Aracaju, 16 de junho de 2024
Search

Paula Lavigne, Caetano Veloso e Edna: Saiba detalhes dessa treta!

xr:d:DAFh6mzlS64:2159,j:6934828126527873717,t:23112808

Edna Santos, ex-governanta de Paula Lavigne e Caetano Veloso quer receber pelos 22 anos de serviços prestados ao casal famosos. Por conta disso, ela os colocou na Justiça.

Em duas ações trabalhistas, na Justiça do Rio de Janeiro, a ex-funcionária pede R$ 2,6 milhões de indenização, e virtude de demissão por justa causa.

De acordo com a Poder SP, da Veja SP, Edna recebeu dispensa no começo de maio, sob as acusações de furtar garrafas de bebidas alcoólicas. Além disso, ex-funcionária também acabou acusada de se hospedar de forma clandestina em uma casa na Bahia e de utilizar um veículo da empresa de Caetano para fins particulares. Edna ainda enfrenta acusação de furto de dólares dos ex-patrões.

Vale destacar, entretanto, que recentemente, no documentário de AngélicaPaula citou Edna e a maneira como ela tratou a ex-governanta, causou estranheza. Ela, além de Ivete SangaloGiovanna Ewbank e Carolina Dieckmann tinham que telefonar para alguém importante e expressar o amor. Na vez de Paula, a conversa iniciou em tom autoritário.

“Edna, a água chegou? Caetano comeu?”, disse a produtora, primeiramente. “A água não chegou porque o cara cancelou e marcou para amanhã 10h, e o Caetano comeu mingau”, respondeu a governanta. “Tá, Edna, só para dizer que eu te admiro muito, tá?”.

Sem entender, Edna Santos reagiu: “Tá. O que aconteceu?”, indagou. “Pediram para eu ligar pra uma pessoa que eu admirasse. Você sabe que pode contar comigo, né, Edna?”, encerrou Lavigne.

O que diz a ex-funcionária de Caetano

No último sábado, a defesa da ex-governanta divulgou nota em que afirma que a cliente foi “vítima de Paula” e “foi submetida a um padrão sistemático de abusos psicológicos e morais”.

“Durante os 22 anos em que trabalhou na residência do casal, Edna foi submetida a um padrão sistemático de abusos psicológicos e morais, fatos que ainda serão levados ao conhecimento do Judiciário Trabalhista em momento oportuno”, diz um trecho do comunicado assinado pelo jurídico da ex-funcionária.

Como Paula Lavigne se defende

De acordo com a equipe jurídica de Paula, a mulher de Caetano Veloso não vai expor a ex-funcionária.

“São fatos muito graves, que estão sob investigação policial e, também, são objeto de ações judiciais (…) Ela (Lavigne) não vai expor a ex-funcionária pela mídia com revelações e narrativas que devem ser apresentadas apenas ao Judiciário”, diz o texto da assessoria.

A defesa de Lavigne destacou ainda que a empresária tem “grande tristeza” pela forma como se encerrou a relação de trabalho com Edna e “prefere deixar que a Justiça julgue e decida sobre o caso”.

OFUXICO

Por 

Foto: Reprodução/ Instagram

Leia também