31/12/20 - 00:18:50

Um ano de muita tristeza e lágrimas

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

Último dia de 2020. Ano que não deixará saudades. A não ser daqueles que se foram infectados por um vírus, que marca toda uma geração e enche de tristeza milhões de jovens e adultos que perderam pais, avós, parentes e amigos. Que separou casais e deixou um infinito de crianças órfãs. Não dá para avaliar a tristeza que deixou por cada lugar que passou, sem oferecer condições de uma ação científica para reduzir a força letal desse ser invisível e que oferecia poucas chances de sobrevivência às vítimas.

Apesar de não se fazer comparações com todas as pandemias que, praticamente, atingiram o mundo e dizimaram vidas, a Covid-19 entra na relação de doenças que ainda hoje marcam a humanidade, como a Peste Bubônica, causada pela bactéria Yersinia pestis e pode se disseminar pelo contato com pulgas. Varíola, que atormentou a humanidade por mais de 3 mil anos. A Cólera, que aconteceu em 1817 e matou centenas de milhares de pessoas. A Gripe Espanhola, em que se acredita que de 40 a 50 milhões de pessoas tenham morrido nessa pandemia de 1918, causada por um subtipo de vírus influenza. O vírus H1N1, causador da chamada gripe suína, foi o primeiro a gerar uma pandemia no século 21. O vírus surgido em porcos no México, em 2009, e se espalhou rapidamente pelo mundo, matando 16 mil pessoas.

O misterioso novo coronavírus, que causa a infecção COVID-19, surgiu em 2019 na cidade de Wuhan, na China, e os primeiros casos da infecção parecem ter acontecido de animais para pessoas. Isso porque os vírus da família “coronavírus” afetam principalmente animais, existindo quase 40 tipos diferentes deles identificados em animais e apenas sete em humanos. Além disso, os primeiros casos de COVID-19 foram confirmados num grupo de pessoas que estiveram no mesmo mercado popular da cidade de Wuhan, onde eram vendidos vários tipos de animais selvagens vivos, como cobras, morcegos e castores, que poderiam ter estado doentes e passado o vírus para as pessoas.

Após esses primeiros casos, foram identificadas outras pessoas que nunca tinham estado no mercado, mas que também estavam apresentando um quadro de sintomas semelhantes, apoiando a hipótese de que o vírus tinha se adaptado e estava se transmitido entre humanos, possivelmente através da inalação de gotículas de saliva ou de secreções respiratórias que ficavam suspensas no ar após a pessoa contaminada tossir ou espirrar. (fonte Portal da Saúde).

Daí em diante a doença invadiu o mundo numa rapidez dos raios. Chegou ao Brasil em março e até hoje vem causando estragos à vida da população, com dificuldade de ser detida, em razão da falta de medicamentos de eficiência comprovada e da teimosia de toda a população em não seguir os protocolos exigidos para evitar a contaminação, como o uso de máscaras, higienização das mãos e não promover aglomerações. Além disso, os hospitais ficaram sem condições de atender ao excessivo número de infectados e, com toda essa dificuldade para cura, quem se internava morria ou saía com sequelas que permanecem por muito tempo.

A própria população não acreditou na força do vírus e ficou exposta, desafiando-o. Uma maioria significativa não conseguiu vencê-lo e nem defender e salvar filhos, pais, avós e grandes amigos, assim como personalidades de todas as áreas – política – artística – cultural – esportiva – jornalística – científica – médica – e religiosa – que deixaram um vazio nas atividades que exerciam. No Brasil politizaram o vírus e o seu presidente, Jair Bolsonaram, o ironizou chamando-o de “gripezinha”, além de incentivar a desobediência aos protocolos e vulgarizar uma pandemia que deixa o terrível e triste rastro da morte.

Assim, 2020 deixará saudades e lagrimas, mas será um ano que deveria ser apagado do calendários e que em 2021 o sofrimento não continue, com a dificuldade que já se impõe a uma vacinação em massa que pode salvar o povo, mas que não é simpática ao Planalto, um tanto em dúvida sobre salvar vidas ou ampliar as mortes.

Que todos fiquem atentos e reflitam muito antes que seja tarde…

Posse com limites

A solenidade de posse do prefeito reeleito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), que acontece amanhã, terá presença limitada e também participação online.

*** Pela primeira vez a imprensa não foi convidada a participar para cobertura do fato, tudo em razão dos limites impostos através da pandemia do coronavrus.

Também no interior

Também nos demais municípios as posses terão participação pequena, para evitar as aglomerações que acontecem nessas solenidades.

*** Nos anos anteriores, as posses majoritárias aconteciam em clima de festa, programada pelo bloco que elegia cada um dos prefeitos.

Algumas comemorações

Em algumas cidades estão previstos encontros para comemorar a posse em alguns povoados e nas chácaras e fazendas de pessoas vinculadas ao novo prefeito.

*** O que os novos prefeitos foram orientados é em não promover festejos com a presença de trios elétricos, para evitar aglomerações e contágios.

Reveillon com medidas

Não haverá reveillon em Aracaju este ano, pelo menos promovido pela Prefeitura e Governo do Estado. Os bares e restaurantes que fazem festas terão que seguir os protocolos determinados pela Vigilância Sanitária.

*** Haverá vigilância, embora parte significativa da população não acredite, desobedeça e demonstre que só reconhece o vírus quando perde alguém da família.

Comitê se reúne

Quinta-feira próxima, 7 de janeiro, já acontece a primeira reunião do Comitê Técnico e Científico, para fazer uma avaliação dos festejos de final de ano em Sergipe.

*** Também haverá análise sobre todo o período de compras e festas realizadas em dezembro, assim como o aumento do Covid-19 no Brasil e no mundo e até onde Sergipe foi atingido.

Será radialista

O deputado estadual Capitão Samuel se prepara para ser radialista a partir de 2021 e apresentará todos os sábados um programa na radio FM Jornal, das 07 08 horas, sobre a orientação familiar.

*** Também lançará, via YouTube, a “TV do Capitão”, com esse mesmo objetivo e de olho nas eleições de 2022.

Projetos definidos

Capitão Samuel, atualmente no PSC, tem como projeto principal para 2022 disputar uma vaga na Câmara Federal e já tem convites de vários partidos.

*** Entre eles o PSL, Democrata, MDB, Partido Liberal (PL) e Avante. Também recebeu convite do Republicanos.

*** Entretanto, Capitão Samuel tem projeto e diálogo bem adiantado com o Democrata e PL.

Por falar em PL…

O presidente municipal do Partido Liberal (PL) em Aracaju, empresário Milton Andrade, pode trocar de partido. Suas conversas avançam com o PSDB e deve acontecer rápido.

*** Razão: Milton vê dificuldade em permanecer no PL por ser o mesmo partido do deputado federal Valdevan Noventa.

Nome à disposição

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) diz que conversas sobre provável candidatura majoritária sua em 2022, “são só especulações”.

*** – Meu nome está à disposição do agrupamento, mas quem vai conduzir esse processo é o governador Belivaldo Chagas, no momento que ele entender ser melhor, disse.

PSB e reforma

O PSB vai trabalhar um novo projeto político para o seu estatuto interno de fevereiro a março do próximo ano. Só em novembro, durante congresso, é que todas as mudanças serão discutidas.

*** O partido ainda não tratou sobre a inclusão do senador petista Rogério Carvalho na sigla, mas deixa claro que há um bom relacionamento.

*** Um detalhe: Rogério manterá o bom diálogo, mas permanecerá no PT, que é o seu partido de sempre.

Edvaldo e o mandato

Um político bom em previsões sobre tendências futuras para o Estado, admitiu que o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) não será candidato a governador em 2022.

*** Avalia que sem liderar um grupo forte, precisando de apoio sólido e com uma visão restrita a Aracaju – onde realiza um bom trabalho – “sua capacidade não abrange as necessidades e carências de Sergipe”.

*** Ontem, em entrevista, Edvaldo insistiu que não pensa em disputar o Governo em 2022 e que cumprirá o seu mandato até 2024.

Guerra pela vida

Senador Rogério Carvalho (PT) diz que diversos países já estão protegendo seus patriotas com a imunização: “Cada segundo que perdemos, são vidas que se vão”.

*** – Brasil se aproxima das 200 mil vidas perdidas. Não podemos perder nenhum minuto nessa guerra pela vida, disse.

Uma boa conversa

Mais força – Percebe-se que há medo de algumas pessoas com o retorno do Covid-19, que chegou com mais força de contaminação.

População não ajuda – Mesmo com receio, a maior parte da população não ajuda a reduzir o número de doentes e descumprem orientação para evitar a transmissão.

TV-Cultura – Presidente Bolsonaro afirmou que “no que depender de mim e do meu governo, o aborto jamais será aprovado em nosso solo”.

Escolas preocupam – Prefeito eleito Juca está preocupado com a situação de caos e abandono nas escolas de Laranjeiras.

Notifica Neymar – Promotores de Angra dos Reis estão notificando Neymar e pedindo informações sobre a festona do craque no fim de ano.

Maria – Todo mundo festejando, nas praias, em festas e baladas. Então faz sentido prorrogar calamidade pública?

Comprar seringas – Governo de São Paulo compra 71 milhões de seringas para plano de vacinação contra a Covid-19.

Capitão Samuel – Quando pensam em me destruir, quando começam a agir para me enfraquecer… Mais forte fico!