01/10/20 - 06:04:45

Ana Lúcia participa de ato contra a Reforma Administrativa em Aracaju

Durante manifesto, a petista destacou que a PEC 32/2020 vem destruir o serviço público mantido por impostos e que acolhe a população

A candidata à vice-prefeita de Aracaju, Ana Lúcia Vieira Menezes (PT), participou, na tarde desta quarta-feira, 30, da Caminhada em Defesa do Serviço Público e Contra a Reforma Administrativa, realizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT-SE), no centro de Aracaju. O ato público reuniu representantes de sindicatos, centrais sindicais e movimentos sociais em diversas manifestações contrárias ao governo Bolsonaro.  Em todo o Brasil, o dia também foi marcado por protestos presenciais e nas redes sociais.

Na oportunidade, Ana Lúcia declarou o seu apoio à classe trabalhadora contra o processo de desmonte do serviço público diante da proposta de Bolsonaro, Mourão e Guedes de promover uma Reforma Administrativa (PEC 32/2020) em plena pandemia, no momento em que, segundo ela, o acesso aos serviços públicos se tornaram ainda mais necessários para a população.

Ela também destacou que, caso a reforma seja aprovada, a medida prejudicará o acesso integral à serviços na área de saúde, educação, assistência social e políticas públicas que atendem a população. “O dia de hoje é de extrema importância para classe trabalhadora contra a reforma administrativa que termina por destruir o serviço público mantido por impostos e que acolhe a população, principalmente a maioria da classe trabalhadora e desempregada que precisa de atendimento. Estes serviços correm o risco de serem entregues aos entes privados que vivem no lucro e não atendem ao interesse público”, salientou.

A mobilização serviu, ainda, para questionar qual o posicionamento político dos candidatos a prefeitos, vice-prefeitos e vereadores dos 75 municípios sergipanos sobre a Reforma Administrativa que, de acordo com Ana Lúcia,  prega , entre outras perdas, a privatização dos serviços públicos, e autoriza o Poder Executivo, por Decreto-Lei, a alteração do Plano de Carreira e Estatuto dos Servidores, além de outros prejuízos trabalhistas, como a quebra da estabilidade no serviço público.

Fonte e foto assessoria