08/01/21 - 00:44:32

Um quadro que pode se manter

Diógenes Brayner diogenesbrayner@gmail.com

Apesar de um aparente silêncio sobre projetos políticos para 2022, mas que se iniciam já neste ano, a movimentação que ocorreu na quarta e quinta feiras demonstrou que ninguém dá um tempo para um descanso saudável em um período de recesso. Os bastidores fervem e os nomes que pretendem majoritário no próximo ano agem com rapidez para não perder o time e consolidar possível candidatura. Os encontros têm pauta política e administrativa, mas a divulgação é feita através de fotos bem humoradas e de “visitas cordiais que consolidam unidade, através de abraços afetuosos”.

Na realidade, esses encontros não são diferentes. Apenas apertos de mãos e sorrisos cordiais não representam tudo o que, efetivamente, foi tratado. Em um resultado eleitoral vitorioso é absolutamente natural que se busquem acomodações e se proponham participar do projeto pelo qual atuaram e desejam colaborar para o sucesso, dentro do que pensa cada partido. Além disso, mesmo de forma subliminar, já se tenta fixar posições em projetos políticos futuros, que não surpreendem pela movimentação que cada um exibe, em relação ao que pensa de forma clara, para 2022.

E isso tudo está muito bem conversado, os liderados conscientes e as metas traçadas, inclusive com a “acomodação das abóboras nas carrocerias” aos obstáculos das estradas, como dizia o ex-governador Marcelo Déda (PT). Ontem mesmo um político de larga envergadura, que vinha tratando as pedras do tabuleiro desse complicado xadrez com cautela e carinho, sinalizou sua disposição de derrubar o rei e comer a rainha. Sem rodeios disse: “no segundo semestre lançarei minha pré-candidatura a governador”. Aviso: não será fácil segurá-lo.

O deputado federal Laércio Oliveira (PP), já há algum tempo, não esconde seu desejo de trocar o legislativo pelo Executivo. Ontem também deixou bem claro que não deseja o Senado e contou que está na Câmara Federal há 12 anos e admite que chegou o momento de disputar um cargo no Executivo. Não conversa ainda sobre isso de forma consistente, mas está absolutamente convicto que o Governo é o seu lugar. Laércio quer que a sociedade sergipana perceba e entenda a sua aptidão para a gestão e terá que levar isso a um reconhecimento do grupo político que integra.

Já o prefeito reeleito Edvaldo Nogueira (PDT) deixa em dúvida quanto qual sua pretensão: fixar-se por mais quatro anos, ou acelerar suas obras nestes próximos 16 meses e tentar eleger-se ao Governo, alicerçado pelo trabalho realizado na Capital. As opiniões se dividem. Alguns acham que o seu apego a Aracaju o fará ficar prefeito por mais quatro anos. Outros enxergam que ele começou a “olhar mais distante” e pode ousar atravessar os limites da cidade. Uma das saídas era encostá-lo a um vice que tivesse bom acesso ao interior. E quem seria? Alguém gritou: “Luciano Bispo, que tem bom trânsito em todas as regiões”.

Edvaldo não sinaliza, mas deixa a dúvida no ar, até porque com um mandato recém prorrogado evita “essas estórias de disputar uma nova eleição”.

O conselheiro Ulices Andrade teria recuado da pretensão de tentar o Governo. Ouviu conselhos de familiares e amigos para não abandonar oito anos de TCE, com uma aposentadoria compulsória, para arriscar ganhar o pleito de 2022 a governador. Terá tempo para isso. Entretanto, uma liderança ligada ao conselheiro admitiu que ele não disputará as eleições futuras, mas pretende indicar o seu filho, deputado Jéferson Andrade (PSD), como vice. Há uma outra sugestão: Jéferson seria presidente da Assembleia Legislativa, em um novo período.

O senador Rogério Carvalho (PT) também é candidato ao Governo e integra a base aliada ao governador Belivaldo Chagas. Os dois se dão bem e conversam sempre que necessário. Carvalho vem trabalhando as dificuldades impostas pela disputa municipal, onde o seu partido abriu uma fissura que repercute até hoje e vai precisar de atos concretos que apaguem marcas e diluam mágoas. Rogério Carvalho é o nome do PT e pretende encarar as dificuldades, porque acredita que fará um trabalho dentro do grupo que integra desde o período Marcelo Déda, dentro de um processo de unidade que fortaleça o bloco para ajudar a reconstruir o Brasil.

A oposição ainda navega em mar revolto. Não há um líder que pinte como o cara que disputará o Governo. O PSDB andou sinalizando para formação de um bloco, mas tropeçou ao tentar atrair o ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PL), inclusive propondo candidatura majoritária ao Governo, sem lembrar que a deputada Maria Mendonça o recusaria firmemente. Fala-se muito que Valmir é uma liderança em condições de disputar mandato majoritário, mas alguns segmentos políticos admitem que ele alcançará poucas cidades além das que fazem fronteira com Itabaiana ou ficam aos pés da serra.

Puxando para o setor Cidadania, sempre aparece o nome do senador Alessandro Vieira como o candidato à sucessão estadual, mas ontem, via WhatsApp, ele disse que “as decisões sobre candidaturas majoritárias só vão ocorrer em 2022. À hora é de trabalhar por Sergipe”. Mas um aliado seu, consultado sobre o que dissera Alessandro, rebateu: “de sua cabeça não sai a ideia de disputar o Governo”.

Até as eleições o quadro pode ser outro, completamente diferente, mas nesse momento de especulações em tons reais, é esse o traçado dos bastidores e que faz sentido em algumas colocações, mesmo que agora pareçam estapafúrdias.

Bolsonaro ameaça

O presidente Jair Bolsonaro faz ameaça ao vivo  “ou o voto impresso em 2022, ou a situação será pior do que a dos Estados Unidos”.

*** Um deputado federal por Sergipe já sugeriu ao TSE e ao Ministério Público que adotem medidas preventivas para manter o voto impresso no Brasil.

*** Lembrou que “a direita radical pensa igual no mundo, com caráter fascista e o que ocorreu no Capitólio (EUA) pode acontecer em dobro no Brasil”.

Formato tradicional

O mesmo deputado anunciou que, nos bastidores em Brasília, já há conversas fortes para mudança do modelo eleitoral de 2020 e retorno ao formato tradicional da eleição proporcional.

*** Lembrou que os recursos do fundo eleitoral são controlados pelos presidentes de partidos, cuja maioria é candidata à vaga na Câmara Federal e usará o dinheiro só para ele.

Visitas meio estranhas

Na quarta-feira e ontem houve uma movimentação grande de visitas ao prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) e ao governador Belivaldo Chagas (PSD) por lideranças políticas do bloco e prefeitos eleitos de partidos aliados.

*** Será que foram apenas aos cumprimentos habituais ou conversaram coisas de interesses pessoais ou participação no Governo Municipal que se forma?

*** Belivaldo e Edvaldo também se encontraram para cumprimentos.

Jackson e novo partido

O ex-governador Jackson Barreto, ainda em férias na Barra dos Coqueiros, vai deixar o MDB, mas não será tão imediatamente. Talvez no segundo semestre, mas no partido ele não fica.

*** Jackson tem encontro marcado com o presidente do PSD, deputado federal Fábio Mitidieri e provavelmente tratará sobre mudança partidária. Ele também pensa no PDT.

*** Jackson pretende disputar mandato em 2022, mas já avisou que fará tudo dentro de um entendimento com o governador Belivaldo Chagas (PSD).

Rogério: Vacina já!

O senador Rogério Carvalho (PT) diz que o populismo barato que estão fazendo no caso da vacina contra a Covid-19 coloca em risco a vida das pessoas.

*** – A euforia não traz a segurança sanitária necessária, alertou.

*** Para Rogério, “a desinformação também é um perigo. O povo precisa de vacina urgente, mas sem as disputas eleitorais embutidas.Vacina já”!

Bahia atrai sergipanos

O governador da Bahia, Rui Costa (PT) avisa que seu Estado está preparado para a vacinação contra a Covid-19.

*** – Conseguimos fazer a aquisição das agulhas, seringas e dos refrigeradores. Nossa expectativa é que a vacinação tenha início em até 30 dias, disse.

*** Muita gente de Sergipe está se preparando para viajar a Salvador quando a vacina se iniciar. Será uma espécie de “carnaval na Bahia”.

Momento esquenta

Esquenta em Itabaiana: a deputada Maria Mendonça (PSDB) chamou o ex-prefeito Valmir de Francisquinho (PL) de “mentiroso”.

*** E foi mais longe: “Você (Valmir) não reúne e nem reunirá, requisitos morais para ser colocado como herdeiro político de Chico de Miguel (pai da deputada)”.

*** Um detalhe: o presidente do PSDB em Sergipe, ex-senador Eduardo Amorim, vai convidar Valmir de Francisco para ser o candidato a governador pelo partido.  E Maria?

Valmir vai presidir

Quanto ao fato de Valmir de Francisquinho ser convidado para ingressar no PSDB, não terá problema, porque certamente não vai aceitar.

*** O empresário Edvan Amorim abriu para ele a direção regional do PL, e Valmir vai assumir essa posição até o final de janeiro.

O nome de André

Nos bastidores a informação de que André Moura (PSC) será candidato a deputado federal nas próximas eleições, não casa com os aliados do ex-deputado.

*** Ex-prefeitos e prefeitos empossados falam que o melhor candidato a governador para eles será André Moura e boa parte deles cita o montante de recursos que André conseguiu para seus municípios, sem que fosse aliado.

*** – André conseguiu verbas para o meu município e me surpreendeu, porque o deputado no qual votei, não liberou um único centavo, disse um prefeito reeleito.

Ulices não arrisca

O conselheiro Ulices Andrade descansa em sua fazenda no interior da Bahia. Vai retornar na próxima semana e reiniciar os seus trabalhos e conversas.

*** O seu nome continua sendo citado como provável candidato, mas já se amplia à opinião de que ele não deixará os sete anos que tem no TCE, para arriscar uma disputa eleitoral a governador do Estado.

Vacina do Butantã

O senado Alessandro Vieira (Cidadania) informa: “no mesmo dia em que atingimos o número de 200 mil mortos pela Covid, temos a boa notícia da confirmação da eficácia da vacina do Butantã”.

*** Para o senador “isso significa que será possível avançar no processo de vacinação com a produção nacional. A ciência salva vidas que a ignorância despreza”.

PSB e Rede conversam

Os presidentes da Rede Sustentabilidade, Henri Clay, e do PSB, Valadares Filho, vão ter um encontro para um ‘café com política’.

*** Vão conversar sobre as eleições de 2022 e a possibilidade de ampliação do bloco de oposição, incluindo os dois partidos. O encontro ainda será este mês.

Uma boa conversa

Merece reflexão – Duzentas mil pessoas mortas pelo coronavirus. Muito triste. Está na hora da população refletir, fazer sua parte e evitar que esse número duplique esse ano.

Espírito político – Não dá para acreditar que, por absoluta negligência e incorporado de espírito político, o Governo Brasileiro assistiu friamente tantas mortes.

Segundo UOL – Presidente Bolsonaro insiste em fraude nos EUA já descartada e ataca modelo de eleição no Brasil

Blog do Noblat – Inação da polícia na invasão do Capitólio gera críticas e levanta dúvidas sobre integridade da corporação

Blog do Noblat – Após declaração de Bolsonaro, ministro Barroso diz que ‘governantes democráticos não devem fazer acenos para desordens futuras’.

Portal Terra –Em um mês, número de sepultamentos triplica em Manaus em meio a avanço da covid-19.

Beatriz Ramos – “Não podemos desperdiçar dinheiro público”, diz Pazuello. Que bom, agora vamos falar da Cloroquina que compramos?

Francisco Castro – O Bolsonaro chama o William Bonner, âncora do Jornal Nacional, de o maior canalha e sem vergonha.