Aracaju, 28 de setembro de 2021

PP E PSDB VÃO DIVIDIR RELATORIA DO IMPPEACHMENT NO SENADO

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O PSDB e o PP, dois partidos de oposição à presidente Dilma Rouseff, vão dividir a presidência e a relatoria da comissão que analisará o pedido de impeachment na segunda fase do processo autorizado neste domingo pela Câmara. Os tucanos devem ficar com a presidência. O nome mais cotado é o do senador Antônio Anastasia (foto, de MG). Para a relatoria, que ficará a cargo do PP, estão sendo avaliados os nomes de Gladston Cameli (AC), investigado em um dos inquéritos da Operação lava Jato, e Ana Amélia Lemos (RS).

O acordo foi fechado enquanto a votação da admissibilidade do pedido de impeachment estava sendo votado pelos deputados. Os líderes dos maiores partidos de oposição na Câmara também participaram da negociação. O PMDB, que tem a maior bancada de senadores, terá o maior número de componentes do colegiado que vai julgar Dilma Rousseff a partir da próxima terça-feira. O presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), se dispôs a ler nesta segunda-feira a ata da decisão tomada neste domingo pelos deputados. A leitura abre formalmente o julgamento da presidente.

A defesa da presidente Dilma Rousseff terá 10 dias para apresentar a defesa das acusações de crime de responsabilidade pelo descumprimento da Lei de responsabilidade Fiscal durante o ano passado. A escolha do PP para relatar o caso é o primeiro sinal de que o PT e a defesa da presidente terão muita dificuldade para impedir o afastamento de Dilma. Com 367 votos de deputados pela abertura do processo, 25 votos a mais que o mínimo necessário, o pedido de impeachment chega ao Senado com o apoio robusto da Câmara, o que deve influenciar o posicionamento dos senadores.

O PT tem 11 senadores. É a segunda maior bancada junto com o PSDB, mas insuficiente para rejeitar, sozinha, o julgamento de Dilma Rousseff. Os senadores do PMDB formam a maior bancada, com 16 membros, preferiram ficar fora dos cargos de direção da comissão julgadora, mas terá o maior número de votos no colegiado. Os petistas e o Palácio do Planalto contam com a ajuda dos senadores do PSB que já se manifestaram contra o impeachment. Na bancada dos de sete socialistas, somente o senador Antônio Carlos Valadares (SE) já se manifestou a favor do impeachment. Os petistas também contam com o voto certo da senadora Vanessa Grazziotim (PCdoB-AM).

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Polícia já tem suspeito do roubo das joias de Ana Alves, que inclui anel do seu pai, e já vai ouví-lo
Seduc convoca 57 educadores profissionais aprovados em seleção para cursos técnicos
Sergipe recebe mais de 67 mil vacinas para aplicação em primeira e segunda doses
Luciano Bispo diz que PDES revela potencialidades para investimentos