22/12/20 - 00:18:38

A população se apegou ao vírus

Diógenes Brayner diogenesbrayner@gmail.com

A política dá uma trégua neste período de Natal e Ano Novo. Num momento de paz e aflição. Não tão ampla, mas de parte da população que tem medo do coronavírus e recua até mesmo das confraternizações de família. Elas serão reuniões pequenas, sem os abraços apertados de antes. Alguns se reencontrarão via internet, outros terão um jantar restrito a avós e netos e muitos sequer poderão se ver, mesmo estando a poucos metros de distância, separados por uma espaço por paredes de UTIs e camas de isolamentos em enfermarias.

Esses ainda são aqueles que preservam famílias, que desejam salvá-las da contaminação e desejam que num futuro muito próximo todos retomem a convivência de amor e fraternidade. Que zelam por idosos, por crianças e adolescentes que não estão totalmente imunes ao Covid. O maior presente não é a presença, mas o abraço apertado ou o carinho que demonstra saudade. O maior presente é deixá-los vivos para que no próximo Natal não haja barreiras que impeçam um confraternização sadia, acalorada, cheia de beijos e abraços.

Claro que há um grande número de pessoas que está diretamente vinculado à preservação da própria vida e de terceiros, independente de que sejam familiares. Mas esse percentual é ínfimo em comparação a uma maioria que não está preocupada em adquirir e retransmitir a doença, como se fosse um pouco suicida e assassina, sem sentimento de culpa. Essa imensa multidão, por todo o mundo, passa a impressão que se apegou ao vírus, sem temer suas consequências letais, que preocupam hoje toda a humanidade, em todos os países do mundo.

E é difícil controlar. Como impedir que a multidão indiferente ao vírus saia às ruas? Como evitar que a juventude alucinada se esbalde nos barzinhos, festas e boates? Como sensibilizar a milhares que vão ao funk nas comunidades do Rio ou nas festas em Salvador? Ou mesmo o Oktoberfest em Munique, na Alemanha? Enfim, como conscientizar uma população que está se lixando para a falta de leitos nos hospitais e não se sensibiliza com milhares de mortes que ocorrem por falta de vagas em todos os segmentos da saúde pública e privada?

A responsabilidade de quem comanda países, estados e municípios é imensa, porque a mortandade incontrolável é culpa de quem administra essas localidades, mesmo que tenham de usar da força para evitar os óbitos incontroláveis que acontecem, por absoluta irresponsabilidade de parte significativa da população. Pior quando se chega a uma vacina e há dificuldades de se imunizar por culpa de um mandatário irresponsável e tão virulento quanto os causadores de uma pandemia que maltrata um País, com um povo que entre os protocolos de imunização e o vírus prefere o segundo.

É tudo muito difícil, quando se chega à infeliz conclusão que parte da população está pouco se lixando para as recomendações que podem evitar o descontrole de uma doença que mata, e mata, e mata…

Visita a Belivaldo

O senador Rogério Carvalho e presidente Regional do PT, deputado federal João Daniel farão uma visita ao governador Belivaldo Chagas (PSD) antes do final do ano.

*** O objetivo da visita é conversar sobre o futuro – provavelmente do bloco – e como fica esse novo período da política.

*** Um detalhe: o governador Belivaldo, o senador Rogério e o deputado João Daniel sempre mantiveram o bom relacionamento, mesmo com a cisão no Diretório Municipal.

O Natal distante

O Governo inicia uma campanha publicitária, nas redes e emissora de televisão, sobre o Natal em que o ator Orlando Vieira transmite uma mensagem em que fala da família e “revela saudade da gente junto neste período”.

*** Fala dos riscos do Covid e lembra que “se a gente vacilar, ele mata a gente”. E conclui: “por isso eu já sei o que quero de presente: quero continuar vivo para depois, com segurança, matar a saudade de cada um de vocês”.

Ulices está na onda

O nome de Ulices Andrade é um dos mais falados como provável candidato a governador em 2022. Lideranças políticas do Interior falam muito em seu nome e estão em contato com ele.

*** Uma liderança política importante avisou que dos 75 prefeitos de Sergipe, 65 votam nele tranquilamente.

Sair com segurança

Ulices Andrade é um nome que aparece com frequência para disputar o Governo do Estado, mas, segundo pessoa ligadíssima a ele, só pretende se afastar do Tribunal de Contas com total segurança.

*** – Ulices vem conversando com aliados para tomar uma posição em razão de uma decisão que ofereça certeza de que vai ganhar.

Samuel vai para o DEM

Capitão Samuel demonstra mesmo que vai para o DEM, depois de receber convite do presidente do regional do Partido, José Carlos Machado, inclusive para ser candidato a deputado federal.

*** Samuel já declarou que não disputará outro mandato…

*** Ele conversou esse final de semana com a senadora Maria do Carmo Alves (DEM) e com Luciano de Menininha, de Propriá.

Tratar sobre Republicanos

O presidente regional do Republicanos, ex-deputado Jony Marcos, viaja a Brasília hoje para conversa com o presidente da legenda, deputado Marcos Pereira.

*** Jony tratará sobre questões partidárias em Sergipe, pensando já na ação para o pleito de 2022, entre outros assuntos de importância para o partido.

Chapas de deputados

Jony disse que já está conversando com lideranças da sigla, para formar uma chapa de 16 candidatos a deputado federal.

*** Acha que deve começar cedo para formar uma chapa competitiva.

*** Também trabalha para montar chapa para deputado estadual, que terá 36 candidatos entre brancos, pretos e pardos, e mulheres.

Partido à vista

O ex-governador Jackson Barreto (MDB) está de férias e a partir de agora só fala sobre política dia 15 de janeiro: “esse momento é hora de falar com Jesus”, disse.

*** JB vai ingressa em outra legenda, mas tem muito tempo para tratar desse assunto e até escolher outra sigla. Uma está à vista: o PDT.

Único a denunciar

O presidente do PDT, deputado federal Fábio Henrique, disse ontem que foi o único a denunciar exageros do prefeito Padre Inaldo (PP), durante a campanha dele à reeleição.

*** – Por isso fui muito perseguido, mas o caso de abuso do poder econômico foi explicito, disse, acrescentando que “sempre acreditei e acredito na justiça do meu Estado”

*** Para Fábio Henrique, “o que ocorreu em Socorro não poderá ficar impune,  seria um péssimo exemplo para a justiça e a credibilidade do processo eleitoral.”

Eliane faz recomendação

A vice-governadora Eliane Aquino (PT) acha que o ideal, nesse momento, é não confraternizar, não se aglomerar, não se reunir com seus amigos e parentes,.

*** A não ser aqueles que morem com você, mas, se for inevitável, fique muito atento às orientações dadas pela Fio Cruz.

De Gama sobre Lucivanda

O ex-prefeito João Augusto Gama, estava viajando quando soube da nomeação de Lucivanda para secretária de Ação Social. Imediatamente mandou mensagem para o governador Belivaldo Chagas,  parabenizando-o pela escolha.

*** Em seguida, Gama ligou para a própria secretária nomeada.

*** Gama contou que conviveu com Lucivanda durante cinco na Seplag e na Cultura: “Sei da sua capacidade. Garanto que ganhou o Governo, ganhou o estado, ganhamos todos”.

*** – Brilhante e capaz, Lucivanda fará um belíssimo trabalho, disse Gama.

Uma boa conversa

Subtenente Edgard – As mulheres do PSOL são muito sensíveis, Deus me livre de passar perto de uma.

Natal diferente – Um clima natalino diferente, cheio de paz, mas de muita tristeza. O jantar pode ser farto, mas limitado e os abraços menos apertados.

Sobre Presidência – O vereador reeleito Isaac também pretende a Presidência da Câmara Municipal, que já vem sendo conversada nos bastidores.

Tudo muito mal – Ainda não se tem absoluta certeza da utilização da vacina contra Covid no Brasil. Está tudo meio desencontrado.

Tumulto no parque – Aproximadamente 500 pessoas estavam tumultuadas no domingo à noite, para entrar no Parque da Sementeira para ver a decoração do Natal.

Diz o Terra – OMS explica que não precisa haver necessidade de grande alarme sobre nova cepa do coronavírus.

Roger Franchine – Tucanos seguem fazendo o que os paulistanos mais amam: lembrá-los o quanto merecem a cidade que têm.

Capitão Samuel – O STF vai acabar com a classe Política e com o que resta de credibilidade popular. Só Jesus na causa