28/10/20 - 12:40:30

“Será programa de governo o combate à depressão, suicídio e automutilação”, diz Rodrigo

Nesta segunda-feira, 26, o candidato a prefeito de Aracaju, Rodrigo Valadares, destacou que fará em seu governo um programa de combate à depressão, ao suicídio e à automutilação, priorizando salvar e resgatar vidas.

“Vamos combater o mal do século com muito amor e trabalho”, declarou.

Atual Deputado Estadual e presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Vida, Rodrigo já vem atuando no combate à depressão. Criou o projeto “Voluntários pela Vida” que resgata pessoas que sofrem deste mal que acomete milhares pessoas, principalmente os jovens, e declarou que pretende prosseguir com a atuação de forma mais amplificada, inclusive com o apoio do Governo do Presidente Jair Bolsonaro.

Vale ressaltar que, enquanto presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família, recebeu, na Alese, a Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e também Pastora da Igreja Batista, Damares Alves que, em sua gestão, lançou a campanha “Acolha a Vida”, visando prevenir o suicídio e a automutilação em todas as faixas etárias, especialmente em crianças, adolescentes e jovens.

“Nosso primeiro projeto para isso é o combate e a prevenção, é levar esse programa que temos de forma mais ampla aos aracajuanos, ou seja, vamos ter um programa de acompanhamento de pessoas com depressão, tentativa suicida, com automutilação, em parceria com igrejas, escolas e profissionais capacitados. A gente quer salvar vidas”, destacou.

Experiências no projeto

O projeto criado pelo candidato bolsonarista já resgatou diversas vidas, deixando o sentimento de gratidão e restauração aos que passaram. Como é o caso de Stephanie Taynah, que deu o seu depoimento de cura.

“O projeto ‘Voluntários pela Vida` me ajudou muito. Eu estava completamente destruída emocionalmente e lá eu consegui me reerguer, lá eu tive pessoas que me ajudaram, seguraram em minha mão e me mostraram qual caminho seguir. Hoje estou curada, não penso mais em suicídio, não penso mais em automutilação. Faço acompanhamento psicológico pelo projeto e sou muito feliz e grata por esse projeto ter aparecido em minha vida”, disse.

O mesmo aconteceu com Maria Luísa que, segundo ela, teve sua vida transformada.

“Cheguei no projeto voluntários pela vida de um jeito inesperado e, quando cheguei lá, fui muito impactada por cada palestra, por cada momento que a gente viveu ali. Algumas feridas que estavam bem escondidas, que eu achei que já estivessem curadas, foram curadas naquele momento. Eu tinha pensamentos suicidas, pensamentos muito ruins a meu respeito, a respeito da minha família e tudo aquilo foi feito de uma maneira muito única e simples, isso foi o que mais me chamou atenção”, contou”.

Em gratidão a todos os envolvidos, Maria Luísa destacou ainda o seu desenvolvimento após passar pelo projeto.

“Todo o cuidado de cada psicólogo, do Rodrigo, da Moana, da Bispa Vanilda, enfim, todos eles nos acolheram de um jeito muito único e muito simples e eu amei cada momento que eu passei ali. Foi muito importante para o meu crescimento como mulher, como pessoa, curou muitas feridas minhas desde a triagem, até o momento no qual a gente se reuniu… Hoje eu falo para todo mundo sobre o projeto”.

Já Júnior Santos resumiu toda a sua experiência em reencontrar a si mesmo.

“O projeto foi um divisor de águas na minha vida, onde eu pude me conhecer e me encontrar quanto pessoa. Em um momento onde eu vivia perdido, encontrei respostas”.

Para Rodrigo Valadares, ouvir estes depoimentos é motivo de grande alegria e a certeza de que está no caminho certo.

“As pessoas que estão sofrendo de Depressão, primeiramente, precisam de alguém que possam ouvi-las para que, depois, sejam encaminhadas aos profissionais da área. Mas, antes de tudo, o que essas pessoas precisam é de muito amor,” concluiu.

Fonte e foto assessoria