Aracaju, 22 de janeiro de 2022

Sem título

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Eduardo Cunha diz que é contraditório Dilma Rousseff falar em pacto e agredir

 

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (13) no Salão Verde, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, comentou a ideia anunciada pela presidente Dilma Rousseff de fazer um “amplo pacto nacional”, inclusive com a oposição, caso o pedido de impeachment seja rejeitado pela Câmara no domingo (17).

“É contraditório falar em pacto e agredir. Dificilmente alguém que agride tem condições políticas de fazer pacto. Pacto pressupõe que você precisa ter condição política de debater com as pessoas”, disse Cunha. “Quando se vai para agressão, como se parece que vai, não se consegue fazer pacto. Dizer que é golpe e no outro dia querer sentar com os golpistas? É difícil essa retórica”, acrescentou.

Segundo ele, Dilma perdeu “várias oportunidades” de discutir soluções concretas para o País.

Cunha também criticou o fato de Dilma ter dito, em conversa com jornalistas, que seria preciso lutar no Senado pela rejeição do impeachment mesmo se o pedido fosse rejeitado pela Câmara (hipótese em que, na verdade, o assunto sequer chegaria ao Senado): “Ela parece que não compreende o processo, fala como se Câmara e Senado fossem juntos ao mesmo tempo”, disse o presidente.

(Agência Câmara)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Escola de Artes Valdice Teles abre inscrições para 685 vagas em diversos cursos
Defesa Civil segue monitorando municípios sergipanos margeados pelo Rio São Francisco
Provas do Enem 2022 serão aplicadas no mês de novembro; confira todo cronograma
Prefeitura abre novo edital para eleição do Conselho da Previdência