20/11/20 - 07:29:17

Novembro azul: por que os alguns homens resistem em ir ao médico?

Se comparado às mulheres, os homens tendem a não manter uma rotina de exames periódicos e com isso frequentam menos os consultórios médicos. E quando o assunto é fazer o check-up preventivo anual para o câncer de próstata, por medo ou vergonha, há uma resistência ainda maior, principalmente, em determinadas faixas etárias.

“Além do preconceito, a ignorância sobre como é realizado o exame é preponderante para essa resistência. Há uma sexualização do procedimento no sentido de ato sexual anal, que reverbera no receio em ter o ‘corpo invadido’. Existe o preconceito em relação ao exame do toque retal. Muito desse comportamento é devido ao machismo estrutural que questiona a virilidade e a sexualidade masculina caso seja necessário realizar o famoso exame.” considera o psicólogo Naldson Melo.

Naldson explica ainda que as desculpas para não ficar cara a cara com um especialista passa ainda pelo medo real de descobrir uma enfermidade e de ter que encarar um possível tratamento oncológico.

“Mais uma vez, o machismo influencia fortemente nessa preocupação. O homem foi criado para ser mantenedor, cuidador, para ser forte no sentido de não demonstrar fraqueza.  E com isso, vários sintomas podem aparecer, desde traços característicos de transtornos de ansiedade, até a depressão, além de comorbidades psicossomáticas”, informa.

Para o psicólogo, a família tem papel fundamental, do incentivo à manutenção de uma rotina preventiva e em caso de diagnóstico e tratamento.

“O acolhimento e o suporte emocional são fundamentais para uma recuperação mais breve. Não vitimizar o indivíduo também é algo importante para não comprometer a autoestima durante o processo de tratamento oncológico”.

O presidente do Conselho Regional de Psicologia de Sergipe, alerta ainda que o mês de novembro é um marco, e traz uma campanha que não somente conscientiza como também salva vidas, mas adverte que os cuidados precisam ser mantidos durante todo ano.

“O Novembro Azul serve para alertar sobre a importância do diagnóstico precoce, mas devemos nos manter sempre atualizados em relação a exames periódicos que visam a prevenção”, conclui Naldson Melo.

Assessoria de Comunicação | CRP19