02/10/20 - 12:24:28

PROTESTOS EM DEFESA DO SERVIÇO PÚBLICO E CONTRA REFORMA ADMINISTRATIVA

Aracaju e mais 12 capitais organizaram protesto contra a proposta do governo Bolsonaro que desmonta o serviço público

Em todo o Brasil, manifestantes foram às ruas contra a política de destruição do Estado brasileiro. Em Aracaju-Sergipe, dirigentes sindicais, candidatas e candidatos de esquerda, militantes do movimento social construíram na tarde da quarta-feira, dia 30 de setembro, a Caminhada em Defesa do Serviço Público e Contra a Reforma Administrativa do Governo Bolsonaro.

A Caminhada partiu da Pça Camerino e seguiu pelas ruas no Centro de Aracaju. Na porta da Câmara de Vereadores de Aracaju, os manifestantes pararam para destacar alguns pontos da Reforma Administrativa que se trata de uma verdadeira reforma de estado: destrói o serviço público; expande a privatização das estatais; acaba com o concurso público; acaba com a verba vinculada para saúde e educação; abre brechas para a politicagem, o favoritismo, a perseguição política e demissão de servidores, entre outros pontos extremamente prejudiciais para toda população.

O professor Roberto Silva, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) e vice-presidente do SINTESE (Professores), destacou que a Reforma Administrativa vai concentrar muito poder na mão do Executivo facilitando gestões autoritárias.

Segundo Roberto Silva, com a aprovação da Reforma Administrativa, o presidente, os governadores e prefeitos poderão extinguir e criar cargos, extinguir órgãos, promover a remoção de servidores de um cargo para outro sem precisar de autorização do Poder Legislativo. Isso tudo poderá ser feito por decreto lei.

“O que o Governo Bolsonaro está tentando fazer com essa reforma é estabelecer um processo perverso de perseguição política contra seus opositores. Os servidores ficarão vulneráveis à perseguição do prefeito, governador ou presidente que estiver no comando naquele determinado momento. Ao mesmo tempo, essa reforma impulsiona o desmonte do serviço público com um processo perverso de entrega à iniciativa privada. Tudo isso é muito sério e ainda haverá o desequilíbrio entre os poderes da República. O Legislativo passará a ter um poder reduzido. Isso afeta a harmonia entre os poderes, afeta a nossa democracia”, explicou o professor Roberto Silva, durante o ato.

A manifestação foi organizada pelas centrais sindicais CUT, CTB, UGT e Conlutas, pelas frentes antifascistas Brasil Popular, Povo Sem Medo, UNE, USES e Fórum de Organizações Negras de Sergipe Contra o Racismo e pela Democracia.

Por Iracema Corso

Foto assessoria