23/10/20 - 17:33:15

Análise – “CANDIDATURA DO PT PODE DESMORONAR EDVALDO”

*Edson Barbosa

No segundo turno das eleições eleições para Presidente da República, em 2018, portanto há exatos dois anos, Fernando Haddad, do PT, venceu Jair Bolsonaro, em Aracaju, por 52,76% dos votos na urna, contra 47,24%; dados do TSE, votos validados. Uma vitória enorme do PT em Aracaju, na contrafação da onda bolsonarista que ganhou a Presidência.

Hoje, há menos de 30 dias para o primeiro turno das eleições, a pergunta é: quem representa Bolsonaro e quem representa Fernando Haddad, Lula, Deda e a memória do que se fez na política e na gestão em Aracaju, nos últimos 20 anos?

De um lado, a delegada Daniele e o deputado Rodrigo Valadares, se matam pelo cacife do capitão, sendo que Daniele ainda tem que explicar o que pensa a respeito de Sérgio Moro, da vazajato, do governo da cidade, e do seu casamento com Valadares Filho, os queridos irmãos Amorim, Eduardo e Edvan, além de outros políticos que ela até ontem gostaria de meter em cana. Mas a política é outra coisa, muda as pessoas.

Na sua cola, Rodrigo, também Valadares, recém convertido a evangélico. É difícil acreditar nesse tipo de fé, que propõe a violência. Aracaju é uma cidade de paz.

Isso não estaria de acordo com o que pensava o seu pai, meu querido Pedrinho Valadares, com quem tive a honra de partilhar a assessoria direta a Eduardo Campos por muitos anos. Custo a acreditar no que tenho escutado de Rodrigo. Pedrinho era um democrata, pacificador.

Representando as tradições da esquerda sergipana, aracajuana, Márcio Macedo. Marcio uniu o PT, fez ver aos seus pares que é possível recompor forças e governar. Obteve o apoio do Senador Rogério Carvalho, um dos cientistas mais importantes da saúde brasileira, construtor do SUS, do Samu, do Saúde Todo Dia, ao lado de Deda, de Lula, de Alexandre Padilha.

Márcio Macedo tem na vice governadora Eliane Aquino, o respeito e a lealdade da única política, na moral, que pode falar por Marcelo Deda. Não apenas porque dignamente professa que o legado de Deda não é dela, mas de todos aqueles que o carregam no coração. Eliane é líder política, respeitada pela sua ação efetiva como política e gestora, sobretudo em benefício dos programas revolucionários que defende, agindo organicamente em benefício dos que mais precisam. É uma mulher ética que faz valer a seriedade das suas práticas.

Marcio recebe do deputado federal João Daniel, o voto de confiança dos trabalhadores rurais do Brasil, em Sergipe, com foco político em Aracaju, onde apresentam Camilo como candidato a vereador.

Obteve o apoio de Henri Clay, e dos candidatos a vereador pela Rede Sustentabilidade. Clay, como candidato ao Senado, teve mais de 100 mil votos em Aracaju em 2018 (o segundo mais votado na cidade), foi disputado quase a tapa pelos seus adversários, é líder inconteste dos advogados e da Rede, partido traído pelo Senador Alessandro, patrono da delegada Daniele.

Organizando politicamente sua base territorial na Zona Norte, Mosqueiro, Santa Maria, Bugio e outros bairros populares, Marcio Macedo recebeu o apoio de primeira hora dos irmãos Sérgio e Robson Viana. Ninguém, em Aracaju, representa com tanta força o espólio político eleitoral do ex-governador Jackson Barreto como o ex-vereador mais votado da cidade, Robson Viana. Alguma duvida? E eles estão com Márcio.

Pra coroar a sua construção política eleitoral, Márcio foi abençoado pela professora Ana Lúcia, como sua vice-prefeita. Ana é um respaldo de coerência política, pessoal, profissional e ética, da maior grandeza, na opinião do eleitorado de Aracaju. É o que dizem todas as pesquisas de opinião que temos feito.

Ou seja, Márcio é um candidato forte na disputa.

Mas a maior vantagem eleitoral de Márcio é a enrascada na qual se meteu o prefeito Edvaldo Nogueira. Depois de toda uma vida dedicada ao glorioso Partido Comunista do Brasil, Edvaldo resolveu pular a cerca e entregar-se nos braços largos do ex-deputado André Moura, da turma de Temer e Eduardo Cunha, o que dispensa maiores comentários. Foi pro PDT, trocou o 65 pelo 12, não coincidentemente o número dos apóstolos de Jesus, entre os quais havia um traidor. Edvaldo trocou Lula por Temer, em Aracaju. A memória de Deda pela amizade com André Moura.

Me parece que Edvaldo anda muito irritado com seu pessoal de comunicação. Como explicar, depois de tantos anos de propaganda pesada, sem adversários aparentes, ele não conseguir superar a margem de erro nos 30 por cento de intenção de votos que as pesquisas de opinião lhe atribuem, mesmo com a generosa flexibilização de alguns institutos, no número que apresentam.

Mas, o que deve mesmo estar tirando o sono da cabeça estratégica do prefeito é que quase a metade dos que declararam voto nele, nas últimas pesquisas, pensavam que o prefeito ainda tinha o apoio do PT, do time de Lula, de Fernando Haddad, de Deda, Eliane, Rogério, João Daniel, Ana Lúcia.

Quanto mais encaixa a informação de que o PT tem candidato próprio, mais Edvaldo tende a desidratar, perdendo votos para Márcio, que deve ser o seu adversário no segundo turno. Não por acaso, o Ibope apontou Márcio com 6 por cento das intenções de votos, tendo partido do 0, além da menor rejeição entre os maiores concorrentes. Apenas 22% dos eleitores rejeitam Márcio. Edvaldo tem uma rejeição de 28%.

Porém, como a tremedeira pode ser maior do que suponho, na barca do prefeito, tá sujeito pintar um segundo turno improvável entre Márcio Macedo e Rodrigo Valadares, afinal, são as duas novidades nos últimos 10 dias, de acordo com os dados que tenho aqui na telinha da hora.

Pra finalizar, está divertidíssima a história do jurídico de Edvaldo ter representado contra a propaganda de Márcio por conta de um quadro de humor, onde a tia Estrela trata de um “…fio do cabrunco mentiroso que ao invés de verdadeiro, é de mentira…”. O prefeito botou a carapuça e fez nascer nas redes sociais o personagem Ed Mentira, lembrando o anti herói do mal, Dick Vigarista, imortalizado no desenho animado, Corrida Maluca. É fogo no parquinho. Próximos capítulos, a conferir.

*Jornalista e publicitário, foi o coordenador das ações de comunicação e marketing do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos. É consultor voluntário na campanha de Márcio Macedo.