24/09/20 - 00:01:43

Cobrança e visão do eleitor pós-pandemia

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

A partir de domingo os candidatos podem ir às ruas, para tentar conquistar eleitores que não estejam no seu ciclo. Vamos chamar de “colegiado”, para usar uma palavra retrógrada e condenada por alguns que se imaginam o “novo” na política. Ontem, uma eleitora de cidade que a disputa é renhida, profissional na área da saúde, disse que não iria votar em seu município. Justificou em voz alta: “os candidatos a prefeito são ladrões”.

A eleitora estava em um cartório no centro da cidade e não mediu palavras. Disse com a mais absoluta convicção o que pensava de cada um desses candidatos, expondo tudo o que sabia deles, como se estivesse lendo um currículo. Os nomes são conhecidos da política sergipana e exerceram e ainda ocupam mandatos, “mas que usam os cargos para enriquecimento ilícito deles e das famílias”. Assim, “na lata”, como se diz no popular.

Aliás, quem os conhece sabe que a “doutora” tem razão, porque ela mesmo foi vítima de dois dos três que estão no páreo. Lógico que ser honesto é obrigação e não deve ser exposto como adjetivo, mas da forma como se começa a prever a disputa eleitoral, as acusações sobre ilícitos serão usadas a valer em determinadas situações, que pode até confundir o eleitor quanto a moral, ética e dignidade de um cidadão que se “joga ao sacrifício” de administrar sua cidade.

Em Aracaju, por exemplo, alguns delegados estão disputando mandatos. Pelo menos um deles, de forma muito discreta, expõe severidade, austeridade e firmeza em suas ações, como fossem atos heróicos e absolutamente incontestáveis. Fala-se, entretanto, que em todo esse esnobismo, algumas ilicitudes foram cometidas para proteger pessoas íntimas e talvez hoje aliadas. Claro que no momento não está sendo usado argumentos que levem a isso, mas os adversários estão na espreita para contra-atacar com a mesma intensidade de alguma acusação.

Da mesma forma acontecerá na teoria [e não ideologia] que se prega em cada um que se arrisca a vôos mais altos. Aquele eleitor que antes ia às urnas sem sequer avaliar o que era bom ou mau para o povo, mudou repentinamente o seu conceito e se vestiu de defensor da moral e dos bons costumes, adquiridas nas velhas aulas da disciplina “Moral e Cívica”. E se tornaram “soldados” que estão prestes a entrar na batalha contra os “corruptos”, “comunistas”, “imorais” e que pretendem destruir as famílias.

A campanha será bem diferente, com outro perfil e com uma mistura de eleitores que se confundem em sua visão do que seja melhor para a sua cidade, traçando bem o perfil de quem é progressista e daqueles que se mantém conservadores. É muito difícil, mas todos se preparem para surpresas que não serão agradáveis para o futuro de quem não embarca nessa canoa furada. Isso tudo sem falar que a Pandemia modificou modos e características do eleitorado.

Detentor de legado

Márcio Macedo, candidato a prefeito de Aracaju pelo PT, disse ontem que “sobre o vídeo de Marcelo Déda que circula pelas redes, também quero saber a autoria.”

*** – Não iremos permitir o uso indevido da imagem de um dos maiores homens públicos da história de Sergipe, disse.

*** Marcio acrescentou que “é o PT, partido pelo qual era apaixonado e líder, o único e legítimo detentor de seu legado.”

Amizade com Déda

O prefeito Edvaldo Nogueira, que disputa a reeleição, disse que “todo mundo sabe da amizade e do companheirismo que Déda e eu tínhamos”.

*** Edvaldo utilizou o mesmo vídeo usado nas redes com as declarações de Déda, sem alterações, que faz elogios à sua atuação política por Aracaju em 2008.

*** – Saibam que já estamos trabalhando na identificação dos autores do vídeo que está circulando, para processá-los criminalmente. Deixem Déda descansar em paz, pede o prefeito.

Família deve evitar

O uso do chamado legado do ex-governador Marcelo Déda não vai influenciar para que algum candidato tenha mais voto: “todos terão o voto sem influência dos mortos”.

*** Além disso, não é bom citar a Avenida São Paulo como a grande obra que Déda fez em Aracaju, quando prefeito, como se fosse a única.

*** A família de Déda, principalmente Eliane Aquino, deve intervir para evitar o uso do nome do ex-governador por qualquer dos candidatos.

Antecipa rodovias

Belivaldo Chagas já convocou à imprensa para uma nova reunião na segunda-feira. Anuncia a reestruturação da economia em Sergipe, que vai gerar um avanço em vários segmentos.

*** Antes o governador disse que não anunciaria nenhum item do projeto, porque só o faria na segunda-feira, mas não se conteve: “só de rodovia serão feitos mais de 400 quilômetros”, antecipou.

Pandemia muda

O presidente regional do Patriotas, Uezer Márquez, diz que “essa pandemia mudou muito a característica das eleições municipais deste ano”.

*** – Não é mais aquela coisa que os candidatos podem ir às ruas pedir votos e conversar com o eleitor, mas todos têm que se adaptar, admite.

*** Mas Uezer acha que, em outubro, talvez tudo fique mais à vontade e a campanha volte à normalidade.

Eleitor e campanha

Um eleitor disse ontem, fazendo compra em uma farmácia, que a pandemia vai deixar os eleitores mais livres nesse pleito: “primeiro porque, com o uso de máscaras, ninguém vê o rosto do candidato”.

*** E mais: “evita os apertos de mão, os abraços e os beijos falsos. Será a melhor campanha”, admitiu.

Pandemia não acabou

O deputado Zezinho Sobral (Podemos) diz que defende os programas de distribuição de renda e políticas púbicas, voltadas aos mais carentes.

*** A pandemia do coronavirus não acabou e muitos sergipanos ainda precisam de assistência.

A boa notícia

Zezinho Sobral diz que “a boa notícia é que o projeto de prorrogação para mais dois meses do Cartão Mais Inclusão chegou na Assembleia.

*** – Esse benefício garante alimento na mesa e dignidade para mais de 25 mil famílias, disse e acrescentou que aprova essa ampliação.

PDT luta por vaga

O presidente municipal do PDT, Evando Galdino, disse ontem que o processo para a vaga do ex-vereador Jason Neto ser ocupado por um suplente do partido, ainda está rolando: “não foi concedida a liminar, mas o juiz dará uma decisão”.

*** O juiz deu prazo de cinco dias para ouvir o Cidadania e o Sargento Vieira, que ocupou a vaga pela legenda, porque em 2016 e ficou como primeiro suplente.

*** Vieira deixou o PDT e a vaga é do partido, que quer indicar o tenente Heliomarto.

JB ficou irritado

Durante a implantação de uma quadra de Futebol Society, terça-feira, no bairro Soledade, o locutor disse que a obra era “fruto de uma parceria com o presidente Jair Bolsonaro.”

*** Com a citação de Bolsonaro o deputado Capitão Samuel comentou a parceria em voz alta.

*** O ex-governador Jackson Barreto estava ao lado e não gostou. Ameaçou gritar o “Lula Livre”. Não aconteceu e os ânimos foram acalmados.

JB pode disputar

Jackson Barreto deve deixar o MDB e disputar vaga na Câmara Federal em 2022, por um partido de esquerda e, principalmente, se o ex-presidente Lula for candidato.

*** Jackson não vai se filiar ao PT, mas estará apoiando o retorno de Lula talvez pelo Pros, que lhe abre as portas.

Estimular a empreender

Candidato a vereador, o radialista Marcos Tavares diz que “emprego de carteira assinada e concurso público, são importantes, mas há vida fora desses espaços”.

*** E sugere: “é preciso estimular desde criança a empreender”.

André atua no Rio

André Moura (PSC) já está atuando na Secretaria do Governo do Rio de Janeiro em Brasília. Na terça-feira e ontem teve audiências em Ministérios.

*** Disse que está focado no trabalho e esteve com ministros, além de conversar com dois deputados federais do Rio que estavam em Brasília.

*** André retorna amanhã a Sergipe e já tem agenda para visitas a cidades do interior, onde o PSC disputa Prefeituras e Câmara Municipal.

Com a boa política

O senador Rogério Carvalho (PT) disse ontem que o seu partido sempre esteve e sempre vai estar no lado certo da história.

***  – Um partido que tem lado, e se posiciona sempre ao lado daqueles que mais precisam, disse.

*** Rogério Carvalho disse ainda que “entre a velha e a nova política, eu fico com a boa política”!

É possível sonhar

Senador Rogério Carvalho (PT) diz ainda que não há democracia com fome, nem desenvolvimento com pobreza, nem justiça na desigualdade.

*** – Não podemos mais aceitar a destruição. Ainda é possível sonhar com um país melhor e juntos reconstruirmos o Brasil!

Alessandro e Damares

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) participou ontem de audiência com a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

*** Durante o encontro virtual, o senador apresentou à ministra um projeto específico para proteger as crianças e adolescentes no meio digital.

Uma boa conversa

Muito sem nexo – Aliança pelo Brasil emite nota avisando que ninguém está autorizado a falar pelo grupo, por mais descompromissada que seja a informação.

Não é favorável – A maioria dos candidatos reconhece que o clima ainda não é favorável a um pleito em plena pandemia.

Sem ter controle – Setores evangélicos estão trabalhando para elege o melhor nome à Prefeitura de Aracaju. Não há controle político sobre eles.

Direção Nacional – Valadares Filho (PSB), candidato a vice da delegada Danielle Garcia, está em Brasília para reunião com a Direção Nacional do partido.

Auxílio moradia – Conselho Nacional de Justiça (CNJ) proíbe pagamento retroativo de auxílio-moradia a magistrados.

Fábio Pannunzio – Witzel, num ato de sincericídio ontem, ao se ‘defender’ diante da Alerj: “Se fosse pra cobrar por decisão, eu tinha ficado na magistratura”.

Sugere bloqueio – Juca de Bala, candidato a prefeito de Laranjeiras, sugere bloqueio das contas da Prefeitura Laranjeiras por possíveis irregularidades.

Sistema de compras – Em um ano, mais de 1,2 mil municípios aderiram ao Sistema de Compras do Governo Federal, que é gerenciado pelo Ministério da Economia.

.