Aracaju, 21 de janeiro de 2022

Governador visita nova unidade de tratamento e de compressão de gás (Foto: Marcelle Cristinne)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Acompanhado gerente-geral da Petrobras em Sergipe e Alagoas, Nilo Duarte, Jackson conheceu novos investimentos da empresa em Sergipe

O governador Jackson Barreto visitou na manhã desta quarta-feira, 04, o campo de Carmópolis da Petrobras de produção de petróleo e gás, o maior em terra encontrado e que já produziu 1,7 bilhão de barris. Embora o campo produtor onshore (em terra) tenha sido descoberto em 1963, permanece sendo importante, chegando a produzir 14.400 barris/dia e 210.000 m³/dia. Além de obter informações sobre a produção em Sergipe, o governador também conheceu a construção da nova unidade de tratamento e de compressão de gás.

Guiado pelo gerente-geral em Sergipe e Alagoas, Nilo Duarte, pela gerente de Ativo de Produção Sergipe Terra, Selma Fontes, e por funcionários da empresa, Jackson Barreto visitou as instalações, conversou com os trabalhadores e afirmou que a implantação de novas plantas de gás fortalece não só a economia, como traz investimentos e atrai novas empresas.

“Apesar de nossa preocupação com a atração dos investimentos e de saber as dificuldades da Petrobras, acreditamos que a empresa continuará a crescer, e temos a esperança que os investimentos passem para as operações de produção de petróleo em águas profundas, pois sabemos da quantidade e qualidade do petróleo descoberto nessa área. O importante para nós é que a Petrobras não pare, pois isso significa muito para o desenvolvimento do estado e país, garantia de emprego para nosso povo e continuidade dessa trajetória de sucesso e de afirmação nacional”, relatou o governador.

Jackson Barreto ainda declarou que sente orgulho da Petrobras e que a empresa faz parte do crescimento dos brasileiros. “Minha visita ao campo é de apreço, apoio e amor que todos temos a Petrobras, que é o sinônimo da independência nacional. É uma empresa que nos orgulha, apesar da crise, e que a gente vê em cada trabalhador a capacidade do homem brasileiro em estar aliado com novas tecnologias, inovando na estação de petróleo em águas profundas, e também aqui em Carmópolis através da nova unidade de gás. Isso fortalece todo um projeto que está sendo desenvolvido em nosso estado, com a implantação de uma termoelétrica, e ficamos satisfeitos”.

Para o gerente-geral em Sergipe e Alagoas, a visita do governador serve como inspiração para os trabalhadores. “Sentimos-nos mais que reconhecidos e comprometidos em fazer um trabalho seguro, de qualidade, rentável e de continuar contribuindo para o estado, fazendo obras da Petrobras viáveis em Sergipe e permanecendo com essa história bonita e em Carmópolis, onde praticamente começou a indústria do petróleo no Brasil”.

Sobre a construção do novo polo de gás, Nilo Duarte explicou que são cerca de 300 trabalhadores implantando a unidade de tratamento, que aumenta a capacidade de instalação e ampliação da coleta de gás de Carmópolis, proporcionando, ainda, crescimento da capacidade compressão para que, além de tratado, o gás seja bombeado sem contaminantes.

“Diria que é uma obra que traz o estado da arte em termos de instalação de gás. É uma obra limpa, que faz com que a gente aproveite o recurso e o trate de maneira que não haja impurezas, e aproveite o gás para utilização como fonte de energia e outros insumos aqui em Sergipe”, acrescentou Nilo.

Fábrica de cimentos

Após reunião realizada no dia 18 de abril, na qual o governador Jackson Barreto cobrou uma solução para que a Companhia Industrial de Cimento Apodi pudesse se instalar em Santo Amaro das Brotas, na mesma região onde a Petrobras explora petróleo, o gerente-geral Nilo Duarte informou que se reuniu com a gerência executiva da fábrica de cimento, e que se buscou uma forma de resolver o impasse.

“O empreendimento da Apodi busca desenvolver atividade em área que atualmente é concessão da Petrobras, que vai atuar, naturalmente, de maneira colaborativa, buscando viabilizar uma solução segura que permita a implantação desse projeto. É um trabalho bastante longo, mas recentemente tivemos uma reunião, em que definimos os próximos passos, para que, em comum acordo, possamos não só colocar em prática o plano de trabalho, mas uma solução segura que permita a implantação da fábrica”, explanou Duarte.

O gerente-geral em Sergipe e Alagoas explicou que todo o trabalho de campo vai ser feito pela Apodi, e o de software e simulação pela Petrobras. O licenciamento, que seria uma dificuldade com relação à implantação do projeto, pode ser efetuado pela fábrica de cimentos, segundo analisa Nilo.

Principal grupo econômico do Nordeste, o grupo empresarial M. Dias Branco instalará uma unidade de produção de cimento em Sergipe, por meio da subsidiária cimento Apodi, no município de Santo Amaro. O investimento será de R$ 1 bilhão e pode gerar 2 mil empregos durante a obra e 500 na sua operação.

Ascom ASN

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

O crescimento dos startups e o futuro desse mercado
Acusado de ser um dos principais traficantes de drogas do bairro América morre após troca de tiros com policiais
Diretoria regional da OAB/SE toma posse no município de Estância
Em Aracaju, 56% dos idosos internados por covid estão com dose de reforço atrasada