Aracaju, 18 de agosto de 2022

Obra literária resgata história fotográfica do estado de Sergipe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O livro Retratos e Paisagens Afetivas de Sergipe foi organizado pela historiadora Sayonara Viana e traz retratos, paisagens e artigos sobre o tema

A historiadora formada pela Universidade Tiradentes (Unit) Sayonara Viana lançou nesta quinta-feira, 2, o livro Retratos e Paisagens Afetivas de Sergipe. O evento aconteceu no foyer da reitoria da Unit, com presença de convidados e amigos da organizadora. A obra apresenta 120 imagens de Sergipe catalogadas e de autoria de fotógrafos que atuaram entre os anos de 1868 e 1968.

O livro é comemorativo aos 200 anos da Emancipação Política de Sergipe e também conta com artigos produzidos por pesquisadores e escritores sergipanos sobre a História da Fotografia em Sergipe, retratos e paisagens do estado.

“Esse é um registro muito ligado à história cultural e social de Aracaju. Tanto retratos de personalidades, artistas, políticos e intelectuais como também das paisagens emblemáticas de Sergipe, a exemplo da Rua da Aurora. Foram 18 mil imagens escaneadas e catalogadas. Fizemos um trabalho de identificação das imagens. Todas elas possuem identificação. Geralmente, o fotógrafo usava um carimbo ou uma vinheta para identificar a autoria das imagens. E foi justamente esse recorte que fizemos: com as imagens que tivessem autoria”, contou Sayonara Viana.

A Unit apoiou a publicação do livro. Segundo a vice-reitora da universidade, Amélia Uchôa, a leitura traz de volta tempos passados e recordações. “Eu já conhecia Sayonara há anos e admirava o trabalho dela. Agora, ela está conosco fazendo um bom trabalho no resgate dessas histórias. Os parabéns são para ela porque conseguiu, além de tudo, trazer um lambe-lambe para o lançamento. Gente, o lambe-lambe era fantástico, que saudade! Foram boas épocas e boas recordações. A gente volta no tempo lendo um livro como esse”, declarou.

Entre as personalidades retratadas na obra está João Firpo, um italiano que aportou no Brasil no final do século XIX. O registro de parte de sua vida foi feito pela historiadora e pesquisadora da Unit, Maria Lúcia Marques Cruz e Silva. “Quando Sayonara perguntou o que tinha em Maruim sobre fotografia, a gente se dá conta da história do João Firpo, que vem da Itália e monta um estúdio de fotografia em Maruim. A gente descobre esse monstro sagrado da fotografia, eventos, personalidades, coisas de que não tínhamos conhecimento”, contou Maria Lúcia que estuda a história do município de Maruim há 40 anos e possui sete obras publicadas, além de outros trabalhos.

Outro sergipano homenageado no livro é o fotógrafo Lineu Lins. Para Iara Almeida, sua esposa, ter um capítulo dedicado a Lineu é motivo de gratidão. “Lineu é uma pessoa muito reconhecida na área de fotografia em Sergipe, foi um dos pioneiros também, acompanhou a época do lambe-lambe. Ele vai ficar muito feliz quando eu chegar em casa e mostrar o livro para ele, com a foto dele e com a contribuição dele”, disse.

Em 2015, a Unit adquiriu o acervo do fotógrafo, com mais de 500 mil imagens, que retratam a história e a evolução de Sergipe. Um projeto que é resultado de 50 anos de trabalho na fotografia. “Lineu passou o acervo para a Unit para ser eterno, para não se perder. Existe aqui no acervo a história de muitos personagens, de muitas pessoas”, comentou Iara.

A obra também será lançada em todas as cidades sergipanas citadas na obra: Maruim, Lagarto, Simão Dias, Itabaiana e São Cristóvão, com foco na comunidade estudantil. Também haverá distribuição para todas as bibliotecas nos 75 municípios sergipanos.

Assessoria de Imprensa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Leia também