17/11/20 - 05:44:04

Em assembleia, professores da rede estadual decidem não retomar as aulas presenciais

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe (Sintese) anunciou no final da tarde desta segunda-feira (16), que os professores da rede estadual de ensino decidiram, por meio de assembleia virtual, não retomar as aulas presenciais.

O SINTESE enviou ofício ao governador do Estado de Sergipe, Belivaldo Chagas, solicitando que a retomada das aulas presencias na rede estadual de ensino, marcada para esta terça-feira (17), seja adiada, diante da impossibilidade de retorno.

No ofício, o Sindicato dos educadores de Sergipe alerta que na esmagadora maioria das escolas estaduais não foram realizadas obras estruturais para adequar os prédios escolares às medidas sanitárias editadas pelo próprio Governo de Sergipe.

É importante ressaltar que em quase todos os estabelecimentos de ensino da rede pública estadual faltam servidores administrativos para executar os protocolos sanitários, que como se sabe, são necessários para conter a disseminação da Covid 19 e assegurar a limpeza, higienização e sanitização dos ambientes.

No ofício, o SINTESE ainda alerta que a Secretaria de Estada da Educação, do Esporte e da Cultura (SEDUC) está transferindo recursos para as escolas municipais para a compra de EPI’s, EPC’s, materiais de limpeza e de higienização, além de pequenas serviços para atender às exigências sanitárias, sem considerar o tamanho do prédio escolar, a quantidade de salas de aulas e a matrícula. O que acarreta na compra insuficiente de materiais

“O que estamos vendo é uma tentativa de retorno atabalhoada e sem planejamento por parte do Governo do Estado e da SEDUC. Para se ter uma ideia, até a presente data, apenas algumas poucas unidades de ensino criaram a ‘Comissão Escolar de Fiscalização das Medidas Sanitárias’ para garantir o retorno seguro das aulas presenciais, com a participação dos professores, estudantes, pais, mães e dos servidores técnicos-administrativos. Para além da falta de planejamento, falta diálogo e falta bom senso por parte do Governo do Estado. O fato é que a pandemia ainda não acabou e não seguir protocolos significa colocar vidas em risco”, preocupa-se a presidenta do SINTESE, professora Ivonete Cruz.

Outro ponto fundamental, quando se pensa em retornar às aulas de maneira presencial, é ter um plano de transporte escolar. Este plano deve estar em consonância com os protocolos e medidas sanitárias, para proteger os estudantes e também professores e professoras que residem em um município e exercem sua profissão em outra localidade. Mas até a presente data, o plano de transporte escolar também não foi apresentado pela SEDUC.

Além disso, todo este processo é marcado pela completa falta de diálogo. A SEDUC não dialogou com o SINTESE, nem com professores e professoras da rede estadual, sobre o Plano de Retomadas das Aulas Presenciais. E para torna a relação ainda mais complexa e penosa, o Governo de Sergipe até agora não criou o auxílio financeiro, a partir do Salário-Educação, para subsidiar as despesas que os professores e professoras estão tendo, mensalmente, para cobrir os custos operacionais das aulas não presenciais.

Diante de todos este problemas, o SINTESE solicitou em seu ofício que antes da retomada das aulas de forma presencial, o Governo do Estado realize a testagem em massa de Covid 19 em todos os professores, professoras e estudantes que foram convocados para o retorno presencial nessa primeira fase, conforme o disposto na Resolução nº 03, de 15 de outubro de 2020, do Comitê Técnico-Científico e de Atividades Especiais (CTCAE). Bem como apresentar um plano de monitoramento e testagem periódica.

O SINTESE pede ainda a suspenção da retomada das aulas presenciais, nas escolas de rede estadual de ensino, prevista para a próxima terça-feira, dia 17, a fim de que o Governo do Estado possa assegurar  que todas as escolas estaduais serão  devidamente desinfetadas, conforme os protocolos sanitários regulamentados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)

“Solicitamos ao governador Belivaldo Chagas uma audiência, em caráter de urgência, para que sejam planejadas e adotadas, o quanto antes, medidas governamentais em defesa da vida de professores, professoras, estudantes, diretores de escolas, coordenadores e dos servidores da área administrativa da educação. Medidas que evitem um surto de Covid 19 e contaminação em massa com a retomadas das aulas presenciais. Aulas podem ser repostas, vidas não”, enfatiza a presidenta, professora Ivonete Cruz.

Com informações do Sintese

Foto ASN