26/01/21 - 09:34:35

“Vaidade” seguirá “derrotando” a oposição e governo caminha para nova vitória 

Há algum tempo este colunista já escreveu sobre tema parecido. Dentro do compromisso com o leitor, gostando ou não, de fazer prevalecer a verdade, faltando menos de dois anos para a eleição estadual, pelo cenário atual, o governador Belivaldo Chagas (PSD) caminha sim, e a passos largos, para eleger seu sucessor. Pode parecer precipitada, mas a recente declaração do ex-governador Jackson Barreto (MDB) neste sentido tem sim procedência…

Este colunista não está aqui a defender um “projeto governista”, mas precisa ser honesto com o eleitorado para externar essa constatação. Belivaldo está longe de fazer uma “maravilha de governo”; temos alguns avanços, é verdade, mas os problemas se sobressaem, com todo o respeito. E, justiça seja feita, muito desse “abacaxi” não “amadureceu” no atual governo, mas é um processo que já vem se evoluindo desde gestões anteriores.

Para Sergipe não viver um grande momento político e administrativo, todos os segmentos têm uma parcela de responsabilidade; nossos gestores; parlamentos; órgãos fiscalizadores e de controle; setores da imprensa; uma parcela considerável da população; e, também, nossa “desorganizada” e “desestruturada” oposição. É como se vivêssemos em meio a uma tempestade, com “água” invadindo a “embarcação”, que teria o risco de “afundar”, mas não há qualquer “luz de esperança” no horizonte…

E aqui não se trata de “conformismo”, mas por entender “como as coisas funcionam” nos bastidores da política, mesmo com todas as dificuldades, o que se percebe é já uma movimentação contínua de aliados querendo a “indicação” e o “apoio formal” do governador em 2022. Aí vão dizer: “Belivaldo não é político” ou “decide com o fígado”; mas antes que muitos esqueçam, ainda é ele quem tem uma “caneta cheia” nas mãos, ainda é quem direciona os caminhos desse Estado…

Alguns aliados “flertam” com a oposição, mas sonham com o “casamento” na própria base, em receber as “bênçãos do galeguinho”. A “máquina” continua sendo a mesma, forte e decisiva! E a oposição? Extremamente vaidosa, finda sem mantendo reduzida, sem ser atraente e sem perspectivas. Muitos, inclusive, passam a impressão que só não “mudam de lado” por falta de convite e porque as “consequências”, do ponto de vista político, pode findar sendo “trágico”, pelo histórico…

Não é exagero antecipar: a vaidade seguirá “derrotando” a oposição; e o governo, que não tem nada com isso, caminha para uma nova vitória em 2022. E aí não importa quem será o candidato; falta um “freio de arrumação” grande do outro lado. O tempo está passando e, por enquanto, é muito mais favorável para quem já se encontra “ao lado do rei”. Depois não adianta “chorar” sobre o “peso da máquina”, se a oposição sequer consegue estabelecer um “contrapeso” competitivo…

 Veja essa!

O deputado federal Laércio Oliveira (PP) ainda não confirmou para qual cargo pretende disputar em 2022, mas até onde este colunista tomou conhecimento, ele já liberou algumas de suas bases pelo interior, confirmando que não disputará a reeleição na Câmara Federal.

E essa!

Dentro do agrupamento do governador Belivaldo Chagas, as “preferências” hoje estão em Ulices Andrade, Fábio Mitidieri e Edvaldo Nogueira. A maioria quer Laércio como aliado próximo, mas seu nome sequer é ventilado para vice-governador na chapa. Muitos apostam que ele disputa o Senado.

Edvaldo sonha

Como os aliados não dão essa “brecha” para Laércio e como o conselheiro Ulices Andrade não pode falar em política por conta do cargo que exerce, quem parece sonhar com a candidatura no momento é Edvaldo, que também seria impulsionado por Mitidieri que, pelo visto, também “sonha”, mas em ir para o TCE…

Reeleição cara

Fábio Mitidieri demonstrou irritação com alguns comentários de que ele seria o “menino” no grupo governista. Para comandar o grupo que ele tem hoje se pode dizer que ele “amadureceu” bem rápido. Mas Fábio enxerga uma candidatura para federal muito “superfaturada” em 2022 e, talvez por isso, prefira algo mais “tranquilo”…

Compensa?

O problema é que para um candidato vencer a eleição para federal em 2022, o partido terá que atingir um quociente eleitoral, especulado em 110 mil votos, aproximadamente. Para atingir ou um nome precisa ter a votação espetacular, ou será necessário montar uma estrutura no partido com candidatos competitivos. É uma eleição “cara”, que talvez não compense…

Exclusiva!

Essa até o “Macaco Simão” vai morder o rabo: durante um pomposo almoço, por esses dias, em um restaurante badalado de Aracaju, um empresário empolgado entrou em contato telefônico com o prefeito Edvaldo Nogueira, em clima bastante amistoso e apostando em sua candidatura a governador.

Bomba!

Para a surpresa até dos presentes no almoço, entre um vinho e outro, o mesmo empresário fez a “ponte” entre Edvaldo Nogueira e o ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PL), como se estivesse “arquitetando” uma chapa majoritária para 2022. Edvaldo e Valmir conversaram e trocaram afagos. Será que cola?

Pode carimbar!

Uma fonte bem avisada (e camuflada) no restaurante quase foi ao “Sollo” quando percebeu a empolgação do empresário com a candidatura de Edvaldo Nogueira para o governo do Estado. Pelo visto, já comprou sua “passagem reajustada” nesse ônibus para sentar na “janela” no próximo ano. De olho no Progresso de Sergipe…

Entrevista espantosa!

Quando este colunista pensava que já tinha visto de tudo a respeito da Fundação Renascer, mesmo com o deputado estadual Georgeo Passos tendo cobrado uma posição do governo do Estado sobre o que estava acontecendo, eis que o presidente Wellington Mangueira vai à Rádio Jornal FM, no programa apresentado pelo deputado Capitão Samuel e o radialista Bob Júnior e concede uma “entrevista bomba” que, a priori, só complica ainda mais sua situação…

Alô MPE!

Na entrevista a Samuel e Bob Júnior, Wellington Mangueira falou muito no seu “histórico”, que “Sergipe todo se conhece”, mas ele falou em “licitações direcionadas”, “jogo de cartas marcadas” para a escolha de terceirizadas! Quais foram? E se houve, isso é crime ou não é? Pelo “histórico” de Mangueira, ele agora tem a obrigação de “dar nomes aos bois”! O Ministério Público Estadual agora tem, mais do que nunca, que apurar isso e tomar a oitiva do presidente da Fundação Renascer. Isso é grave!

Qual ex-diretor?

Na entrevista, Wellington Mangueira fez acusações graves de supostos “direcionamentos” para uma empresa por parte de um ex-diretor da Fundação. Mas qual? Se de 2020 para cá a Renascer já conta com o quarto diretor-financeiro? Estamos falando de dinheiro público e se alguém cometeu algum crime de responsabilidade, terá que responder por isso, até em defesa do patrimônio público. O “histórico” de Mangueira exige que ele formalize as denúncias…

E pode, Belivaldo?

Ainda na entrevista espantosa, Wellington Mangueira deu a entender que não havia problema em um assessor jurídico da Fundação, ser “preposto” de uma empresa terceirizada! É isso mesmo? Perdeu o raciocínio das coisas ou quer perder o “histórico”?

Preposto

Essa “carimba” a faixa! Chega a informação que o representante legal de uma empresa, recém-contratada pela Fundação, dias seguintes à licitação, já estava representando como preposto, em outros órgãos públicos, as empresas que participaram da concorrência em que ele foi vencedor na Fundação. Isso não é meio estranho, Sr. Wellington?

Alô Eunice Dantas!

Mas a “cereja do bolo” da entrevista do presidente da Fundação para Capitão Samuel e Bob Júnior foi quando ele anunciou que lá dentro foi montado um “esquema” para demitir e contratar pessoas durante o período eleitoral. A coluna chama a atenção do Ministério Público Eleitoral, da Procuradora Eunice Dantas, porque pelo o que disse Wellington Mangueira, será que temos políticos que estão eleitos com o uso da máquina pública? Quem?

Galeguinho, Galeguinho…

Vem aí a renovação do contrato da Fundação Renascer com a empresa Ankora? Vão prorrogar por mais 12 meses? Mesmo com tudo o que já foi denunciado por este colunista? Mesmo com todas as evidências e indícios de irregularidades? Falou-se em desvio de função, carga horária não cumprida, atrasos nos pagamentos, recebimento por serviços não prestados, dentre outras coisas, e nada será feito, governador?

Atenção servidor público!

Você que é parte do nosso funcionalismo público estadual, que não recebeu seu salário integral no último dia 30 de dezembro, morra de inveja da empresa Ankora! A Fundação Renascer conseguiu a “façanha” de liberar, junto à SEFAZ, no “apagar das luzes” de 2020, um crédito suplementar “exclusivo” para pagar a Ankora. E isso sem quem o Estado estivesse inadimplente, mas apenas para a empresa regularizar suas folhas de pagamento atrasadas, o 13º salário, transporte e férias vencidas, além do FGTS atrasado. É mole?

Valmor Barbosa I

Em entrevista ao CINFORM, o presidente da Sergás, Valmor Barbosa, falou do planejamento vigente que é cada vez mais buscar a expansão do serviço. “Essa é uma determinação governador Belivaldo Chagas para que a gente possa interiorizar esse gás, leva-lo para cada vez mais municípios”.

Valmor Barbosa II

“Nossa política é que a sociedade conheça o nosso papel, que a gente pratique cada vez uma tarifa acessível, e que a gente possa expandir esse fornecimento para o interior, para pólos como Nossa Senhora da Glória, Itabaiana, Lagarto, Umbaúba que tem muita cerâmica. Em breve nós queremos chegar a esses municípios”, completou Valmor.

Expansão

Valmor detalhou ainda alguns investimentos em São Cristóvão, pelo lado da estrada da Cabrita, pelo bairro Santa Lúcia e uma expansão pelo lado do Rosa Elze e Eduardo Gomes. “Em Estância, por exemplo, nós temos vidreiras, temos postos de gasolina, a Ambev, a Crown, fábrica de tecidos. O gás é hoje um combustível de transição. Primeiro porque ele polui muito menos. Em tem a menor taxa de CO2. Nosso sistema não tem interrupção, temos fábricas trabalhando às 24 horas e nós temos que fornecer por igual. É um serviço seguro que as empresas e condomínios estão percebendo que a saída é o gás natural”.

Produção da Fafen

Valmor também antecipou ao CINFORM que após o arrendamento, a Fafen volta a produzir dia 29. “Graças a Deus em um esforço grande do governador Belivaldo Chagas que retirou todos os obstáculos para ajudar na recuperação desses postos de trabalho e investimentos. É uma fábrica importante que a Sergás já está operando e mantendo, fornecendo gás; eles estão azeitando a máquina, fazendo testes e, a partir do próximo dia 29, eles vão iniciar a produção”.

Somação de forças

“A DESO e a SEDETEC também tiveram papéis importantes nisso tudo. A Agrese e a Sefaz com a parte tributária. Foi uma somação de esforços, por determinação do governador, para que todos os obstáculos fossem retirados. Tudo dentro da legalidade e obedecendo a legislação. Quantas pessoas foram contratadas? Volta tudo!”, completou Valmor Barbosa.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com