02/12/20 - 00:10:38

PT sugere retornar ao ninho

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

O presidente regional do PT em Sergipe, deputado federal João Daniel, não concorda que o seu partido fique distante do grupo que se afastou durante as eleições municipais de novembro. Defende que o PT retorne integralmente ao bloco político liderado pelo governador Belivaldo Chagas (PSD) e que estejam juntos nas eleições de 2022. Tem uma visão de unidade e reconhece que o PT não pode ficar distante de um grupo que tem um projeto político definido, desde o período do ex-governador Marcelo Déda, e que se vinculou a ele já nos primeiros passos.

João Daniel concorda que não há necessidade de falar sobre as eleições de 2022, mas enxerga que o bloco do qual o PT se desligou terá três cargos majoritários no próximo pleito – governador, vice e senador – e admite que a legenda pode disputar um deles, em razão da representação eleitoral que expõe em Sergipe. Aliás, a legenda está satisfeita com o desempenho nas eleições municipais por todo Estado, em razão do número de prefeitos, vices e vereadores que conseguiu eleger.

Já houve uma conversa entre João Daniel e o presidente regional da Rede, advogado Henri Clay, que defende a formação de uma Frente de Esquerda em Sergipe. O objetivo do encontro foi trazer o partido de Henri para também se integrar ao bloco comandado pelo governador Belivaldo Chagas, visando as eleições de 2022. A primeira informação é que Henri topa, mesmo sem avaliar ainda o sentimento das siglas que ficaram magoadas com um rompimento parcial. Entretanto, o que imagina a coligação que reelegeu Edvaldo Nogueira (PDT) é que a reconciliação não será fácil.

A gota d’água para essa rejeição foi uma denúncia do então candidato a prefeito Márcio Macedo (PT), de que o Estado e o Município estariam gastando dinheiro para reeleger o prefeito. O que doeu mais foi à presença, ao lado de Márcio, da vice-governadora Eliane Aquino, sem que se manifestasse contra a declaração que atingia um Governo que ela faz parte. Isso ficou tão engasgado na estrutura governista, que não será tão fácil um retorno à mesma mesa, como se não houvesse ocorrido nada. Mesmo com essa repulsa, alguns integrantes do PT serão bem recebidos de volta ao grupo, como é o caso do próprio deputado federal João Daniel, assim como o do senador Rogério Carvalho.

O afastamento do PT para disputar a Prefeitura também está na visão de eleitores como uma saída sem volta. Além disso, dentro dos partidos que apoiaram Edvaldo não há clima para uma recomposição, exatamente em razão de uma ruptura parcial, que atingiu a todos e provocou não apenas insatisfação, mas repulsa e quebra de confiabilidade na sigla como um todo. Será difícil, mas as conversas podem quebrar arestas em busca de um entendimento que tenha limites. Até 2022 há muito que se discutir, convencer, se abraçar e jogar as mágoas fora. Mas não dá para deixar de admitir que as implicações podem ser eternas. Nesses casos, “todos se perdem na volta”, contrariando a tese de José Américo.

Telefone a Francisquinho

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) e Ulices Andrade telefonaram ontem para o prefeito Valmir de Francisquinho (PL). Agradeceram a declaração de que votaria em um dos dois a governador do Estado em 2022.

*** Francisquinho agradeceu, reafirmou a sua intenção e mantém posição de filiar-se ao PSD, caso seu partido não concorde com sua posição.

Samuel lembra Luciano

O deputado estadual Capitão Samuel diz que o prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PL) anuncia voto no PSD a Governo em 2022.

*** Samuel lembra que o “cotado para vice na chapa que terá o PSD, está o presidente da Alese, deputado Luciano Bispo (MDB)”.

*** – Com isso, Itabaiana pode se unir, com Valmir votando em Luciano Bispo. Dois grandes líderes político, disse.

Maioria com Luciano

Na Assembleia Legislativa a grande maioria dos deputados tem o mesmo pensamento em relação a Luciano Bispo (MDB) integrar a chapa majoritária em 2022, pela sua participação no grupo desde o início.

*** Além disso, Luciano atuou diretamente das eleições do grupo desde Marcelo Déda (PT), passando por Jackson Barreto e em 2018 com Belivaldo Chagas.

André assume PSL

O deputado federal André Moura está mesmo com o PSL e esta semana começa a atuar para assumir o partido em Sergipe e inclusive filiar-se a ele.

*** André também pretende levar o pessoal que o acompanha a filiar-se ao PSL, inclusive prefeitos eleitos pelo PSC no pleito de novembro.

*** Até o momento André não anunciou candidatura, mas sua filha Yandra vai disputar a Câmara Federal pelo PSL.

Rodrigo vê boato

O deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) disse que, “pelo que nos consta da Nacional o PSL permanece conosco”. Seu irmão, Fábio Valadares, é o presidente regional.

*** Disse que “não vi nenhuma declaração pública de André Moura nesse sentido. Acredito que seja boato. Isso já aconteceu outras vezes”.
*** Rodrigo acrescentou que falou com Luciano Bivar, presidente nacional do partido e estava tudo normal.

Organizando grupo

Rodrigo Valadares disse ainda que está organizando a direita e que teve ontem em reunião com um dos segmentos, para realizar um encontro com vários movimentos de direita aqui no Estado.

*** – Não é fácil unir diversas agendas, mas estamos caminhando pra o entendimento de fazermos um grupo amplo, dentro de um mesmo partido, disse.

*** Acredita que a divisão dos nomes em vários partidos acabou enfraquecendo a direita. “Estamos trabalhando agora para mudar isso”.

Danielle na 3ª Delegacia

A delegada Danielle Garcia (Cidadania), que disputou o segundo turno à Prefeitura de Aracaju, já está retornando ao trabalho na Secretaria de Segurança.

*** Ela vai ocupar a Terceira Delegacia Metropolitana do Santos Dumont, que à noite funciona como a Central de Flagrantes (plantonista).

JB disputa em 2022

O ex-governador Jackson Barreto disse ontem que em 2022 verá a formação de chapas proporcionais e vai disputar vaga na Câmara Federal.

*** Vai conversar com o governador Belivaldo Chagas mais à frente para tratar sobre esse assunto.

*** Uma coisa é certa: Jackson deixa de vez o MDB, mas antes vai tratar com seus companheiros que fundaram o partido em Sergipe.

Reunião do PP

O deputado federal Laércio Oliveira (PP) participou ontem de reunião da Direção Nacional do seu partido, em Brasília, que discute a votação da Mesa da Câmara Federal.

*** O acordo feito para eleger Rodrigo Maia se baseou que no pleito seguinte o novo presidente seria Arthur Lira e agora estão falando em reeleição do presidente atual.

Congresso travado

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) diz que o Congresso está travado pela tentativa inconstitucional de reeleição de Rodrigo Maia e Alcolumbre.

*** E pergunta: “Quem pagar a conta é o Brasil?”

Cassação de diploma

A oposição em Capela diz com convicção que a prefeita reeleita Silvany Mamlak será cassada até o dia 17, data da diplomação, por flagrantes de compra de votos.

*** Cabe à juíza eleitoral de Capela julgar o processo e impedir a sua diplomação, Caso não aconteça, o caso fica sob responsabilidade do TRE-SE.

Uma boa conversa

Subtenente Edgar – Maria do Rosário é doente mental, ela acha que os bandidos compram armas nas lojas autorizadas, com registro em nome deles.

Lembra Cazuza – Um deputado de esquerda vai filiar-se a um partido centro. Sem preocupação, ele lembra Cazuza: “Ideologia, quero uma pra viver”.

Incomoda pessoas – Por que a sexualidade dos outros incomoda algumas pessoas? O quê muda na sua vida se a pessoa é gay, hetero, bi, trans…?

Revista Fórum – Ministério Público denuncia morador de condomínio que fez ataque racista a motoboy.

Sinal de pele – Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a quantidade de exames para detectar câncer de pele caiu 48% em 2020 em relação ao ano anterior.

Revista Fórum – Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aprova paridade de gênero em eleições de seccionais a partir de 2021.

Francisco Castro – Consultoria suspeita de corrupção nos Correios é contratada para realizar estudos sobre a privatização da estatal.

Radar – Bolsonaristas e petistas se unem nas críticas a novo emprego do ex-juiz Sérgio Moro, em empresa ligada à Odebrecht.

Ponto de Vista

2020 UM ANO DIFERENTE 

*João Augusto Gama

O ano de 2020 será um divisor de épocas na história da humanidade. Como 2001 com a derrubada das Torres Gêmeas em New York , ou 1939 com a deflagração da 2ª Guerra Mundial. A pandemia de coronavírus, que não terminou e ninguém sabe como terminará, deixa marcas terríveis na história mundial.

Gostaria de ser otimista, mas a realidade é dura. Sem líderes o mundo balança. A União Europeia, uma promessa de um mundo melhor, está sangrando. A União que poderia ter avançado terminou sendo comandada por burocratas em Bruxelas. Foi tímida quando deveria ter sido audaciosa. Emparedou-se quando deu poder de veto a qualquer um dos seus membros. Inicialmente eram oito, depois vinte três. As decisões são tomadas por unanimidade e não por maioria. O Brexit, como ficou conhecida a saída da Inglaterra, em janeiro de 2020 foi o tiro de misericórdia na união europeia.

A Guerra dos seis dias, em 1967, entre árabes e israelitas, trouxe consequências brutais, ao longo dos anos para o mundo. O assassinato do presidente egipcio Gamal Abdel Nasser em 1970 deixou o mundo árabe sem uma liderança capaz. Nasser não queria a guerra em 1967. As colinas de Golã foram ocupadas e anexadas à Israel desde a guerra. A faixa de Gaza, território palestino, uma área densamente povoada, onde vivem 1.800 mil pessoas em exíguos 365 km2, é frequentemente bombardeada por Israel. Os árabes deturparam o Alcorão e passaram a adotar uma guerra terrorista, criminosa, de degolamento com gravações para conhecimento do mundo. É a política da barbárie.

O racismo tornou-se corriqueiro. A violência contra o negro no mundo é diária. Faz parte das nossas vidas. E o pior, nós nos calamos. O telefone celular com suas câmeras testemunha a banalização da maldade, na expressão de Hannah Arendt. Todos os dias um negro é assassinado, ou diversos. Mulheres, homossexuais, transexuais a todo momento sofrem violência, são vítimas de homicídios ou, no mínimo, de constrangimento.

O mundo tem sido vítima do comunismo e do anticomunismo. Cada um à sua maneira tiranizou a humanidade. A URSS desapareceu no final do século passado sem deixar saudade. O comunismo perdeu, nos últimos cem anos , a grande oportunidade de transformar positivamente o mundo. De ser um instrumento para trazer grandes avanços. Trouxe tortura e tirania. Nações inteiras foram massacradas. Os expurgos infelicitaram a  Rússia. Os próprios companheiros que fundaram a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas foram fuzilados. A Grande Fome em 1921  dizimou cinco milhões de pessoas. Sobraram as  excrescências, fora do contexto mundial, como Cuba e a Coreia do Norte. O comunismo chinês transformou a China na maior nação capitalista do mundo.

Em 1979,  com a ascensão de Margaret Thatcher iniciou-se todo um trabalho de destruição do regime de Welfare State, o regime de bem estar social que foi o grande avanço da sociedade depois da segunda guerra mundial. Com a posse de Ronald Reagan em 1981 ampliou-se o trabalho contra os avanços sociais. Era a implantação do neoliberalismo em escala mundial. O neoliberalismo vinha para tirar toda a rede de proteção social. O Chile com Pinochet é um dos primeiros países a aderir às teses neoliberais. Até as empresas aderiram ao neoliberalismo com a aplicação dos planos de cotas ou metas. Os objetivos têm que ser alcançados de qualquer maneira. No final do mês , tenho que zerar as minhas cotas. No dia primeiro do mês seguinte já devo os objetivos do mês, em uma corrida neurótica, doentia. E realmente a sociedade está doente.

A pandemia do coronavírus exibiu governos ineptos, incapazes de enfrentar o problema, como o governo brasileiro e o americano. Discute-se até a nacionalidade de uma vacina como se a doença tivesse pátria. Teremos que conviver com o coronavírus. A Influenza que vitimou a humanidade em 1917, chegando a provocar em torno de 50 milhões de mortos, até hoje circula entre nós . Vírus mutável a vacina também muda a cada ano. A Influenza veio para ficar. O coronavírus parece que também veio para ficar.

No agônico ano de 2020 não  vejo, sob nenhum escrutínio, motivo para otimismo. De qualquer forma, um Feliz Natal e um próspero Ano Novo de 2021.

* ex-prefeito de Aracaju