Aracaju, 22 de setembro de 2021

Músico Prince morre aos 57 anos nesta quinta nos Estados Unidos (Foto: Divulgação/Prince.org)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
da Agência Brasil*

O músico norte-americano Prince morreu na manhã desta quinta-feira (21), aos 57 anos. A notícia foi dada pelo site TMZ, dos Estados Unidos, e confirmada em seguida pelo agente do músico. De acordo o TMZ, foi aberta uma investigação sobre morte do músico, em Paisley Park, onde Prince tinha casa e um estúdio. O cantor tinha sido hospitalizado recentemente com uma gripe.

O cantor Price morreu aos 57 anos
O cantor Price era considerado um dos ícones da música pop das últimas décadas, junto com Michael Jackson e Madonna Divulgação/Prince.org

Considerado um dos ícones da música pop das últimas décadas, junto com Michael Jackson e Madonna, Prince Rogers Nelson nasceu 1958, em Minneapolis, Estados Unidos. Ele começou a carreira de cantor no fim dos anos 1970, alcançando maior notoriedade a partir dos anos 1980. Sua música era influenciada pelo funk, soul e rock, mas não se limitava a isso. Uma de suas características era mesclar elementos e dar um acento pop. Prince foi premiado com o Grammy, considerado o Oscar da música, por sete vezes.

Algumas de suas canções mais conhecidas como Kiss, I Wanna Be Your Lover, Why Wanna Treat Me So Bad e Purple Rain. Essa última, inclusive, rendeu um filme de mesmo nome, estrelado por ele e lançado em 1984. O filme lhe rendeu um Oscar de melhor trilha sonora original. A carreira de Prince inclui 39 álbums de estúdio e quatro álbums ao vivo.

Em 1989, aliou sua música a uma das maiores superproduções cinematográficas da época, o filme Batman, dirigido por Tim Burton. Prince gravou a trilha sonora, rendendo uma indicação para o Grammy como melhor performance masculina de vocal pop.

Seu talento não se limitava às habilidades como cantor. Prince era multi instrumentista e um exímio guitarrista. A revista Rolling Stone, especializada em música, o elencou como o 33º guitarrista de todos os tempos. Prince também trabalhava muito sua imagem, com um visual andrógino e, ao mesmo tempo, viril.

Entre 1993 e 2000, ele deixou de usar seu nome e passou a se identificar por um símbolo, que aliava os gêneros masculino e feminino. Nesse período, se autointitulou “O Artista”, e não mais Prince. Essa decisão foi tomada por uma questão judicial, uma vez que sua gravadora na época, a Warner, que detinha os direitos sobre seu trabalho.

*Com informações da Agência Lusa

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

DHPP prende mandante de feminicídio no bairro São José
Internação de idosos por covid reforça importância do reforço
Goretti detalha visita a CG que sediará Conferência da Unale
Dois homens acusados de balear o delegado Marcelo Hercos são presos em Aracaju