12/11/20 - 00:25:57

Campanha sem conquistas

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

Termina na noite desta quinta-feira os programas políticos gratuitos, mas até sábado, os candidatos podem usar as rede sociais para campanha eleitoral, assim como a distribuição de material gráfico, caminhadas, carreatas e passeatas. Difícil que haja alguma mudança no cenário que se apresenta agora, porque o povo não despertou para um pleito que trás marcas profundas de uma Pandemia, que  ainda amedronta com possibilidade de retorno. Acredita-se que o fim desse medo pela preservação da vida, só termina com a vacinação segura.

Os programas exibidos nas emissoras de TV pouco serviram para expor bons projetos dos candidatos. Não dá para avaliar que alguém tenha trocado sua opção eleitoral em razão do que assistiu na televisão, ou do que tenha visto e ouvido nas redes sociais. Pode-se dizer que o candidato do PTB, Rodrigo Valadares, foi quem melhor soube usar os seus espaços publicitários, chegando a crescer o suficiente para se colocar em terceiro lugar nas pesquisas – inclusive do Ibope – e ser elogiado por uma faixa de eleitores mais novos.

Rodrigo Valadares se revela à frente inclusive do PT, partido que tem força eleitoral em Aracaju, mas que ficou estacionado em quarto lugar. Aliás, Rodrigo se mostra animado e demonstra certeza absoluta que está no segundo turno. De direita radical, conservador e bolsonarista convicto, o candidato do PTB/PSL foi criativo, crítico e de boa presença diante das câmeras, o que conquistou votos, até de segmentos que não se esperava. Talvez tenha sido o único que se tornou mais conhecido através do seu programa eleitoral.

A delegada Danielle Garcia (Cidadania) errou o tempo todo. Desde a composição que montou – o que destruiu o projeto do “novo” – até às encenações televisivas, Não ensaiou para ser candidata, mas para fazer o papel de uma delegada violenta, pronta para puxar a arma e revelando tendência de transformar a Prefeitura numa ampla e agitada Delegacia. Pôs medo ao eleitor. Nesses momentos finais ela percebeu que o estilo violento não agradava e abrandou o formato do programa, revelando meiguice, educação, serenidade e gestos mais apropriados a uma cidadã receptiva às pessoas e até às crianças. Talvez seja tarde demais.

A informação que circula é que Danielle despencou nas avaliações dos institutos, mas ontem um político que a acompanha disse que ela vai disputar o segundo turno com Edvaldo Nogueira (PDT). Alias, a delegada e o deputado são os nomes citados por vários segmentos da sociedade, como possíveis adversários do prefeito na disputa final em 29 deste mês. Políticos mais velhos e experientes falam que “o garoto – referindo-se a Rodrigo – tem mais chance”.

O programa de Edvaldo Nogueira se transformou em uma exposição de obras feitas nos quase quatro anos de administração e na revelação de projetos já definidos para os próximos anos. Apesar de ter sido a vitrine que resistiu a todas as críticas dos adversários – o que é natural – ele se transformou em unanimidade sobre a presença no segundo turno. Essa constatação fez com que, mais uma vez, o colunista fosse visto, por um ilustre candidato a vereador, como um “edvaldista incurável”, embora ele próprio tivesse a mesma opinião em relação à posição do prefeito no pleito.

Até domingo, pouca coisa pode acontecer, mas já agora, a três dias do pleito, tem pessoas certa de que o prefeito já se reelege no domingo. Um presidente de partido, que não apoia Edvaldo, diz que o resultado do Ibope, a ser divulgado hoje, pode mostrar a chance de vitória em primeiro turno, mesmo que o instituto nem sempre acerte em suas avaliações.

Declaração repercute

Repercutiu muito a declaração do governador Belivaldo Chagas (PSD): “o povo de Aracaju já disse, pela voz das pesquisas e com grande clareza, que não quer Márcio, como prefeito, nem pintado a ouro.”

*** E conclui: “essa é uma mensagem objetiva que parece que só o próprio Márcio Macêdo não quer ouvir e nem entender. Problema lá dele”.

Teria rompido

Depois dessa reação do governador Belivaldo Chagas, a questão “rompimento” com o PT inundou os bastidores políticos nas conversas de ontem.

*** Mesmo assim, alguns integrantes do bloco acham que isso “deve ser contornado em nome da unidade do grupo, que se mantém desde 2010 com algumas alterações”.

*** Mas uma significativa parte do bloco considera que “o PT, com a decisão de lançar candidatura própria”, teria rompido qualquer entendimento.

Eliane quer a verdade

Sem se referir diretamente ao assunto, a vice-governadora Eliane Aquino (PT) disse: “quero a verdade. Todos sabem o respeito que tenho pelo erário e pela população”.

*** Sobre a declaração de Márcio Macedo de que o Governo estaria gastando na campanha, Eliane disse: “Acho que a fala não foi bem assim”. E deixou claro que se referia ao termo “gastando na campanha”.

*** Quanto à possibilidade de Marcio estar no segundo turno, Eliane disse: “adoraria ter uma bola de cristal para responder”.

Eliane vai às redes

Eliane Aquino foi às redes, ao anoitece, e explicou: “o uso de máquinas públicas em campanhas eleitorais é prática condenável”.

*** E acrescentou: “nunca usei, não uso e abomino quem o faz. Sobre esse e outros temas, tratarei depois de 15 de novembro”.

Grande indignação

Eliane Aquino diz ainda que “pensou não precisar reafirmar, mas o momento exige: sou da escola de Marcelo Déda. Nela, a ética e o respeito ao erário sempre foram premissas claras”.

*** Disse ainda que “a insinuação de que eu estaria usando máquina pública em campanha eleitoral me causou grande indignação”.

Volta às aulas

Na próxima quinta-feira haverá reunião do Comitê Científico para tratar sobre o início das aulas ainda este mês, mas os estudantes só vão à escola se quiserem.

*** Caso preferiam, podem continuar em casa, assistindo as aulas remotas.

*** A Secretaria da Educação está cuidando das salas de aulas, higienizando-as e deixando tudo pronto para receber os alunos. Os professores acima de 60 anos ficarão em casa.

Direita radical dividida

O candidato do Avante a prefeito de Aracaju, Lúcio Flávio, resolveu atacar o também candidato a prefeito Rodrigo Valadares (PTB), ambos da direita, conservadores e se apresentam como bolsonaristas.

*** Lúcio não tem pontuado bem nas pesquisas e aparece muito pouco. Já Rodrigo é visto com chances de ir para o segundo turno.

*** A direita radical se divide de forma estúpida nessa reta de chegada.

Rodrigo vê desespero

Rodrigo Valadares fala que Lúcio Flávio se diz de direita e nunca criticou a esquerda, “centrou a sua campanha contra mim”.

*** – Desespero de quem não tem apoio do povo, disse.

Laércio e Edvaldo

Perguntado sobre o quadro político nesta reta final, o deputado federal Laércio Oliveira (PP) foi rápido: “o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) ganha no primeiro turno”.

*** E justificou: “Falo isso sem nenhuma paixão política, mas pelo que tenho visto nas carreatas, através da receptividade e declarações das pessoas por onde passo”.

Reclamação na curva

Laércio contou que ficou impressionado com uma carreata no bairro Getúlio Vargas: “os carros vinham por uma rua, mas o itinerário fazia com que ela dobrasse à esquerda e não percorresse todo o trecho”.

*** – A população que esperava exatamente na parte posterior à curva, veio correndo para ovacionar o prefeito e reclamar que a carreata não tenha passado por lá.

*** Edvaldo ainda tentou mudar o roteiro para atender aos eleitores, mas não foi possível em razão do itinerário projetado.

Campanha sem polarizar

Vereador já por duas vezes, o médico Antônio Samarone (Cidadania) disputa mais uma vez vaga na Câmara Municipal de Aracaju e usa as redes sociais para conquistar votos.

*** – O que me chama a atenção – diz Samarone – é uma campanha fria, apática, que não polarizou.

*** Samarone imaginou que haveria polarização “até pela questão nacional, mas esquerda e direita não estão em campo para isso”.

Não terá abstenção

Como candidato a vereador, Samarone avalia que não terá grande abstenção no pleito. E diz o motivo: “são 720 candidatos a vereador em Aracaju e todos eles têm familiares, amigos e eleitores”.

*** Samarone já participou de cinco eleições municipais: perdeu três e elegeu-se em duas. Na primeira que ganhou obteve 5.014 votos, e na segunda ficou com 4.700.

*** – Nas duas, tive apoio da metade do que estou tendo agora, disse animado.

Compra de votos

Três candidato a vereador de Aracaju – dois deles do interior – estão atuando firme na compra de votos em bairro da Zona Norte da cidade.

*** O valor por voto que oferecem é de R$ 50, mas quem vende está achando muito barato. Se a Polícia Federal atuar na região, principalmente à noite, pode fazer até flagrante.

Deputado deixa grupo

Zezinho Guimarães (MDB) deixou ontem o Grupo dos Deputados da Alese, em que os parlamentares dialogam via WhatsApp.

*** A mensagem de Zezinho: “peço que me excluam desse grupo, porque dentro dele tem um ‘X-9’ e isso é coisa de filho da puta”.

Programas mudam

Nos últimos programas, Danielle Garcia (Cidadania) tem mostrado que é pessoa normal, sabe sorrir e até conversar. Esqueceu do autoritarismo que expunha como delegada.

*** Danielle, entretanto, afastou mesmo Valadares Filho (PSB) do seu lado durante o programa de TV. Foi estratégia de marketing para evitar críticas sobre velha política.

*** Já a delegada Georlize Teles (DEM) mostra agora maior presença no programa e relata fatos que podem até influenciar no pleito de domingo.

0x0

Luiz Fernando Garcia, conselheiro aposentado do Tribunal de Contas do Amapá, morreu ontem no Rio de Janeiro, onde residia.

*** Luiz era irmão do ex-governador daquele Estado, Gilton Garcia

Uma boa conversa

Boa revelação – O candidato a vereador pelo Podemos, Arlindolindo se tornou uma revelação da Zona Norte e trabalha com chances de chega à Câmara de Vereadores.
Trabalho social – Arlindolindo reside há anos no bairro 18 do Forte, onde atua através de trabalho social, além de se estender pelos demais bairros da região.
Ultimo dia – Hoje é o último programa eleitoral dos candidatos a vereador e prefeito. Também sai hoje a última pesquisa do Ibope sobre Aracaju.

Disputa difícil – Ainda tem muita gente indecisa em relação ao voto a prefeito e mais ainda a vereador. A disputa pela Câmara Municipal será difícil.

Orlando Guerreiro – Desde ontem e até domingo nenhum eleitor poderá ser preso, exceto em flagrante. É como se todos os brasileiros fossem tucanos.

Revista Fórum – Após Russomanno derrubar Datafolha em São Paulo, Bolsonaro diz que “pesquisa é arma para quem tem dinheiro.”

Revista Fórum – TV Cultura se recusa a noticiar bravatas de Bolsonaro: “162 mil mortos não permitem adjetivo de palanque.”

Flávio Dino – Com casos de coronavírus fortemente presentes, podemos ter, em todo o país, um dia de votação bem complicado e alta abstenção no domingo, especialmente nas capitais.