Aracaju, 19 de setembro de 2021

Comissão discute federalização do CER para pessoas com deficiência (Foto: Assessoria)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Centro está sendo construído pelo Estado com recursos do Proinveste

A primeira reunião entre os membros da Comissão criada para discutir o processo de federalização do Centro Especializado em Reabilitação Tipo IV, o CER IV, foi realizada nesta terça-feira, 03. O grupo, que tem representantes da Secretaria de Estado da Saúde (SES), da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e do Hospital Universitário (HU), iniciou as discussões com o processo de doação do equipamento de saúde, que tem previsão de inauguração para dezembro deste ano.

Como o Centro ainda está em construção, por enquanto, a SES e a UFS trabalham a partir de um Termo de Cooperação. “Tratamos de alguns detalhes burocráticos do processo. A Universidade demonstrou interesse em fazer uma cogestão do CER IV desde 2015 e, agora, estamos dando seguimento a esse trabalho”, informou a coordenadora da Rede Estadual de Cuidados às Pessoas com Deficiência da SES, Alynne França.

O grupo também falou sobre a missão do Centro de Reabilitação. De acordo com técnica da SES, esse equipamento de Saúde vai nascer não apenas com o olhar de atender o paciente clinicamente, mas com o objetivo maior de reabilitá-lo, valorizando suas capacidades. “Que a pessoa com necessidades especiais, dentro da suas limitações, tenha condição de estar na sociedade, integrada e, cada vez mais, fortalecida”, complementou.

Alynne França explicou, ainda, que o CER IV terá uma proposta intersetorial, trabalhando educação, saúde e assistência de maneira conjunta. O principal objetivo será a qualidade de vida do paciente e a inserção social dele, trabalhando desde a estimulação precoce até a reabilitação de adultos. “A gente vem desmontando alguns paradigmas, no sentido de que o deficiente é um indivíduo que merece ter seu espaço garantido, como qualquer outro”, ressaltou.

Outros pontos

O terceiro ponto de discussão tratou das questões de custeio, com a intenção de articular com a Universidade quais serão os meios de captação de recurso para manutenção do serviço, além da Portaria nº 835, do Ministério da Saúde (MS), que institui o financiamento e custeio do serviço.

“Também falamos sobre a Oficina Ortopédica, que será anexa ao CER IV. O Estado foi contemplado, através da Portaria nº 962, do MS, e hoje os professores da Universidade trouxeram para a discussão a importância dela. Com a oficina, o paciente vai receber não só a órtese e a prótese, mas terá o acompanhamento clínico e a assistência, desde a construção, a manutenção da peça, até a adaptação”, esclareceu a coordenadora.

O professor Valter Santana, assessor da Reitoria da UFS, deixou clara a disposição da entidade para construir com a SES o projeto que culminará com o funcionamento do CER IV. Esses encontros são importantes porque nos dá a oportunidade de conhecer as fragilidades e saber em quais ações nós podemos agregar. As possibilidades existem, e com essa discussão integrada vamos desenvolver um trabalho muito positivo, opinou.

A secretária de Estado da Saúde, Conceição Mendonça, que esteve presente na abertura dos trabalhos, pediu celeridade ao grupo e disse estar à disposição para ajudar no desenvolvimento das ações. “O CER IV é prioridade para nós e um compromisso com a população. Especialmente nesse período que precede o aumento dos casos de microcefalia, ter um espaço como este será essencial para oferecer qualidade de vida às nossas crianças”, finalizou.

CER IV

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Sergipe receberá mais de 64 mil vacinas contra Covid-19
Prefeitura em Ação é realizado no Povoado Mata do Peru
Jovem é presa suspeita de tráfico de drogas no bairro Olaria
VacinAju: confira a programação da repescagem e dose de reforço do fim de semana