06/11/20 - 01:11:00

Contagem do pleito é confusa

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

Uma das preocupações de candidatos a vereador e prefeito, tanto na capital quanto no interior, é com a frieza do eleitor em relação ao pleito. Todos vêm percebendo total ‘congelamento’ do distinto público, em um quadro de reta final, onde já deveria se perceber alguma euforia em torno das candidaturas. Teoricamente, a essa altura do campeonato, a maioria do eleitorado exibia preferências por algum nome ou partido, mas há uma quase absoluta indiferença em relação ao que vai acontecer dia 15, cujo resultado traçara uma definição das cidades por mais quatro anos.

Em Aracaju, provavelmente por brincadeira, um ex-deputado disse que apostaria, com quem topasse, que as abstenções superariam a presença do eleitor às urnas. Um exagero claro, mas na mesa a opinião dominante era de que o voto em branco seria um dos maiores já contabilizados em pleitos anteriores. Em Aracaju, carreatas realizadas não são vistas com a presença intensa da população, assim como a receptividade a parte significante de candidatos. Estranhamente, alguns eleitores estão procurando identificar quem disputa o pleito pelo partido ao qual é filiado. Por que essa necessidade de escolher a sigla?

O formato das eleições a vereador deste ano dificulta as previsões. Será eleito o mais votado em cada partido. Mesmo assim, caso a sigla chegue a um limite entre 11 a 12 mil votos. Quem obter seis mil votos, vai precisar de um bom empurrão, dos que tiveram somas inferiores, para fazer o primeiro eleito, Muito difícil para um partido de pequeno ou médio porte atingir a número tão elevado em um momento difícil como o atual, quando ainda se recente da terrível pandemia que trouxe tristeza e problema.

Os partidos maiores, com aproximadamente sete bons nomes, inclusive alguns que buscam reeleição, podem chegar a eleger no máximo quatro candidatos, que tenham média de quatro mil votos e sejam beneficiados pelo ‘troco’ alto dos que consigam números inferiores, não se elejam, mas sirvam para ‘escorar’ os que estão em cima. Haverá muita confusão e um insistente pedido de recontagem, que depende de decisão judicial. Experimenta-se algo novo, estilo ‘cláusula de barreira’, que deixará muita gente convicta da vitória, mas não confirmada através das urnas.

Quanto às eleições a prefeito de Aracaju, o quadro não sugere mudança. O prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) segue firme na cabeça e avança para se eleger já no primeiro turno, dia 15 de novembro. Essa é a avaliação de muita gente habituada a levantamentos eleitorais antes da abertura das urnas, através da tendência que percebe, mas a maior opinião é de que haverá segundo turno, em que a delegada Danielle Garcia (Cidadania) e Rodrigo Valadares (PTB) se digladiam via ‘recados’ fortes pelos programas de TV e redes sociais.

O candidato do PT, Márcio Macedo, não aparece nessas avaliações, mas ontem, depois de uma carreata no bairro Jabotiana, um dos integrantes do partido admitiu: “com certeza, Márcio não ficará em quarto lugar”.

Bolsonaro por acaso

Nenhum dos candidatos a prefeito ou vereador soube da presença casual do presidente Bolsonaro em uma lanchonete de Aracaju, abraçando o povo depois de comer um pastel com suco de laranja.

*** O presidente aproveitou o pouso, por questões climáticas, do vôo que o levava a Piranhas (AL). Atravessou a avenida e foi fazer um lanche em frente ao aeroporto.

Sem candidato

Em plena campanha eleitoral a vereador e prefeito, Bolsonaro não se referiu a ninguém e cuidou de ampliar sua popularidade junto a moradores das proximidades do aeroporto.

*** Lógico, que se algum dos candidatos que decanta sua simpatia por Bolsonaro, soubesse de sua presença, o próprio presidente talvez tivesse se arrependido de ter descido do avião.

Belivaldo telefona

O governador Belivaldo Chagas estava dando ordem de serviço para obra de rodovia entre Riachão dos Dantas e Lagarto, quando soube da aterrissagem do avião presidencial em Aracaju, por questão de teto em Piranhas.

*** Belivaldo ligou para o ministro Chefe da Casa Civil e foi comunicado do problema, mas o vôo já havia prosseguido.

Parques itinerantes

Na reunião de ontem do Comitê Científico foi analisado os números do Covid-19 e se percebeu que estão sob controle. Mesmo assim, só os parques de diversão itinerantes vão poder ser montados.

*** Com a pandemia percebeu-se que os parques sofreram muito, por ficarem desarmados há tanto tempo. Podem funcionar a partir de dezembro.

Aulas em 2021

Há dúvida ainda sobre a abertura das aulas e ficou praticamente evidente, nas análises feitas pelo comitê, que só serão reabertas em janeiro ou fevereiro de 2021.

*** As razões são a dificuldade de controle dos protocolos pelos estudantes, principalmente crianças.

Cachaça do Barão

O deputado federal Laércio Oliveira (PP) participou da audiência do governador Belivaldo Chagas com o presidente Jair Bolsonaro, terça-feira.

*** Laércio aproveitou e presenteou o presidente com uma garrafa da Cachaça do Barão. A bebida é produzida na cidade de Araras, interior de São Paulo.

Uezer e o Patriota

O presidente regional do Patriota em Sergipe, Uezer Márquez, disse ontem que o seu objetivo é reeleger a vereadora Emília Corrêa como a mais votada e mais dois candidatos à Câmara.

*** Uezer não vê clima de campanha e admite que a pandemia fez com que o eleitor não fosse às ruas e perdesse o entusiasmo pelas eleições.

*** Acrescentou que ouviu algumas pessoas dizerem que “Emília só será reeleita por milagre”, mas ironizou: “Aracaju tem cientista político por metro quadrado”.

Sobre posições

Uezer Márquez acha que o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) tem chance de ganhar as eleições, “mas não será em primeiro turno”.

*** Para ele a oposição está dividida e se bate muito entre seus integrantes, o que fortalece o prefeito Edvaldo Nogueira.

Quem vai à disputa

Ainda segundo opinião de Uezer Márquez, a disputa para ir ao segundo turno acontece – pau a pau – entre a delegada Danielle Garcia (Cidadania) e o deputado Rodrigo Valadares (PTB).

*** Para Uezer, Danielle vem caindo muito e Rodrigo Valadares cresce o suficiente para chegar à final.

*** Quanto a Marcio Macedo (PT), Uezer diz que o partido ainda não voltou a empolgar, porque o eleitor está magoado com os fatos denunciados.

Cidade avermelhou?

Mas o candidato do PT, Márcio Macedo, vê que Aracaju “avermelhou”, emborra ainda não se perceba isso a olho nu.

*** Segundo Márcio, ‘Aracaju quer a mudança, quer paz. Chegou a hora de voltarmos a ser uma cidade de desenvolvimento e cuidado com as pessoas’.

O que se discute

O presidente regional do Avante, Clóvis Silveira, acha que a discussão do momento é se haverá ou não segundo turno.

*** Admite que o prefeito Edvaldo Nogueira esteja a caminho de decidir o pleito no dia 15, “porque a essa altura quem vota nele não muda mais”.

*** Para Clóvis não terá fato novo nessa reta final que mude o panorama e admite que se houver segundo turno será com Danielle Garcia ou Rodrigo Valadares.

Interesse pelo partido

O ex-deputado estadual Nelson Araújo, candidato a vereador pelo DC, estranha uma posição do eleitor. Quando ele pede o voto, ouve a pergunta: “Qual seu partido?”

*** Nelson Araújo vê uma campanha fria, sem participação do eleitor e acha que haverá excessiva abstenção, principalmente na votação para vereador.

Ararinha e Carcará

Segundo ex-deputado Heleno Silva, em Canindé do São Francisco a “ararinha do sertão vai derrubar o carcará enviado pelo PT, para fazer o marketing do candidato a prefeito Weldo Mariano”.

*** Refere-se ao marqueteiro Glauber Carcará, enviado para fazer a campanha de Weldo em Canindé. Segundo Heleno, o tom “é pesado e violento”.

Uma boa conversa

Voto impresso – O presidente Jair Bolsonaro defende que o voto seja impresso nas eleições de 2022 e disse que vai trabalhar politicamente para isso.

Compra de voto – Circulam denúncias, ainda sem provas, de que candidatos a vereador compram votos em bairros de Aracaju nessa reta final.

Tentam informação – Repórteres ligaram ontem para o Palácio buscando informação sobre a presença do governador Belivaldo Chagas no desembarque casual de Bolsonaro.

Ausência do eleitor – As carreatas quando não organizadas decepcionam os candidatos em razão da ausência total do eleitor.

Roberto Requião – Deparo-me no Twitter com devotos de alguns políticos. Não consegue entender o raciocínio crítico. Desta forma, os deleto.

Emir Sader – Quando canais de TV brasileiros suspenderão a transmissão quando o Bolsonaro mentir?

Leonardo Boff – Nunca vi um ocaso de vida tão lúgubre como o da Leda Nagle, dando ouvidos a um bolsonarista mentiroso, falsário e caluniador.

Medidas que arrepiam – Dois fatos jurídicos recentes que arrepiam a sociedade: liberdade para André do Rap e, agora, o pior: estupro culposo.