11/11/20 - 11:46:17

COMÉRCIO APRESENTA GRANDE RECUPERAÇÃO NO MÊS DE SETEMBRO, DIZ FECOMÉRCIO

O presidente do sistema Fecomércio/Sesc/Senac, Laércio Oliveira, comemorou os resultados das vendas do comércio varejista sergipano do mês de setembro, depois da análise dos dados estudados pela assessoria executiva do sistema, sobre os números da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo IBGE. Os dados apontaram um crescimento exponencial no volume de vendas e receita auferida pelos estabelecimentos comerciais do estado.

O comércio varejista ampliado em sua variação mensal comparativa com o mesmo mês do ano anterior, utilizado como parâmetro da assessoria executiva, apresentou uma variação de crescimento de +12,3%. O que mostra que o comércio voltou à força de atividade após o período que foi afetado pela fase mais dura da pandemia do coronavírus, com o fechamento das lojas por um longo tempo. Setembro apresentou o segundo mês de crescimento nas vendas em variação anual comparativa, diante do mesmo mês de 2019. Laércio disse que a força do comércio é provada nesse momento que a economia ainda enfrenta dificuldades, por conta dos danos decorrentes da COVID-19.

“O comércio sergipano tem muito o que comemorar, com esses resultados apresentados. O crescimento de 12,3% diante do ano passado é uma excelente notícia e corrobora com nossas projeções de crescimento, superando as expectativas de todos. As empresas estão vendendo muito mais que no ano passado, mesmo com tudo o que aconteceu. Isso reflete diretamente no mercado, com mais receita circulando nas empresas, o que mostra a volta dos consumidores para as lojas, resultando em crescimento dos empregos com carteira assinada que percebemos em setembro. A confiança do consumidor no comércio resulta nesse indicador extraordinário para a nossa economia, com um grande crescimento de vendas e potencial criação de mais oportunidades de trabalho”, disse Laércio.

A receita nominal das empresas do comércio varejista ampliado elevou em 16,8%, movimentando muito mais recursos que o esperado. De acordo com lojistas, o crescimento das vendas vinha sendo sentido ao longo dos últimos meses. Nas últimas reuniões com empresários na Fecomércio, o clima era de ânimo com a recuperação das vendas. Laércio Oliveira lembrou que o comércio retomou sua força, pelo entendimento das pessoas indicando que podem fazer suas compras com segurança, diante da proteção oferecida pelos empresários nas lojas e a taxa de transmissão da doença, que se encontra em níveis muito baixos.

Vendas do comércio varejista ampliado, setembro 2019. Fonte: IBGE

“Há três meses que percebo a melhoria da condição da pandemia em Sergipe, com os estudos que a Fecomércio vem realizando diariamente sobre o tema. Previmos e acertamos quando seria o pico da pandemia, a perspectiva de volta das vendas e a recuperação da atividade comercial. Todas as nossas projeções foram exitosas e isso também tem o fator determinante de que o consumidor entendeu que pode fazer suas compras nas lojas do comércio com segurança, pois as empresas estão garantindo a proteção do público contra o coronavírus. O comércio está se recuperando dos problemas sérios que a pandemia provocou, crescendo e voltando com muita força”, afirmou Laércio Oliveira.

Contudo, mesmo com o crescimento destacado, a variação de vendas do ano de 2020 ainda está em saldo negativo, com -6,9% ano longo do ano. Esse indicador chegou a ser de quase -30%, também apresentando uma queda muito acentuada. De acordo com a estimativa da Fecomércio, o ano fechará queda nas vendas, diante de toda a turbulência que o comércio atravessou. Laércio disse que a projeção realizada pela Fecomércio pode ser vencida pela recuperação que o comércio apresenta no momento.

“Nossos estudos indicam que o comércio poderá fechar com um saldo negativo anual de -5% nas vendas. Isso ainda será resultado dos quatro meses que as lojas estiveram fechadas, mas os dados desde a reabertura dos estabelecimentos comerciais apontando esse grande crescimento, nos dão boas expectativas. Depois desse resultado, revisamos os números para -4%, pois estamos confiantes que as vendas aumentarão significativamente nos meses finais do ano. Temos o Natal Iluminado no Centro, as promoções, a Black Friday, as vendas do natal e as ações dos shoppings, que irão ajudar a amenizar ainda mais os problemas que vivemos”, comentou Laércio Oliveira.

fonte e foto assessoria