Aracaju, 19 de setembro de 2021

LIDER DO PT TEM DISCURSO OTIMISTA PARA DERROTAR IMPEACHMENT

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), deixou na manhã desta quinta-feira (14), o café da manhã com a presidenta Dilma Rousseff, no Paládio do Alvorada, com um discurso otimista pela derrubada do processo de impeachment. Ele disse que o governo não corre o risco de ter menos de 216 votos contrários à admissibilidade do processo na votação do domingo, 44 votos a mais que os 172 necessários para barrar o pedido.

“A margem para nós está muito acima dos 172 votos necessários e a deles (oposição), muito abaixo dos 342 votos”, disse Guimarães. Já o líder do PT na Câmara, deputado Afonso Florence (BA), citou um placar entre 200 e 220 votos favoráveis ao governo.

Além de ministros e parlamentares de partidos aliados ao governo, participaram do encontro os agora ex-ministros Celso Pansera, da Ciência, Tecnologia e Inovação, Mauro Lopes (Aviação Civil) e Marcelo Castro (Saúde). Os três são deputados federais do PMDB e foram exonerados nesta quinta-feira dos cargos, a pedido, para votarem contra o impeachment.

Além deles, os ministros Antonio Carlos Rodrigues, dos Transportes, ligado ao PR, e Armando Monteiro, do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, do PTB, partidos com maioria favorável ao impeachment, estiveram na reunião com a presidente.

No encontro, segundo Guimarães, a presidente fez um breve discurso e estava bem-humorada. “Estou impressionado com o astral da presidente Dilma; ela continua firme. Fez um discurso forte e agradeceu os aliados”, afirmou.

Divisão – Indagado sobre o desembarque de partidos aliados como PP e PSD, o líder do governo disse que às vezes a decisão é até melhor, pois favorece a divisão dentro da bancada entre os parlamentares contrários e favoráveis. “Às vezes, o desembarque oficial de uma liderança, ou de uma parte de uma bancada é até melhor para a dissidência. Fica até maior do ponto de vista dos votos”, afirmou.

Guimarães e Florence disseram ainda que o governo seguirá com o trabalho de convencimento de deputados indecisos e de troca de posição de parlamentares que já se declararam favoráveis ao impeachment, mas que não irão divulgar quais foram convencidos para evitar o contra-ataque da oposição.

Guimarães comparou esta semana à reta final da campanha à reeleição de Dilma, em 2014, quando ela venceu o senador Aécio Neves (PSDB-MG) na votação mais equilibrada para presidente da história do País.

PT na Câmara, com agências

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Unica/SE:existem ordem do Comando da PM ou SSP para que CIOSP prevarique ou a ordem do Diretor?
Sergipe receberá mais de 64 mil vacinas contra Covid-19
Prefeitura em Ação é realizado no Povoado Mata do Peru
Jovem é presa suspeita de tráfico de drogas no bairro Olaria