Aracaju, 19 de janeiro de 2022

Brigada da Educação contra o Aedes certifica mais uma escola (Foto: Maria Odilia)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Brigada da Educação contra o Aedes continua visitando as escolas da rede estadual de ensino, com o intuito de mobilizar à comunidade contra possíveis criadores do mosquito.

Nesta segunda-feira, 18, foi a vez da Escola Estadual Frei Esmeraldo Silva Menezes, no bairro José Conrado de Araújo, em Aracaju, receber os técnicos da Secretaria de Estado da Educação.

O teatro da Seed formado por estagiários do curso de Teatro da Universidade Federal de Sergipe encenou a peça “O Circo da Saúde”. A plateia composta por alunos do 1º ao 5º ano da escola não tiraram os olhos dos futuros artistas, que de forma artística e lúdica conseguiram passar as informações necessárias à prevenção.

“Vou aprender mais para levar as informações para casa”, afirmou Laysa Mendes, do 4º ano.

Cursando o mesmo ano, Thauanny Gomes disse já ter participando de um projeto que alertava contra o Aedes e destacou que água parada é a principal fonte de proliferação do vetor.

“Em casa todos já ficaram doente: meu pai, minha mãe, minha irmã, menos eu. Acho importante, porque apreendemos cada vez mais”, disse.

Atividades contra o mosquito

Na entrada da escola, um painel mostrou em formato de desenhos e pinturas o quanto os alunos aprenderam as causas e as consequências de não limpar adequadamente as residências e acumular ou jogar depósitos de possíveis água parada em local inadequado.

Técnicos da Seed formaram a Brigada Itinerante composta por alunos, que continuará com as atividades, além de ter visitado as instalações a procura de possíveis focos.

Como não foi encontrado nenhum criadouro, nem o mosquito, a escola recebeu o selo verde.

A diretora Jociene Reis informou que as atividades contra o Aedes iniciaram em janeiro, dentro da programação do ano letivo, com palestras nas reuniões temáticas com os pais.

Como há evidências de que muitos alunos e pais contraíram o Zika Vírus, foi acordado entre a coordenação da escola que as atividades irão continuar.

“É um trabalho em conjunto. As crianças se envolvem e é a realidade que elas vivem, porque há registros de alunos e pais que adoeceram”, destacou.

Assessoria de Comunicação da SEED

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Aluna de Rosário recebe medalha nas Olimpíadas de Matemática
Covid: Aracaju inicia nova fase vacinação infantil e inclui crianças de 11 anos, sem comorbidades
Secretaria de Estado da Saúde lança o Selo Família Vacinada
Programa Sinal Vermelho reforça o combate à violência doméstica