20/11/20 - 00:01:41

Confronto e caso de polícia

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

O debate político é um risco para qualquer candidato que disputa o final de uma eleição, como acontece agora em Aracaju. Marcado para amanha, o confronto pode ser uma boa “pegadinha” para os dois, mesmo para aquele que imagina ter a carta na mão para fechar o jogo. Geralmente o confronto político interessa a quem está em situação complicada e precisa de fato novo para chegar próximo ao que está à frente. Também é muito importante esse tipo de debate, quando os dois candidatos estão pau a pau e podem ganhar por “um nariz”. Mas, numa distância quilométrica, em nada favorece qualquer embate, principalmente quando um dos dois não tem limite e parte para o bate boca.

O jornalista Luis Eduardo Costa faz análises dessas situações há muitos anos e enxerga muito longe nas suas deduções. Luis relatou ontem uma decepção que teve: “foi ver o ódio escorrendo da candidata Danielle, dizendo que uma das características de Edvaldo Nogueira é a covardia.” E aconselha: “Não se vence eleição com insultos, o eleitor não se impressiona com bravatas. Não se administra uma prefeitura exibindo valentia  A coragem moral é sempre silenciosa, e dessa coragem, que é também humildade e bem querer, Edvaldo deu provas ao longo da vida.”

O confronto político, seja de que tribuna for, merece equilíbrio e respeito, mesmo que seja áspero e entre adversários que se odeiam. Danielle Garcia pecou muito em seu programa no primeiro turno, inclusive por decisão dela. Quis mostrar ao eleitor que era uma delegada corajosa, disposta, sem medo e que puxaria o revolver para enfrentar até  quem não a achasse bonita. Foi um tiro no pé. Passou um autoritarismo bem característico de quem se julga que, em sendo autoridade policial, pode tudo. Muito criticada, tentou amenizar no final, mas ainda discursa de dedo em riste.

Passou, com essa sua exibição teatral, receio à sociedade em ter uma feroz policial disposta a enfrentar a população, em caso de eleger-se prefeita e exibir lisura num eterno combate à corrupção, de forma tão intensa que sequer olha para o lado. Ir com uma delegada agressiva para um debate, sinceramente, é temoroso e se “corre o risco de  sair algemado”, mesmo em se tratando de um adversário inocente. Danielle está ansiosa para um bate boca e deixa passar a impressão que tem provas contundentes em mãos para nocautear o adversário, esquecendo que, às vezes, um simples documento de negligência pode derrubar monstros indomáveis.

Um bom debate é ótimo e deixa o telespectador atento para ver quem oferece melhor condição de estar no comando de uma cidade, com inteligência, tranquilidade, simpatia e educação. Seria esse o cenário para colocar o telespectador a pensar. Mas, no quadro que já fora exposto anteriormente, com característica punitiva, qualquer confronto pode até se tornar em “triste caso de polícia”.

Pode ficar ausente

A coordenação de campanha do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) ainda analisa se ele deve ou não participar do debate amanhã na TV Atalaia.

*** A maioria dos partidos que o apoia defende que Edvaldo não vá para um debate que não muda em nada o retrato do momento e só beneficia à Danielle Garcia.

*** Hoje a coordenação vai anunciar a decisão, que tende para a ausência.

Beneficia oposição

Um dos defensores da ausência de Edvaldo diz que “Danielle Garcia não se portou no primeiro turno de modo a ensejar realização de debate no segundo”.

*** Acrescentou que durante o seu programa se viu “agressão,  ofensas e fakes que continuam e proliferam”. E conclui: “debate só é bom para a oposição”.

Como fica o debate?

A TV-Atalaia não deixará de apresentar o debate, sábado, mesmo sem a presença do prefeito Edvaldo Nogueira, caso seja comunicada sua ausência.

*** A decisão da direção da TV é montar o cenário para o debate, deixar a cadeira vazia e o mediador entrevistará a candidata Danielle Garcia (Cidadania).

*** Com um reparo: caso Edvaldo se sinta ofendido pela adversária, terá direito de resposta dentro de uma mesma estrutura.

Apoio crítico

A expressão “apoio crítico”, que o PT de Sergipe utilizou para anunciar que vota com Edvaldo Nogueira não é nova e foi usada inicialmente na Inglaterra.

*** O apoio crítico é aquele que o partido libera seus filiados para votar em candidato da mesma linha política, porque veta qualquer apoio ao concorrente.

*** O PT não vota em Edvaldo e não em Danielle porque considera a delegada de extrema direita e fascista.

Alguns exemplos

O deputado federal Marcelo Freixo (Psol-RJ) defendeu o “apoio crítico” do partido ao candidato à Prefeitura do Rio, Eduardo Paes (DEM), que disputará o segundo turno com Marcelo Crivella (PR).

*** O PDT deve liberar ou declarar apoio crítico a Manuela, em Porto Alegre.

*** Em 2016, o PDT aprovou ‘apoio crítico‘ a Haddad no segundo turno à Prefeitura de São Paulo, porque Ciro Gomes não subiria no palanque com o petista.

Patriotas libera

O presidente do Patriotas, Uezer Márquez, disse que a decisão do partido em ficar neutro nas eleições em segundo turno, foi tomada porque as opiniões se dividiam.

*** Disse que não houve problemas para tomar essa posição e confidenciou que foi procurado pelo candidato a vice, Valadares Filho, para apoiar Danielle.

Parabéns a Emília

O deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB), que teve apoio do Patriotas na disputa pela Prefeitura, parabenizou “a vereadora Emília Correa pela sua postura correta e coerente de declara neutralidade no segundo turno.”

*** Para ele, isso “só reforça a certeza que escolhi as pessoas certas para caminhar politicamente. Parabéns, Dra. Emília”!

Satisfazer a vaidades

Um integrante importante do PT admitiu que “o partido não poderia tomar outra posição que não fosse o de apoiar Edvaldo Nogueira (PDT) neste segundo turno”.

*** Explicou que a “palavra ‘crítico’ foi apenas para justificar o erro de ter lançado uma candidatura única e dividir o bloco para satisfazer a vaidades.”

*** Disse ainda que “a decisão da candidatura solo foi tomada contra a vontade de vários militantes, que preferiam se manter com Edvaldo”.

Relação trincou

Depois das eleições é provável que o Partido dos Trabalhadores deixe a base aliada e busque um outro caminho, mesmo estando com a vice-governadoria.

*** A ideia é a formação de uma Frente de Esquerda que inclua a Rede, Pros e outros partidos que estejam na mesma linha.

*** Há um detalhe: grupo forte do PT não deseja a separação, mas setores do Grupo de apoio ao Governo acham que não há mais clima para uma boa convivência.

*** – Simplesmente o relacionamento trincou, disse um político do bloco governista.

Dinheiro vivo

A fonte é de boa índole: na semana final da eleição em um município do centro sul de Sergipe, R$ 1 milhão saiu do gabinete de um deputado e ajudou a virar o jogo nas eleições.

*** Além do deputado haviam mais duas pessoas, que levaram o dinheiro para o município.

Muita dificuldade

O médico Antônio Samaroni (Cidadania) publica na rede uma foto dos ex-governadores João Alves Filho (DEM) e Marcelo Déda (PT) juntos aos risos no aeroporto.

*** Acima a legenda: “Sergipe está encontrando muita dificuldade em substituí-los”!

Fábio e Orações

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) também publicou nas redes: “nossas orações estão pela pronta recuperação do nosso governador João Alves”.

*** E desejou: “Que Deus o abençoe e que possa se recuperar o quanto antes”.

Terá reveillon

As festas de reveillon estão liberadas em Sergipe, desde que atendam aos protocolos. Os promotores desses festejos terão que enviar à Secretaria da Saúde documento solicitando autorização de mostrando o projeto de realização.

*** Caberá à Vigilância Sanitária analisar e autorizar ou não a festa.

Uma boa conversa

Segunda onda – O subtenente Edgard diz: “Eu nunca dei importância à primeira onda do coronavirus, imagine a segunda”.

Verônica Andrade – Em um dos meus empregos somos três diaristas que revezamos as visitas aos pacientes da UTI. Uma está de férias e a outra de atestado. A outra sou eu.

Agência Brasil – O Senado aprovou projeto de lei que amplia acesso à internet banda larga em escolas.

Senado Federal – Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, cobra providências e pede ações do governo federal no Amapá.

Torce por João – Sergipe acompanha atenta a situação de saúde do ex-governador João Alves Filho e torce para que ele se recupere rápido.

Novo apagão – Diretores da Aneel foram afastados por decisão da Justiça Federal após novo apagão no Estado do Amapá.

Pegou quente – Segundo Mônica Bergamo, “aos berros e sem máscara, Crivella chama João Doria de “vagabundo” e “viado”.

Deu no Estadão – Ministério da Saúde espera crescimento de mortes para agir contra ‘segunda onda’ de covid