22/10/20 - 01:12:41

Alianças difíceis em segundo turno

Diógenes Brayner diogenesbrayner@faxaju.com

Um cenário para segundo turno fica meio complicado em Aracaju. Os partidos não estão pensando nisso. Tanto que não se poupam para uma possibilidade de composição mais à frente. A oposição tem discurso duro entre ela e não dá para enxergar chance de uma aliança futura para uma decisão final, que começa a ficar improvável pelo que está se vendo em uma campanha ainda desmotivada a apenas 24 dias do pleito. Percebe-se um fato que é preocupante: a grande maioria dos candidatos a vereador – não os que disputam à reeleição – está claramente indiferente aos majoritários dos seus partidos.

A razão é simples: o duvidoso Fundo Eleitoral não chegou ao bolso de quase nenhum deles, mas foi repassado a quem disputa a Prefeitura e espera se eleger com o apoio, voto e gastos de quem busca vencer todas as barreiras com objetivo de chegar à Câmara. Isso faz com que, cada cidadão que tenta eleger-se vereador, não tenha dificuldade em votar, junto com seu grupo, em nome diferente do cabeça de chapa do seu partido. Sem o fundo não existe compromisso e dificulta a unidade de cada aliança. E isso, com certeza, reflete na decisão de uma disputa em segundo turno.

A olho nu não se tem absoluta certeza de que haverá segundo turno. Queiram ou não, o nome do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) avança com os seus programas e com obras expostas no decorrer desses quase quatro anos de mandato, do qual o PT foi participante mas se nega a reconhecer. Mas, ouvindo opinião de pessoas bem enfronhadas no processo eleitoral, pode-se até imaginar que não deixará de ter uma segunda eleição. É também unânime que se acontecer será com o atual gestor, que não deixa duvida quanto à sua dianteira no pleito corrente.

Edvaldo está bem comportado. Não se refere de forma rude a qualquer dos adversários, mesmo que se mantenha como uma vitrine que excita o uso de estilingues. Estando no segundo turno, o prefeito se mostra aberto às composições, embora faça restrições a um ou outro que prefira não revela. Mas se admite que dificilmente – e põe dificilmente nisso – ele toparia um acordo com a delegada Danielle Garcia (Cidadania) e com o vice Valadares Filho (PSB), mas não pode recusar o voto de quem vai optar por essa chapa no dia 15 de novembro.

Já o Partido dos Trabalhadores é de casa. Aliado de todas as horas e que resolver por tentar reconquistar a majoritária na Capital, assim como fez  ex-governador Marcelo Déda. As arestas de campanha existem e vão continuar, mas como os petistas pensam em disputar o Governo em 2022, provavelmente não haverá resistência de um retorno ao ninho. E isso será natural que aconteça, até porque os eleitores dos dois têm semelhança para a escolha que sempre fizeram em outras eleições. Será um fato consumado, claro, mesmo que possa acontecer rejeições reservadas.

Mas a oposição não terá essa fácil escolha. Apenas por suposição: Caso a chapa da delegada Danielle Garcia e Valadares Filho vá para o segundo turno, será que tem o apoio de Marcio Macedo e Ana Lúcia junto a todo o PT? Torna-se impossível imaginar uma aliança tão heterogênea em pensamentos e atos. E se fosse Rodrigo Valadares contaria com o PT e Cidadania numa votação em segundo turno? Impossível a formação de um bloco tão desigual no estilo, nos gestos, no pensamento e, principalmente, numa fugaz ideologia que subsiste aos percalços.

Nessa situação exposta, em que se coloca Danielle no segundo turno com Edvaldo Nogueira, a recíproca é verdadeira entre os três de oposição. Em qualquer situação jamais terão apoio um do outro porque, além de diferentes no tipo e posição, jamais servirão para ingredientes de uma imensa feijoada. Já os candidatos a prefeito dos demais partidos, não apresentam tanta antipatia entre eles, principalmente em relação a Rodrigo Valadares.

A moda em Carira

Dinheiro escondido na cueca está em plena moda para os corruptos: primeiro foi com um deputado federal petista e recentemente com um senador demista. Não aconteceu nada com os dois e sequer perderam mandato.

*** Sergipe acompanhou a tendência e ontem o candidato a vereador Edílson Messias dos Santos, o “Vanzinho de Alto Verdes”, também foi flagrado na cidade de Carira com R$ 15 mil na cueca.

*** Como se tratava de quantia muito pequena, foi preso e talvez não possa mais disputar o vaga na Câmara, como os dois outros que tinham imunidade e poder para isso.

Estava com Dr. Robson

A informação passada à coluna, é que Vanzinho, pego com a grana na cueca, estava com o candidato a prefeito de Carira, Dr. Robson (Republicanos).

*** Os dois estavam no povoado Altos Verdes, daquele município. Robson conseguiu escapar.

Márcio lamenta

O candidato do PT à Prefeitura, Márcio Macedo, disse ontem que “a notícia de mais um incêndio em um empreendimento comercial de Aracaju, me deixou preocupado.”

*** – Na terça-feira, parte do depósito de uma importante loja de decoração da capital foi tomada pelas chamas, disse.

*** E continua: “Em momento tão difícil que todos nós estamos vivendo, por conta da pandemia, fatalidades como essas nos causam apreensão”.

*** Sobretudo pelos prejuízos que provocam. Peço a Deus que dê forças aos nossos empresários para que possam se restabelecer o quanto antes.”

Rodrigo picante

Candidato a prefeito de Aracaju pelo PTB, o deputado Rodrigo Valadares disse que a candidata à prefeita Danielle Garcia (Cidadania) já escondeu o senador Alessandro Vieira de sua campanha.

*** – Agora ela também escondeu o seu vice, Valadares Filho (PSB). Falta ela própria se esconder, disse.

Estão bem na chapa

Aliados da candidata è prefeita Danielle Garcia acusam Rômulo Valadares de criar factoides e tentar atingir a delegada “que está bem à sua frente”.

*** – Todo mundo vê que Valadares Filho e Danielle Garcia fazem campanha juntos em todos os momentos. Os dois estão bem na chapa, disse um deles.

Greve confirmada

Um influente membro do Partido dos Trabalhadores confirmou ontem a greve de membros da produção do programa de TV, por atraso no pagamento. Mas tudo já foi regularizado.

*** Há precariedade financeira, em razão de dificuldades nos repasses, que provocou atraso no pagamento.

Levam certo tumulto

A mesma fonte petista disse que as “personalidades levam a um certo tumulto, porque cada um quer ser melhor e mais poderoso que outro”.

*** Disse mais que existe uma disputa para melhor serem vistas pelo candidato, com objetivo de ser lembrado em caso de ganhar o pleito.

*** – Márcio não tem culpa de nada disso que está acontecendo, tem toda autoridade para reagir e tem todo apoio. Mas ainda não está exercendo, concluiu.

Mudança na campanha

A oscilação sobre novos casos do Covid-19 em Sergipe, que ontem atingiu mais de 500 pessoas, pode provocar mudanças nas regras da campanha em todo Estado.

*** Nem os candidatos e muito menos os eleitores estão cumprindo protocolos para evitar a contaminação e isso vai provocar controle nas passeatas e carreatas.

Fechar de portas

Um candidato a vereador influente, de oposição, vê Rodrigo Valadares produzindo o melhor programa de TV. Admite que ele surpreende na produção e isso atrai eleitor.

*** Sobre o programa Danielle, diz que “está ruim mesmo com a mudança”, e admite que “o senador Alessandro Vieira, mesmo ausente, tira-lhe votos”.

*** Avaliou que Rodrigo Valadares tem chance de chegar ao segundo turno, “mas fecha as portas para uma composição caso chegue lá”.

Aliança sem candidato

O grupo bolsonarista Aliança pelo Brasil, de extrema direita, não fala em apoiar algum dos candidatos a prefeito de Aracaju, que se declara ligado ao presidente.

*** Um dos seus membros disse que o nome de Tarantella, candidato a vereador, ainda é citado nas conversas entre eles.

Armados de celular

O candidato a prefeito de Estância pelo Psol, Márcio Souza, avisa que terá mil eleitores nas ruas para flagrar compras de votos.

*** Todos eles estarão ‘armados’ com um celular, prontos para fotografar qualquer ação suspeita e enviar para o TRE.

Sobre Fundo de campanha

Vereadores ainda estão à espera de uma grana proveniente do Fundo de Campanha, mas até o momento não receberam nada. Apenas a vereadora Emília Corrêa (Patriotas) foi contemplada.

*** Todos se perguntam pelo recebimento, mas não reclamam porque estão iguais. Só os majoritários tiveram esse direito.

Sobre direitos

O subtenente Edgar pergunta: “Como entender essa gente da esquerda”? E continua: “defendem o direito de fumar maconha e usar outras drogas, defendem o direito da mulher matar uma criança através do aborto”.

*** – Porém, não me dão o direito de decidir se injeto ou não uma substância no meu corpo. Ora! Meu corpo, minhas regras, diz.

Atende expectativas

O senador Rogério Carvalho (PT) admitiu que na sabatina com o indicado ao Supremo Tribunal Federal, Kassio Marques, demonstrou respeito pela Constituição e as leis. Mostrou-se alguém que cumprirá o ordenamento jurídico vigente.

*** – Kassio atendeu as expectativas de um desembargador com 10 anos de experiência na magistratura e no exercício da advocacia e se mostrou preparado para assumir a vaga no STF, aprovou Rogério.

Respeito às leis

O senador Rogério Carvalho (P) diz que tem muita preocupação com o “vale-tudo” instituído pela Lava Jato, que expõe o judiciário a uma situação vexatória, assim como o desrespeito à Constituição no caso da prisão em 2ª instância.

*** – Falamos isso com o desembargador Kassio Nunes na sabatina. O indicado ao TSE demonstra respeito às leis, disse.

Comunidade invisível

O jornalista Cristian Góes lança o livro “A Comunidade Invisível” em dezembro. Conta que “a comunidade é lugar privilegiado de encontro do Brasil com ele mesmo, mas ela é impedida por uma elite colonialista e racista, que odeia os povos originários e os negros africanos”.

*** – O pavor de que nos enxerguemos no espelho torna essa comunidade invisível, conclui sua rápida explanação.

Uma boa conversa

Apenas cinco – São onze candidatos a prefeito de Aracaju, mas estão na disputa para valer apenas cinco. Podem levar a decisão para segundo turno.

Avanço de Rodrigo – Um candidato a vereador aposta que Rodrigo Valadares está avançando e pode até ultrapassar Danielle Garcia.

Tem pesquisa – Tem gente fazendo pesquisas presenciais em Aracaju. Pelo menos uma delas respondeu sobre em quem votada. Acha que não era do Ibope.

Por telefone – Aliás, o Ibope faz pesquisa por telefone e isso sugere uma margem de erro grande em relação aos dados finais.

É um alívio – Kassio Nunes Marques no STF é um alívio para quem tem problemas com a lavajato e com denuncias de corrupção.

Rogério Carvalho – A justiça julga com a razão e não por motivações políticas. Quando a balança da justiça pesa para um lado, está se fazendo qualquer coisa, menos justiça!

Anna Flávia Schmitt – Não temos oposição de verdade no Brasil para o bom desenvolvimento e o crescimento da Nação, a esquerda daqui perde tempo com futilidades.

Gaudêncio Torquato – Se a vacina não será obrigatória, a contaminação vai pegar os rebeldes! O negacionismo se expande sob a égide da ignorância.