22/09/20 - 06:18:33

Assembleia Legislativa Sergipe adere à campanha Setembro Amarelo

A Assembleia Legislativa de Sergipe está aderindo à campanha Setembro Amarelo em sintonia com a Lei nº 8.253/2017, de autoria da então deputada estadual Ana Lúcia, instituindo que nos últimos 15 dias do mês o Poder se some à campanha mundial que tem o objetivo direto de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção.

“Embora os indivíduos que sofrem de depressão costumem demonstrar alguns dos sinais da doença a pessoas próximas, muitas vezes seu pedido de ajuda, geralmente sutil e indireto, é ignorado. Precisamos despertar o estudo, mas acima de tudo a prevenção das angústias, da depressão, da falta de vontade de viver”, apontou a então deputada Ana Lúcia, quando da aprovação da Lei em 2017.

A ideia do projeto é remeter a atenção das pessoas ao tema. A proposta é que se aproveite o período para que se promovam ações no sentido de alertar e promover o debate sobre o suicídio e as suas possíveis causas e consequências.

Como também contribuir para a redução de casos no Estado e estabelecer diretrizes para ações integradas envolvendo a população, órgãos públicos e instituições públicas e privadas, visando ampliar o debate sobre o problema, sob o ponto de vista social e educacional, estimulando o desenvolvimento de ações, programas e projetos na área da educação e prevenção.

Ainda pela proposta, as atividades citadas acima podem ser planejadas e desenvolvidas em conjunto com o Poder Legislativo e com os órgãos e entes públicos e privados relacionados ao tema, compreendendo, entre outras, palestras, apresentações, distribuição de panfletos ou cartilhas informativas.

Tema atual

O “Setembro Amarelo” continua sendo lembrado e debatido na Alese, pelos parlamentares da atual legislatura. O deputado estadual Samuel Carvalho (Cidadania), recentemente, externou durante uma sessão extraordinária remota sobre sua preocupação com o aumento de casos de suicídio. “Temos uma preocupação como bandeira de vida, e a gente vem trabalhando muito a automutilação, depressão e suicídio. Infelizmente, nesses últimos dias perdemos muitas pessoas boas para o suicídio. Jovens ainda, infelizmente se automutilando, e com esse isolamento social por conta do Covid-19 a gente vê o aumento dos casos de depressão e suicídio”, lamentou o parlamentar.

A deputada Maísa Mitidieri (PSD) apresentou e aprovou uma indicação solicitando ações de promoção à Saúde Mental durante a campanha nacional do “Setembro Amarelo”, adotando medidas de valorização de prevenção ao suicídio. “É importante conversarmos sobre o suicídio e maneiras de preveni-lo. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada 40 segundos uma pessoa morre de suicídio em algum lugar do nosso planeta”, esclarece.

Já a também deputada estadual Goretti Reis (PSD) destacou a chegada do “Setembro Amarelo” e sugeriu que o governo do Estado intensifique as campanhas de divulgação do número 188 do CVV (Centro de Valorização da Vida). “Estamos recebendo materiais da UNALE neste sentido e é uma preocupação nossa porque, infelizmente, os casos de suicídios aumentaram nesta pandemia. Temos um requerimento para o governo pedindo que divulgue mais o número 188 do CVV que funciona 24 horas por dia, para pessoas que não têm com quem conversar e que atravessam um momento de crise, ociosas e vazias. Precisamos ajudar essas pessoas para que elas não cheguem ao extremo”, defendeu a deputada.

Sobre a CVV

O Centro de Valorização da Vida (CVV) é uma instituição sem fins lucrativos que, desde 1962, tem voluntários que se dispõe a ouvir as pessoas através do telefone, email ou chat online na tentativa de evitar suicídios. Em 2017, recebeu 2 milhões de ligações de pessoas em busca de ajuda e alguém que os escute do outro lado da linha. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 90% dos suicídios poderiam ser prevenidos.

Contatos da CVV

O CVV (https://www.cvv.org.br/) funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, e também atende por e-mail, chat e pessoalmente. São mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil.

Por Habacuque Villacorte – Rede Alese