Aracaju, 18 de julho de 2024
Search

Criança quebrou ou perdeu um dente? Especialista orienta o que fazer nesses casos

Dr.BrenoBarbosa_cirurgiaobucomaxilofacial

Traumas dentários em crianças são comuns no período de férias escolares

Férias escolares são sinônimo de diversão, brincadeiras e de diversas atividades recreativas e esportivas. Longe das salas de aula, as crianças estão em constante movimento e acabam mais suscetíveis a alguns acidentes, como os odontológicos. Nesses casos, a orientação é procurar ajuda especializada de imediato. O tratamento vai depender de cada caso.

O cirurgião bucomaxilofacial Breno Barbosa explica que existem diversos tipos de fraturas dentais. Entre as mais comuns estão três tipos: aquelas que afetam somente o esmalte; que expõem a dentina; ou que deixam a polpa do dente à mostra.

Em geral, uma fratura dental que envolve o esmalte dentário acontece com bastante frequência em crianças e adolescentes, principalmente, em quedas durante as brincadeiras ou em jogos coletivos. Na maioria das vezes, tratam-se apenas do desalinhamento das bordas irregulares, que podem ser restauradas sem complexidade. Em muitos casos, mais pela estética do que pela funcionalidade”.

Já a avulsão dental ocorre quando há o deslocamento total do dente de sua cavidade, quando a criança perde o dente de fato. “No caso da avulsão dentária, é importante que os pais tenham agilidade em levar a criança a um cirurgião bucomaxilofacial ou odontopediatra e até mesmo numa urgência, porque o dente pode ser reimplantado. O sucesso desse reimplante vai depender do tempo que o dente ficou fora da boca. Então, o ideal são até 30 minutos, mas pode colocar após 1 hora ou 1 hora e meia, lembrando que quanto maior o tempo, menores são as chances de dar certo”, alerta Dr. Breno Barbosa.

De acordo com o cirurgião bucomaxilofacial, nesses casos, a forma com a qual ocorre o armazenamento do dente é essencial para garantir o sucesso do reimplante. “Se a criança já tiver uma idade mais avançada e maior conscientização, o dente pode ser guardado dentro da boca, mas no caso de crianças menores, o dente pode ser colocado em um copo com saliva ou leite”, orienta.

O especialista alerta que o reimplante é importante até mesmo para os dentes de leite. “Muitos pais acham que não precisa colocar o dente de volta quando é de leite, mas o dente de leite tem a função de manter o espaço ideal para o permanente erupcionar. Então, se a criança tiver uma avulsão dentária e não reimplantar, não colocar algum aparelho para manter o espaço, os dentes vão entortar para o espaço vazio”, destaca Breno Barbosa.

Orientações

Em todos os casos de fraturas dentais, o dentista  deve ser procurado o quanto antes, seja para tratamento ou para orientação. Não é possível saber a gravidade do caso antes de chegar às mãos de um profissional.

No caso da perda de um dente, quanto antes o tratamento iniciar maiores são as chances de recolocar o dente. Se a fratura dentária for perceptível e o dente for encontrado, vale ressaltar que ele pode ser mantido dentro de um copo de leite ou saliva. Esse pequeno cuidado aumenta as chances de reaproveitamento no procedimento que será realizado.

“Vai haver sangramento no local que o dente caiu. Então, pode fazer uma lavagem com soro fisiológico, água corrente e colocar gelo para diminuir um pouco a dor, até chegar no consultório ou na urgência. Eu sugiro um consultório odontológico mesmo, porque nos hospitais não vai haver todos os materiais que tem em um consultório e, às vezes, quando a gente reimplanta, precisa colocar resina ou um fiozinho para segurar o dente”, orienta o cirurgião bucomaxilofacial.

Sobre Breno Barbosa

Graduado pela Universidade Tiradentes (UNIT) e especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), o Dr. Breno Barbosa é mestre e doutorando em Odontologia pela Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Foi coordenador do curso de Odontologia no Centro Universitário Ages (Paripiranga/BA) e, atualmente, é coordenador e professor do curso de pós-graduação (aperfeiçoamento) em Cirurgia Oral no Instituto Gois Aguiar e professor do curso de Cirurgia Oral do Centro de Aperfeiçoamento Profissional (CAP), ambos em Aracaju/SE.

Também é cirurgião bucomaxilofacial do Centro de Tratamento Ortofacial (CTO) e do Serviço de Urgência do Hospital Unimed, onde atua em conjunto com os cirurgiões Dr. Lucas Guerzet e Dr. Mark Jon, na realização de diversos procedimentos, em especial, cirurgias ortognáticas e artroscopia da articulação temporomandibular (ATM).

Texto e foto NV Comunicação

Leia também