Aracaju, 22 de setembro de 2021

Pesquisa mapeia idosos que sofreram acidentes e violência em Sergipe (Foto ascom)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Uma em cada nove pessoas no mundo tem 60 anos ou mais, segundo as projeções das Nações Unidas. Com o aumento do número de idosos, também tem ocorrido aumento nos casos de acidentes e violência contra idosos. Em Sergipe, um estudo pioneiro está sendo realizado pela mestre em Saúde Coletiva e professora da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Andrezza Marques Duque, para caracterizar as causas externas sofridas pelos idosos em Sergipe, dos quais se incluem acidentes de trânsito, quedas, lesões e agressões.

A pesquisa tem por objetivo determinar o perfil dos idosos vítimas de acidentes e violências avaliando os prontuários de atendimento das urgências do Hospital Regional de Lagarto/SE e do Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (HUSE). O projeto é fruto do Programa de Pesquisas para o Sistema Único de Saúde (SUS), desenvolvido pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe.

A pesquisadora Andrezza Duque avalia que os resultados da pesquisa serão importantes para a elaboração de políticas públicas para os idosos. “Acredita-se que os resultados encontrados poderão ser utilizados como subsídios na elaboração e desenvolvimento de ações preventivas e de intervenção nesta população, podendo, também contribuir na elaboração de políticas públicas que favoreçam a este segmento etário da população”, pontuou a pesquisadora.

Estudo

O levantamento nos hospitais já foi iniciado. A meta é levantar a identificação dos idosos que sofreram acidentes e violência entre janeiro e dezembro de  2015. “Vamos identificar esses perfis dos acidentes e violências que eles sofreram. Além de identificar o sexo, a faixa etária, , a escolaridade, o estado civil e se sofreu agressão. Com base nesses prontuários, vamos identificar o perfil deles e quais foram os casos que mais aconteceram de acidentes. Após o levantamento será estabelecida uma relação entre os fatores e o tipo de lesão, considerando a população idosa a partir dos 60 anos.

Ainda segundo a pesquisadora, os estudos já apontam que as quedas e os atropelamentos são as principais causas de morbimortalidade por causas externas emidosos. Considerando o forte impacto que podem causar na vida destes idosos, espera-se que os resultados possam colaborar com o planejamento de prioridades e proposições de ações de prevenção, no sentido de promover o envelhecimento ativo.

fonte: Fapitec

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Câmara Municipal de Aracaju aprova 17 proposituras nesta quarta-feira
Senar Sergipe abre inscrições para o curso de frangos e galinhas
Região Nordeste registra etanol mais caro do País nos primeiros dias do mês, aponta Ticket Log
Em nota, SSP diz que o delegado Marcelo Hercos permanece em estado grave, intubado e sedado