Aracaju, 25 de setembro de 2021

COMO FICA DEPOIS DO IMPEACHMENT

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Diógenes Brayner – plenario@faxaju.com.br

Um novo Brasil virá após o impeachment. Passando ou não. A presidente Dilma, mesmo se mantendo no Planalto, perde a confiança e ficará isolada da sociedade pela sua incompetência e imaturidade. Não terá coragem de por a cabeça de fora e jamais voltará a adquirir a popularidade de um líder de Estado.

Será Dilma. Sempre a Dilma, que escondeu dados da economia para reeleger-se a presidente. A mesma Dilma que está sempre sob a desconfiança de que sabia do assalto à Petrobras e cruzou os braços para a corrupção. Assim como, ainda hoje, ninguém é capaz de acreditar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não sabia do mensalão, ou que Fernando Henrique Cardoso conseguiu aprova o projeto da reeleição sem melar a mão de parlamentares.

A corrupção é um cancro que corrói o Brasil há séculos e é muito desejada por aqueles que nunca tiveram oportunidade de chegar próximo a ela.

Em almoço sábado, num restaurante em Aracaju, a opinião de dois políticos era de que Michel Temer (foto) será um grande presidente. Ilusão que cheira a debilidade. Michel não tem liderança e o máximo que fará é negociar bondades para uma elite política que vive eternamente pendurada nos galhos rechonchudos do Poder. Temer não tem projetos para o Brasil e vai tratá-lo como casa de tolerância para acalmar ânimos daqueles que, de cima, manuseiam os de baixo.

Há informação de Brasília que Temer estaria chateado com Sergipe e, se caso assumir a Presidência, pode intervir no Diretório Estadual de partido, em razão da posição do PMDB estadual contra a decisão da legenda. O que não é convincente. Segundo o presidente atual, João Augusto Gama, a intervenção na é pratica do PMDB.

Mas, se acontecer o impeachment, a legenda será outra.

BRIGA FEIA

Registra-se uma briga do mais baixo nível no whatsapp, entre o advogado João Fontes e o conselheiro Clovis Barbosa, presidente do Tribunal de Contas.

João acusa Clovis de pagar Auxilio Moradia retroativo a membros do TCE.

NEGA TUDO

Pelo que João e outras pessoas falam houve o pagamento, é um escândalo que merece ser investigado, porque fora feito antes da lei.

Até o momento não houve resposta do presidente do TCE.

RESPOSTA

Clovis Barbosa pediu a “João Fontes que aguarde resposta”. E mais: “você tem o direito de ser ignorante, covarde e pusilânime”.

– Mas não tem o dinheiro de levar para a lama o que você é e sempre foi: leviano.

VALADARES

O senador Valadares (PSB) nega que tenha assinado nota na bancada se posicionando contra o impeachment nesse momento em que o processo se encontra na Câmara.

– Isso se trata de uma grande mentira…

SAMUEL

Do meio governista Capitão Samuel: votei contrário ao projeto que aumenta desconto dos servidores para o Ipes Saúde, infelizmente foi aprovado por maioria.

Ele apresentou duas emendas sempre.

IPES SAÚDE

A Assembléia Legislativa aprovou o projeto do Ipes Saúde para aumento de taxas de contribuintes. Dos 20 votos, o Governo obteve 11.

Ana Lúcia (PT), definitivamente está na oposição.

REUNIÃO

Todos os précandidatos a vereador pelo PSC se reuniram domingo, com o presidente estadual André Moura. Tudo começou com clima muito tenso.

Razão o grupo não aceita Pedrinho Barreto e coronel Yunes.

HARMONIA

O encontro terminou em harmonia, diante da garantia de André Moura de que o PSC não fará coligação e não aceita mais nenhuma candidatura fora da chapinha.

– Temos um grupo harmonioso com todas as vagas devidamente preenchidas.

ENCONTRO

O PMDB em peso se encontra hoje no Mercury. São précandidatos a vereador de Aracaju que vão indicar por unanimidade Zezinho Sobral para vice pelo partido.

A partir de agora o nome do partido está lançado.

RÁPIDO

O deputado federal Valadares Filho (PSB) teve uma conversa com o deputado André Moura (PSC) sobre sucessão em Aracaju, mas muito rápida.

Marcaram uma nova reunião para depois da votação do impeachment.

SEM JEITO

Já está bem definido que o PSB deixou a base aliada e praticamente não participa do Governo, inclusive deixando de votar em interesses de JB na Assembléia.

Para o Palácio dos Despacho o PSB é oposição.

EDVALDO

O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) continua na base e tem certeza que será o nome do Governo, em razão da distância percentual que está do concorrente Zezinho Sobral.

Acha que Jackson não trocará o certo pelo duvidoso.

EDUARDO

Quanto a Eduardo Amorim há um problema: por mais que ele diga que vai disputar a Prefeitura, seus aliados demonstram não acreditar.

Mesmo assim ele se acha bem junto ao eleitorado.

CHATEADO

Chega de Brasília a informação de que o presidente nacional do PMDB, Michel Temer, estaria muito chateado com o governador Jackson Barreto, que se pôr a favor de Dilma.

A mesma chateação também com o deputado Fábio Reis.

INDECISO

O deputado Adelson Barreto (PR) não esconde que está “indeciso”. O seu partido ainda não se decidiu contra ou a favor do impeachment.

Tem dito que o seu voto vai seguir orientação do povo.

REUNIÃO

Foi realizada reunião ontem do PPS sobre a formação da chapinha/2016 e o nome de Armando Batalha foi aceito, inclusive podendo disputar a Prefeitura de Aracaju.

Nenhum vereador aceitou o nome de Celma França.

COMEMORA

O deputado federal André Moura (PSC) comemorou ontem o resultado da Comissão do Impeachment contra Dilma e o fato do PP apoiar o impeachment.

– Acho que agora não tem mais jeito…

QUADRO

Para André Moura, dento do quadro que se apura sobre a votação do impeachment, já existem quase 400 deputados favoráveis à deposição de Dilma.

A folha diz que o Governo conta com 190 deputados.

Notas

Minimiza – Ante protesto contra o impeachment de presidente Dilma Rousseff, realizado na noite de ontem no Rio de Janeiro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva minimizou o resultado negativo obtido na comissão do impeachment, que decidiu aprovar o relatório de Jovair Arantes (PSDB-GO).

0x0

Mercado – O mercado brasileiro prossegue em sua escalada positiva, com queda do dólar e dos juros futuros e alta da bolsa. O investidor opera com um olho na votação de ontem do relatório do impeachment e outro nas expectativas para a votação em plenário, no próximo domingo.

0x0

Equívoco – O vice-presidente Michel Temer disse que a gravação feita por ele e divulgada ontem, na qual apresenta propostas que pretende discutir, caso assuma o governo, foi um “equívoco” e que foi em resposta a alguns “companheiros”, que perguntaram a ele se estava preparado para ocupar a Presidência da República.

0x0

Denúncias – A PGR lançou aplicativo para celulares e tablets para receber denúncias de qualquer tipo de crime. O programa SAC MPF pode ser baixado de graça nas lojas virtuais dos aparelhos Apple e Android. O objetivo do órgão é aproximar o cidadão MPF, principalmente onde não há unidades físicas.

0x0

Frágil – O líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (CE), acusou, ontem, o deputado Jovair Arantes (PTB-GO) de ter produzido um parecer frágil e sem fundamento para justificar a abertura do processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff por crime de responsabilidade.

0x0

Emendas – O governo destinou R$ 6,6 bilhões para a compra de votos de deputados e senadores. A manobra foi feita por meio de recursos que serão direcionados a emendas apresentadas por parlamentares. Apesar de cortes no orçamento, presidente Dilma Rousseff manteve os recursos para as emendas individuais.

Conversando

Diógenes – O senador Eduardo Amorim (PSC) acompanhou, ontem, posse do juiz Diógenes Barreto, como desembargador do Tribunal de Justiça de Sergipe.

Sonho – De Clovis Silveira: Se você acredita no seu sonho, não importa como, nem dia, nem hora. Você será capaz de realizar.

Ao lado – Ao lado do presidente da Comissão Especial do Impeachment, Rogério Rosso, o deputado André Moura (PSC) acompanha os debates.

Impeachment – Executiva Nacional do PSB decide pelo apoio ao impeachment. Partido orienta bancada a votar pelo afastamento.

Planalto – Dessa forma, o senador Valadares Filho (PSB) não pode abrir de votar conta a permanência de Dilma no Planalto.

Cunha – João Augusto Gama diz que o PMDB não aceitará suposta interferência do deputado Eduardo Cunha em Sergipe.

Pesquisa – Zezinho Sobral questiona credibilidade de pesquisas que o colocam abaixo nas intenções de voto para PMA.

Renuncie – Laércio Oliveira sugere à presidente Dilma que renuncie como um verdadeiro guerreiro que sabe a hora de baixar a guarda.

Parado – Chico Dantas destaca que o Brasil está parado até o próximo domingo quando será votado o impeachment de Dilma. Tudo está parado.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Polícia prende mulher que praticou roubo de motocicleta no Bugio
Enock Ribeiro, secretário Socorro, recebe Título de Cidadão Sergipano
Eliane participa reunião com articuladores do Selo UNICEF
Fábio Reis assina ordem de serviço para pavimentar povoado