11/01/21 - 09:55:08

De forma planejada, Prefeitura assegura eficácia da limpeza pública de Aracaju

Diariamente, 50 equipes da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), compostas por 429 funcionários e com o suporte de dezenas de veículos, realizam a limpeza pública do município de Aracaju. Os serviços vão desde a varrição de ruas até a limpeza de canais, passando ainda pela pintura de guias, pela poda de árvores e pela recuperação de espaços de descarte irregular de resíduos.

Essas ações ocorrem, simultaneamente, muitas vezes em mutirões, e são responsáveis por uma das características mais marcantes de Aracaju: a limpeza das vias e dos espaços públicos, elogiada por turistas e moradores e conquistada a partir de uma programação complexa baseada em estudos.

“Dentro da Diretoria Operacional, temos uma equipe de programação, que faz todo o planejamento, setorizado, regionalizado, além de já ter a divisão por bairros, para que seja possível atender a todos”, explica o presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas. De acordo com ele, a equipe também faz o gerenciamento de rotina das atividades diárias a fim de preparar a programação do dia seguinte.

“Esse roteiro é distribuído internamente e para as empresas que prestam serviço. É um trabalho integrado para atender a rotina e os serviços extras, como poda e descarte irregular”, acrescenta Luiz Roberto, que considera a limpeza da cidade a principal atividade da Emsurb, por tudo que envolve, e por ser um dos únicos serviços que atendem a todos os aracajuanos.

“A limpeza é uma prioridade para nós, tanto que Aracaju é a terceira cidade do Brasil em atendimento à coleta de lixo domiciliar. Realizamos um serviço de ampla qualidade, que precisa ser mantido, não só para atender à população, mas aos turistas. Uma cidade limpa também é um atrativo para quem pretende visitar um destino”, ressalta o presidente da Emsurb.

Planejamento

Diretor de Operações da Emsurb, Bruno Moraes afirma que o processo de limpeza realizado em Aracaju envolve diversos profissionais e equipes, como, por exemplo, 39 equipes na limpeza-padrão, que envolve varrição, capinação, pintura de guias, varrição de avenidas e limpeza de canais; sete equipes de plantio e irrigação e quatro equipes de podação.

Cada equipe da limpeza-padrão tem 11 pessoas, dez funcionários e um cabo de turma. “A logística do serviço é baseada em um estudo anual, do qual resulta um planejamento mensal de cada visita aos bairros. É claro que cada caso é um caso, diante da peculiaridade do bairro”, ressalta.

A pintura, segundo Bruno, é o desfecho da operação. “A gente costuma trabalhar em mutirões para evitar ficar muito tempo em um bairro e não concluir as atividades, principalmente em bairros grandes, como Farolândia, Santos Dumont. Já os canais são visitados diariamente, para acompanharmos se há algum problema e evitar transtornos”, explica.

O retorno aos bairros ocorre em cerca de 60 a 90 dias. “Considerando que são 41 bairros, a gente tem um trabalho para dimensionar esses prazos, levando em conta que existem eventualidades, como uma festa, um atendimento excepcional. Além disso, há bairros que têm necessidade de retorno mais rápido, em virtude da vegetação”, esclarece Bruno.

Além dessas atividades de limpeza-padrão, há também a poda e o paisagismo, voltadas para praças, parques, orla e canteiros centrais. “Nesses espaços não fazemos só a limpeza da área verde, mas também atuamos na questão visual, com a recuperação, que é atrelada ao serviço de irrigação. A demanda de plantio tem que estar sempre atrelada à capacidade de irrigar”, afirma.

Os corredores de trânsito, por exemplo, têm sete equipes volantes de paisagismo e plantio. Já o serviço de poda conta com quatro equipes específicas. Nesse caso, as avenidas são priorizadas, seguidas das praças, lugares de grande circulação, e da parte interna dos bairros. Todos esses serviços visam deixar a cidade mais limpa, bonita e harmônica.

“Quando você tem um ambiente agradável, a população geralmente contribui. Nós tínhamos mais de 2.200 pontos de descarte irregular, hoje são 33”, contabiliza o diretor.

Só em 2020, 38 desses pontos foram recuperados, ajudando a administração a cumprir a meta de extinguir em até 90% esses espaços. “A meta estava estabelecida no planejamento estratégico e nós conseguimos alcançá-la”, acrescenta Bruno Moraes.

De acordo com ele, a limpeza é um serviço fundamental, mas que sem o olhar estético não causa tanto impacto. “Então, é importante conciliar todos os serviços, porque, dessa forma, você consegue trazer essa sensação para a população”, avalia. De fato, a população reconhece a relevância e a eficácia do serviço executado pela administração municipal.

“A cidade está bem limpa, com uma limpeza muito boa. A gente vê que existe um cuidado, uma preocupação com isso. E é importante, porque fica melhor para nós moradores, mais seguro e também em relação à saúde, eliminando alguns bichos, como ratos”, admite o soldador Valter Oliveira de Almeida, que mora no Santos Dumont. “A limpeza é constante. As pessoas é que sujam, falta educação da população. O caminhão passa e logo em seguida alguém joga o lixo na rua”, completa.

Larissa Fernanda da Silva Santos mora no bairro Ponto Novo e também aprova o serviço de limpeza prestado na localidade. “A limpeza é bastante satisfatória. A gente não tem o que reclamar, principalmente em relação à época de chuva, porque a limpeza contribui bastante para não alagar e não ter transtornos. Frequentemente, vemos os funcionários limpando as ruas, as calçadas. O serviço atende à nossa necessidade”, assegura a moradora.

Fonte e foto assessoria