Aracaju, 7 de dezembro de 2021

Bebês neonatos recebem assistência qualificada na MNSL (Foto: Ascom SES)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Ofertar atendimento especializado aos bebês prematuros e com necessidade de cuidados especiais. Esse é o objetivo da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin) da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), pioneira no estado de Sergipe no tratamento de alto risco. O setor mantém a assistência especializada às crianças, ajuda a diminuir as taxas de mortalidade, além de promover uma recuperação mais rápida para os recém-nascidos.

Uma equipe multidisciplinar, composta por 263 profissionais, forma a Utin da MNSL, que conta com uma grande diferencial: médicos especializados nas áreas de neuropediatria, cardiologia, nefrologia cirúrgica pediátrica e genética. A unidade, responsável por todas as terapias neonatais, é dividida por gravidade e possui 34 leitos para pacientes (externos e internos) de UTI Neonatal.

“A área é destinada ao recém-nascido de alto risco, que necessita de recursos físicos e humanos especializados para prestação de cuidados médicos hospitalares constantes”, explica a gerente da Utin da MNSL, Monique Daniela Cabral. A portaria 930/2012 do Ministério da Saúde (MS), que define as diretrizes e objetivos da atenção integral ao recém-nascido do Sistema Único de Saúde (SUS), classifica a UTI Neonatal da MNSL como tipo III de complexidade, grau máximo, em uma escala que vai de um a três pontos.

“No grau primário, é feito o acompanhamento da gestante e do bebê de baixo risco, identificando e encaminhando os casos de maior risco para os próximos níveis de assistência. O secundário acompanha mãe e recém-nascido de baixo e médio risco, selecionando e encaminhado casos de maior risco para os centros mais habilitados para o seu atendimento. Já o terciário é destinado aos atendimentos de gestantes e recém-nascidos de alto risco e internação de bebês com algumas patologias e clinicamente instáveis”, destaca Monique Cabral.

Ucinca e Ucinco

A Unidade de Cuidados Intermediários (Ucinco) conta 25 leitos oficializados pelo Ministério da Saúde. “Eles são destinados ao recém-nascido de baixo risco que necessita de recursos físicos e humanos especializados para prestação de cuidados médicos hospitalares constantes”, esclarece a gerente da Ucinca e Ucinco, Fabiana Monteiro. Ela ressalta, ainda, que a Ucinco é indicada para o bebê prematuro ou de baixo peso que precisa de tratamento, apesar de apresentar um quadro estável de saúde.

Já a Unidade de Cuidados Intermediários Canguru (Ucinca) conta com 24 leitos. O setor é destinado ao cuidado com o recém-nascido, que fica alojado juntamente com a mãe, recebendo assistência de forma especializada e humanizada.”O cuidado pele a pele é fundamental para aumentar o vínculo afetivo entre mãe e bebê. Nossa meta é fortalecer, ainda mais, as ações de humanização e aproximar mãe e bebê das ações assistenciais”,esclarece a gerente, Fabiana Monteiro.

Além dos serviços oferecidos na Unidade Neonatal aos bebês prematuros ou de baixo peso, a equipe multiprofissional promove um maior contato entre a mãe e a criança. “Medida que causa maior segurança por parte da mãe, que passa a se sentir mais capaz de oferecer estímulos positivos às crianças, o que beneficia o desenvolvimento e recuperação delas. Além disso, a amamentação também é colocada em prática, o que diminui o risco de infecção hospitalar e o tempo de internação do bebê na unidade”, enfatiza a coordenadora da Unidade Neonatal da MNSL, Thereza Batista.

Ascom SES

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Janier Mota, em carta aberta, anuncia que não disputará reeleição em 2022 e relata os motivos
Deputados se reúnem com os representantes das empresas Sunoak e Elektsolar
Zezinho Sobral defende criação do “CNH Social” para  sergipanos de baixa renda
CMA aprova PL em homenagem ao Ex-Deputado Estadual Reinaldo Moura