Aracaju, 26 de fevereiro de 2024

Carnaval exige atenção e cuidados com a saúde vocal e auditiva

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
medico_otorrino_lauroabud

Otorrino dá dicas para aproveitar bem os dias de folia

A folia de carnaval está a todo vapor com os bloquinhos de rua e trios. E com os festejos também é preciso manter a cautela em relação à saúde vocal e auditiva. Para reduzir danos e garantir que todos aproveitem da melhor forma possível, o médico otorrinolaringologista Lauro Abud dá algumas dicas.

“Para aqueles que vão a lugares agitados, é preciso manter a hidratação, ter cuidado com a alimentação, evitar gritar muito e poupar a voz, além de evitar o uso do cigarro convencional ou eletrônico. Para as pessoas que não vão para festa, mas que vão aproveitar o feriado em praia ou piscina, é necessário ter cuidado com o uso de hastes flexíveis. Isso porque na hora de secar o ouvido, deve-se usar toalha e não os cotonetes. E se houver algum problema, a orientação é buscar ajuda médica”, alerta.

O Dr. Lauro Abud destaca que o som alto é uma característica bastante comum no período, mas pode representar um perigo para a audição. Por conta disso, é preciso tomar algumas precauções. “Para quem vai para local com ruído, é essencial evitar estar próximo de caixas de som ou, no caso de estar perto, ficar pelo mínimo de tempo possível. O risco de perda auditiva e trauma acústico é muito grande, não só para quem está curtindo, como para quem está trabalhando” frisou.

O médico também alerta que abusos na ingestão de álcool podem afetar o corpo como um todo. “O álcool, a depender da intensidade, pode causar uma baixa na imunidade e predispor quadros infecciosos que JÁ estão incubados. Ele também inibe a liberação de um hormônio chamado hormônio antidiurético e tendemos a desidratar, o que causa ressacamento das mucosas o que predispõe piora de rinite, por exemplo. O álcool também é um irritador gástrico, podendo causar ou piorar refluxo e ainda outros sintomas como dor de garganta, pigarro e tosse”.

O especialista explica ainda que, após o carnaval, é comum a ocorrência de algumas patologias. Nestes casos, a orientação principal é buscar ajuda médica. “Logo após o carnaval, é muito comum que as pessoas apresentem dor de garganta, quadros virais, amidalite, sinusite, pioras de rinite e rouquidão. Ao notar sintomas, é importante não se automedicar e procurar um atendimento especializado”, finalizou.

Fonte e foto NV Comunucação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Leia também