16/10/20 - 00:07:13

Desapego a protocolos preocupa a Justiça

Diógenes Brayner diogenesbrayner@gmail.com

A campanha às prefeituras e câmaras municipais em todo o Estado continua. Além das máscaras – que apenas os candidatos usam – os protocolos para evitar a transmissão do Covid-19 são ignorados. Ninguém está preocupado com a possibilidade de um retorno da pandemia. Não se deseja isso, claro, mas ninguém pode se expor à transmissão e até frustrar um pleito que ainda deixa dúvida quanto à presença maciça dos eleitores ou de que forma eles vão se comportar durante a votação. A expectativa é de que a abstenção será excessiva, principalmente se houver um crescimento de casos no Estado.

Nas cidades do interior os cuidados com a pandemia jamais foram seguidos de forma rígida. A maioria dos seus habitantes imaginava que o Covid nunca chegaria lá. E vivia como se estivesse imune e livre de contrair a doença. Mas, infelizmente, muita gente sofreu as consequências de vírus que quando não mata deixa sequelas que podem marcar por muito tempo. As próximas eleições podem sentir o quanto à pandemia assustou o eleitorado e verá o reflexo na redução dos votos nas urnas e até mesmo em resultados presumivelmente favoráveis, que podem não ocorrer.

Há preocupação de setores da Justiça Eleitoral em relação à campanha. Juízes e promotores devem atuar para que sejam respeitados os protocolos da OMS, que podem evitar a expansão da doença, que são o uso de máscaras, distanciamento, lavar as mãos e inexistência absoluta de aglomerações. Isso não está acontecendo e nem é orientado por nenhum dos políticos que disputa o pleito, cujo resultado já será conhecido daqui a 30 dias. Nas carreatas os carros são lotados e as comemorações nas casas se tornam uma verdadeira bagunça – entre abraços e beijos – que passa a ser um convite para a proliferação do Covid-19.

Alguns juizes eleitorais, em cidades do interior e na Capital, já estão querendo iniciar a punição para quem não cumprir protocolos. Uma delas será a suspensão imediata dessas carreatas e manifestações, além das visitas às residências de eleitores sem que todos estejam seguindo critérios de segurança para evitar a transmissão. A Justiça Eleitoral pode culpar os candidatos, por considerar que são eles que provocam essas aglomerações, prejudiciais a um eleitorado que não se nega a receber quem está à frente de uma campanha e promove esses contatos que se tornam um risco à saúde.

De qualquer forma analisam-se todos os procedimentos possíveis, que podem provocar o retorno da pandemia, como já vem acontecendo em países da Europa. Entretanto é preciso avaliar medidas em momento de pré-campanha eleitoral, onde a presença dos candidatos é essencial. Tanto para que eles tentem cativar votos, apesar dos riscos que correm e provocam, quanto para os eleitores terem um ideia da escolha de um nome para administrar a cidade, embora essa avaliação ocorra de forma pouco proveitosa.

Extra – Culpa dos candidatos

Chega informação de que o TER-SE já fez reunião e a tendência é orientar o Ministério Público nos municípios, para que não permita aglomerações nas carreatas e nem atos que fujam aos critérios para barrar o coronavírus.

*** A orientação é responsabilizar os candidatos por atos que expõem a população à contaminação.

Elogio a Belivaldo

No final da reunião de ontem, com o comitê científico e setores da Educação sobre o retorno às aulas, o governador Belivaldo Chagas (PSD) foi surpreendido por um representante do Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos no Estado de Sergipe (Sintrase).

*** Ouviu elogios pela maneira que agiu para segurar a economia do Estado durante a pandemia.

Até foi xingado

Visivelmente emocionado, Belivaldo Chagas retornou ao microfone e fez um desabafo: “fui vítima de muita injustiça, incompreensão e até fui xingado”.

*** E continuou: “mas hoje não tenho dúvida que a sociedade sergipana reconhece a necessidade e importância das decisões que adotei”.

Falou sobre outdoor

Lembrou que até um outdoor espalharam contra ele, expondo sua fotografia e dizendo “caiu a máscara”! E acrescentou: “Nada contra o Sintese. Tenho respeito e consideração pelo sindicato e aprendi muito com ele”, disse.

*** A presidente do Sintese [Sindicato dos Trabalhadores da Educação em Sergipe] estava presente no auditório, mas ficou em silêncio.

Como fica a Câmara

Vereador da situação disse ontem que a Câmara Municipal tem 24 parlamentares, dos quais apenas 20 vão disputar a reeleição.

*** Desses 20, segundo ainda o vereador, no máximo se reelege “mais ou menos” 50%. O restante virá de candidatos novos com chances de chegarem lá.

*** Detalhe: dos 24 vereadores, 17 integram a base aliada ao prefeito Edvaldo Nogueira e que podem retornar até 10 no máximo.

Sobre Emília Correa

Segundo ainda informação da mesma fonte, a vereadora Emília Corrêa (Patriotas) talvez a mais popular da Câmara, só vai se reeleger se tiver mais de cinco mil votos.

*** Dentro do novo modelo de eleição para vereador, não será fácil chegar a esse nível de votação.

*** O vereador acrescentou que Emília já teria recebido os recursos do Fundo de Campanha, o que é absolutamente legítimo.

Também Cabo Aminthas

O vereador Cabo Aminthas (PSL) também vai precisar “estourar de votos”, para poder manter o mandato por mais quatro anos.

*** – Assim como Emília, Cabo Aminthas é que puxa voto para o seu partido. Não será fácil.

Como está a periferia

Quem circula pela periferia vê muitos cartazes e adesivos de campanha do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT), que tenta a reeleição.

*** Alguns da delegada Danielle Garcia (Cidadania), “mais o restante é quase zero”.

*** O candidato do PT pouco aparece. Imagina-se que é possível que o seu material não tenha saído da gráfica.

O amigo de Damares

A ministra Damares Lima grava outro vídeo para apresentar o candidato do Avante a prefeito de Aracaju, Lúcio Flávio, e praticamente pede votos para ele. Márcio é da linha conservadora e tem a simpatia da ministra.

*** O argumento para o vídeo: teriam perguntado a Damares se ela conhecia Lúcio e a resposta da ministra foi: “muito! É meu amigo”.

Não influencia

Parte dos candidatos a vereador pelo Avante não vota e nem pede votos para Lúcio Flávio, porque não o queria candidato a prefeito.

*** Um deles diz claramente que os vídeos da ministra Damares não influenciam junto aos seguidores do próprio Bolsonaro.

Desmente boato

Via zap, chega à notícia que o candidato à Prefeitura pelo PT, Márcio Macedo, iria trocar a campanha em Aracaju, para trabalhar pela eleição de Fábio Reis (MDB) em Lagarto.

*** Razão: com a eleição de Fábio, Márcio assume vaga na Câmara Federal.

*** Com a checagem o desmentido foi rápido: “é mentira! Fake news! Márcio está bem e tem potencial para 70 mil votos”, reagiu o experiente Rômulo Rodrigues.

Como está Lagarto

As pesquisas realizadas na cidade de Lagarto, onde a disputa e renhida, são barradas pela Justiça Eleitoral e as que são publicadas deixam os eleitores em dúvida.

*** Em Lagarto as avaliações são que não há uma definição do pleito, embora se admita que Fábio tenha mais chance, mesmo que Hilda seja bem na avaliada por seus eleitores.

Fica muito difícil

Segundo ainda informação de Lagarto, não há condição de qualquer composição entre os Reis e Valmir Monteiro, que está na linha de frente para eleger o filho Ibrahim.

*** Não há clima para isso e, apesar de estar na disputa, o candidato dos Monteiros não consegue superar a disputa entre Reis e Ribeiro.

Divisão do Fundo

O presidente municipal do PSB e candidato a reeleição, vereador Elber Batalha, disse que não criou expectativa sobre o Fundo Eleitoral, “mas quem criou se decepcionou”.

*** O PSB decidiu, de acordo com seus candidatos, custear o material de campanha dos candidatos homens com o Fundo e repassar recursos para as mulheres.

Ausência de Alessandro

Adversários de Danielle Garcia (Cidadania) cobram a presença do senador Alessandro Vieira (Cidadania) ao lado dela na campanha à Prefeitura de Aracaju.

*** Realmente ele não aparece e a informação é que a ausência de Alessandro fora a pedido da própria Danielle, porque ele tira voto.

Uma boa conversa

Subtenente Edgar – O senador foi pego porque o STF proibiu busca e apreensão nos gabinetes dos senadores, mas não mencionou a bunda, na decisão.

Gerson Camarote – Não me sinto no banco dos réus’, diz Marco Aurélio sobre divergência. Ministro do STF disse que continua ‘convencido do acerto’ da decisão que soltou traficante.

Com D. Maria – Um vereador, candidato à reeleição, admite que se Georlize Teles (DEM), que disputa a Prefeitura de Aracaju, circular ao lado da senadora Maria do Carmo, cresce muito.

Alexandre Garcia – Dinheiro sujo no lugar sujo do Senador. E Gilmar: “festival de erros, equívocos, omissões” sobre o traficante André do Rap.

BR Político – Pedro Arthur Ferreira Rodrigues tem longa carreira ao lado do pai e assume posição caso Chico Rodrigues venha a perder o cargo.

Sobre carteirada – Procuradoria Geral da República recorre do arquivamento de inquérito sobre desembargador da carteirada.

Agência Brasil – O crescimento de casos de covid-19 na Europa e as incertezas sobre a economia norte-americana voltaram a pressionar o dólar.

Clóvis Silveira – Você consegue o melhor dos outros quando você dá o melhor de você mesmo!