Aracaju, 17 de setembro de 2021

Agentes visitam cerca de 2 mil imóveis durante força tarefa deste sábado (Foto: Ascom/SMS)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A força tarefa “Todos contra o mosquito” deste sábado, 16, foi realizada no Centro e no bairro São José.  Cerca de 100 agentes de Endemias e de Saúde percorreram ruas e avenidas das duas localidades visitando casas, terrenos e estabelecimentos comerciais. Aproximadamente 2 mil imóveis foram trabalhados na ação que teve início às 8h da manhã e encerrou ao meio dia. Os mutirões aos sábado, realizados pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), têm o objetivo de  identificar e eliminar possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika Vírus.

Durante as visitas, os agentes também orientaram moradores e comerciantes sobre os  cuidados que todos devem  ter para manter os ambientes livres do Aedes aegypti, como: tampar os tonéis e caixas d’água, manter as calhas sempre limpas, deixar garrafas sempre viradas com a boca para baixo, manter lixeiras bem tampadas, usar telas nos ralos, entre outros.  Uma equipe de limpeza da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) também participou da ação realizando a limpeza em locais onde havia acúmulo de lixo.

O número de imóveis visitados hoje foi  maior do que nos mutirões realizados nas últimas semanas, como explica a supervisora de campo do Programa de Controle do Aedes, Ademildes Figueiredo. “No Centro da cidade nós temos muitos estabelecimentos comerciais e muitas lojas em galerias. São imóveis menores e poucos deles possuem quintal, desta forma os agentes conseguem realizar o trabalho mais rápido, o que nos possibilitou fazer mais visitas do que de costume”.

O taxista Josivaldo dos Passos trabalha em uma cooperativa que fica na rua Divina Pastora. Recebeu os agentes com muita satisfação e pediu para que eles verificassem se existia algum foco do mosquito em um local do prédio de difícil acesso.“O agente fez uma varredura na cooperativa e não encontrou focos. É muito importante que todos se conscientizem da importância desse trabalho. Eu já tive Chikungunya e sei como é ruim ficar doente, por isso receberei sempre bem as equipes da Secretaria de Saúde”, explicou.

Na rua Capela, a costureira Eralda Josefa Cruz relatou aos agentes que também teve Chikungunya.“Tenho 75 anos e foi a primeira doença que tive pra me derrubar. Fiquei dias sem trabalhar e precisava de ajudar até para levantar da cama. Hoje estou curada, mas passei por dias difíceis”. E finalizou a conversa ressaltando a importância da realização da força-tarefa. “Eu vou continuar abrindo a porta da minha casa e também do meu estabelecimento para os agentes qualquer dia da semana. Toda a população tem que fazer o mesmo porque só assim nós poderemos vencer essa batalha contra o mosquito”.

Fonte: AAN

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sergipe registra 1 morte nesta sexta, depois de 6 dias sem óbitos
Doações de órgão: chances dos sergipanos precisarem de transplante são bem maiores
Hospital Cirurgia realiza ação para comemorar Dia Mundial da Segurança do Paciente
Preço médio do óleo diesel segue em alta no início do mês de setembro e litro se aproxima de R$ 5,00, aponta Ticket Log