19/12/20 - 10:12:16

Alunos das terceiras séries do Ensino Médio participam de avaliação diagnóstica

Avaliação possibilitará ter um desenho dos impactos das atividades remotas e verificar o nível de aprendizagem dos estudantes. Duzentas e seis escolas estaduais participam nessa primeira fase

Alunos do 3º ano do ensino médio (em todas as modalidades) da rede estadual de ensino estão participando da avaliação diagnóstica de aprendizagem, promovida pela Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura. Está sendo esperada a participação de 20.979 estudantes de 206 escolas. A ação teve início na última segunda-feira, 14, e prossegue até o dia 23 de dezembro. A avaliação está prevista em portaria da Seduc e servirá para diagnosticar o impacto das atividades realizadas remotamente durante o período de distanciamento social e verificar se o nível de aprendizagem dos estudantes, nos componentes curriculares de Língua Portuguesa e Matemática, está de acordo com a série/ano de ensino em que esses alunos se encontram.

O caderno de provas é composto de 52 questões,  26 das quais são de Português e 26 de Matemática. Para os estudantes que estão fazendo online, os resultados são imediatos. Já para os que optaram por fazer presencialmente, o processo de aplicação e inserção dos resultados na plataforma vai até 30 de dezembro.

Na tarde desta terça-feira, 17, no Colégio Estadual 17 de Março, em Aracaju, 28 alunos participaram da avaliação diagnóstica de aprendizagem. Desse total, 25 responderam às questões de maneira online e três optaram por fazê-lo presencialmente. A diretora Shirley Suellen Ramalho Santos Silva destacou a importância de os estudantes passarem por essa checagem de conhecimentos. “A avaliação e monitoramento diagnóstico servirão para termos um parâmetro de quais ações iremos tomar com a retomada das aulas. É importante sabermos em qual nível os alunos se encontram a fim de que, a partir daí, possamos fazer planejamentos futuros para a aprendizagem deles”, disse.

Os três alunos que responderam à prova presencialmente resolveram as questões no pátio da escola, onde as aulas estão sendo ministradas com todos os cuidados de distanciamento. Um dos que participaram foi Thiago Matias dos Santos. “Acredito que essa prova ajudará mais a gente a ver como está o nosso nível em Português e Matemática, ver o que aprendemos nesse período em que tivemos aulas remotas”, declarou.

Sua colega Cléssia dos Santos Santana também optou pela prova presencial. “Isso vai nos dar a possibilidade de vermos se estamos bem avaliados ou não para sair daqui com conhecimentos para o Enem. Essa prova vai me ajudar a ver o que eu aprendi nesse tempo em que estudamos em casa, de forma online”, afirmou.

Lucas Celestino dos Santos também compartilhou sua opinião. “É gratificante poder participar dessa avaliação, que irá mostrar o que eu aprendi nas aulas online; o que os professores conseguiram nos ensinar nesse tempo todo”, disse.

Outra unidade de ensino em que os alunos participaram da avaliação diagnóstica de aprendizagem foi a Escola Estadual Professor Acrísio Cruz, também na capital. Ao todo, 37 alunos se submeteram às provas de Português e Matemática, 14 dos quais fizeram presencialmente, na quarta-feira, 17, e 23 fizeram de maneira remota nesta quinta-feira. “Com essa avaliação, eles vão verificar o que precisam melhorar e enfatizar o que precisam estudar mais. Essa prova é um termômetro bastante válido, que dirá aos alunos o potencial que eles têm nas áreas de Linguagens e Raciocínio Lógico”, afirmou a coordenadora Jucilene Gama.

No Colégio Estadual José Inácio de Farias, o laboratório de informática foi organizado para que os alunos realizassem a avaliação, assim como fizeram impresso para aqueles que preferiram. Acontece também as atividades no Colégio Estadual Jornalista Paulo Costa, no Centro de Excelência Atheneu Sergipense, para as turmas de Educação de Jovens e Adultos Ensino Médio (EJAEM) em unidades da rede estadual de ensino.

Avaliação

A metodologia de realização das provas foi desenvolvida pela Fundação Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação Caed/UFJF e apresentada para os técnicos do Serviço de Gestão do Sistema de Avaliação Educacional (Segsae) da Seduc e para as dez diretorias regionais de educação, no dia 13 de novembro, em um encontro virtual. O processo é organizado pela Coordenadoria de Estudos e Avaliação Educional (Ceave) da Seduc, em parceria com o Departamento de Educação (DED), o Núcleo de Gestão do Ensino Médio em Tempo Integral, diretorias regionais de educação e escolas.

Acesso facilitado

O Portal Estude em Casa oferece toda a estrutura para o processo de aplicação, monitoramento e devolutiva dos resultados. Os instrumentos avaliativos de Língua Portuguesa e Matemática foram organizados em um único caderno e estão disponibilizados na plataforma da avaliação disposta em um único link. No banner de acesso para “professor”, também podem acessar o coordenador da escola que participa da avaliação, os professores de Língua Portuguesa e de Matemática das turmas que participarão e, quando for o caso, os professores aplicadores da avaliação impressa para os casos dos estudantes que não consigam acessar de forma online.

No acesso para “aluno”, no banner “Ensino Médio”, as provas serão respondidas, preferencialmente, online, reservando o formato impresso para os estudantes que não tiverem acesso à internet. Para esse modelo, a escola tem a responsabilidade de organizar o ambiente e definir uma data de aplicação, respeitando o período estabelecido.

De acordo com Joniely Cruz, diretora da Coordenadoria de Estudos e Avaliação Educacional (Ceave) da Seduc, os processos avaliativos de diagnóstico são importantes para que as escolas possam identificar as dificuldades apresentadas com base nas habilidades priorizadas da BNCC, como também as potencialidades dos estudantes. “Os dados servirão para ações de intervenção imediata e para planejamento do ano letivo de 2021, apresentando evidências de como os nossos estudantes estão chegando ao fim da Educação Básica, nas diversas modalidades do Ensino Médio.Esse momento serve para os jovens concluintes realizarem uma autoavaliação e identificar suas dificuldades para redirecionar seus planos de estudo e as escolas os apoiarem”, declarou.