald para diretor geral da Mutua e Paulo Primo para diretor administrativo da Mutua. Neste domingo (20) à noite, em entrevista ao Faxaju, Dilson Luiz admitiu que o Conselho de Engenharia no Estado “está sem norte”.

Segundo ele, e diz isso com um de decepção, no Crea-Se “falta propósito, falta lisura nas informações, falta abertura para participação dos profissionais” é acrescenta: “é muita ingerência nas prerrogativas dos profissionais”. Entre tantos projetos que expõe, um deles é “a valorização das profissões abrangidas pelo sistema, incentivando a regularização de atividades hoje clandestinas na sociedade; enfim, o nosso plano de gestão contempla a aproximação do nosso Conselho com os profissionais, com as empresas, com as instituições de ensino e as entidades de classe”.

Pela primeira vez coloco meu nome e a minha experiência técnica e administrativa à disposição dos profissionais do sistema e a disposição de fazer com que o Crea-Se tenha participação efetiva na estrutura profissional e nas atividades que lhe a presença do Conselho se faz necessária para valorização de um segmento que, de alguma forma, cuida do desenvolvimento de um Estado.

Entrevista na íntegra:

Faxaju OnlineComo está o Crea-Se em Sergipe neste momento de reestruturação das entidades de classe e a sua participação no que diz respeito ao setor e a seus profissionais:

Dilson Luiz – O Crea em Sergipe está sem norte. Após iniciarmos a campanha e divulgarmos o nosso plano de gestão em 07 de março, o Conselho sem conhecer os propósitos vem tentando implantá-lo. Depois de cinco anos e meio de gestão, agora no período eleitoral é que tenta reconhecer a importância dos entes públicos, principalmente municipais. Falta propósito, falta lisura nas informações, falta abertura para participação dos profissionais, é muita ingerência nas prerrogativas dos profissionais. A interferência direta do Conselho no processo eleitoral o desqualifica como representante das profissões e o torna um reduto de poucos. Esta é uma síntese do que está aí para todos veem, mas tem profissionais que preferem a omissão por conta da “amizade”.

Faxaju Qual o seu projeto para valorização maior do Conselho no Estado.

Dilson – Institucionalizar as parcerias técnico-cientificas com as instituições de ensino; parcerias para o desenvolvimento sustentável com os municípios; difundir as entidades de classe entre os profissionais para os mesmos poderem ter assento no plenário do Conselho proporcionando oportunidade para todos, inclusive com a constante renovação. Junto com Ronald Donald e Paulo Primo, disseminar a Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea (Mutua) entre os profissionais para que todos possam conhecer e desfrutar as vantagens que a nossa caixa de assistência pode proporcionar. Valorização das profissões abrangidas pelo sistema, incentivando a regularização de atividades hoje clandestinas na sociedade. Enfim, o nosso plano de gestão contempla a aproximação do nosso Conselho com os profissionais, com as empresas, com as instituições de ensino e as entidades de classe e tem o foco em um melhor atendimento à sociedade trazendo de volta o reconhecimento da importância que o nosso Conselho merece.

FaxajuAlguma mudança estrutural no Crea como Conselho Regional que pode ter presença ativa nas decisões até de caráter político.

Dilson – Participar das discussões que versem sobre as profissões do sistema e que trazem reflexos para a sociedade, pois a inércia que se situa na apática participação atual, nestes temas, coloca o nosso Conselho em patamar desprestigiado frente a importância que ele representa. Com a CBIM-SE difundiremos junto às prefeituras a importância da implantação da Plataforma BIM nos municípios. Atuar na melhoria dos processos de obras, visando a valorização das profissões e a qualificação final das obras entregues à sociedade.

FaxajuPor que você quer ser presidente do Crea?

Dilson – Nunca esteve em meus planos, mas diante da possibilidade de continuarmos com um conselho tão esquecido e desrespeitado, o que reflete negativamente em nossas profissões, admiti a possibilidade e estou enfrentando o poder dos que não querem sair, não pensam em renovação, oxigenação, pois depois de 27 anos do adversário está somente mudando de cargos, dentro do sistema, agora quer dizer que pretende mudar algo. Não dá para acreditar. Então pela primeira vez coloco meu nome e a minha experiência técnica e administrativa à disposição dos profissionais do sistema.