Aracaju, 28 de setembro de 2021

ENCONTRO CELEBRA 18 ANOS DE EDUCAÇÃO NA REFORMA AGRÁRIA

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Um momento para comemorar conquistas, ouvir relatos dos beneficiários, reafirmar compromissos dos que lutam pela educação no campo e indicar sugestões para continuidade do Programa, assim foi o encontro que marcou a celebração estadual dos 18 anos do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera). O evento foi realizado esta quinta-feira, 5 de maio, no auditório da Superintendência em Sergipe do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e contou com a participação de alunos do programa, além de representantes das instituições parceiras e deputados.

O Pronera é uma política pública de educação para assentados da reforma agrária que nasceu a partir da luta dos trabalhadores do campo organizados em movimentos, principalmente o Movimento Sem Terra (MST), reivindicando terra e direitos sociais, que surgiu na década de noventa em meio ao contexto de diversos conflitos pela terra e altos índices de analfabetismo no meio rural.

O secretário de estado da Agricultura, Esmeraldo Leal, que no ato representou o governador Jackson Barreto, recordou com emoção sua participação enquanto militante do MST nos momentos iniciais de construção de uma proposta de educação para os camponeses assentados de reforma agrária e acampados. “O estado de Sergipe tem um peso importante na história da criação do Pronera.  Já na década de noventa, tínhamos um movimento forte de militância na educação do campo com a contribuição da UFS, e enviamos um número significativo de representantes para o  I Encontro Nacional das Educadoras e Educadores da Reforma Agrária – Enera, que aconteceu em Brasília”, disse.

“Hoje não realizamos apenas um ato de comemoração, mas também um ato de resistência parque o Pronera nasceu da luta dos trabalhadores e terá vida longa. Um abraço e parabéns a todos os que ajudaram a construir essa história”, acrescentou Esmeraldo.

Avanços

Segundo dados do Incra, o Pronera tem possibilitado o acesso à educação formal aos assentados da Reforma Agrária, promovendo superação dos altos índices de analfabetismo e a elevação da escolaridade, utilizando metodologia de ensino contextualizado à realidade do campo e o desenvolvimento de Projetos de Assentamento.

Wesley Menezes, superintendente substituto do Incra em Sergipe disse que, no estado, o Pronera já beneficiou diretamente 909 agricultores assentados e seus filhos, oferecendo ensino de educação básica (alfabetização, ensino fundamental e médio), técnico profissionalizante e cursos superiores e de especialização.

“Para a formação superior, o programa já ofereceu, em parceria com a UFS, cursos de Pedagogia da Terra e Engenharia Agronômica, que somados, asseguraram a graduação de 97 jovens, além do curso de Residência Agrária, para profissionais já formados e que atuam nos assentamentos sergipanos. Hoje, o programa desenvolve, por meio do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS), um curso tecnólogo em Agroecologia, com 50 alunos matriculados” relata Wesley.

Ele também conta que o Pronera  possui um novo curso já aprovado para Sergipe. Destinado à formação de técnicos em Saúde Bucal, o curso, que deverá entrar em funcionamento nos próximos meses, será desenvolvido por meio de uma parceria com o IFS e Governo de Sergipe.

Representando a coordenação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Gislane Reis, destacou que o programa contribuiu para a qualificação profissional de assentados da reforma agrária e que o aniversário é a simbologia da continuidade da conquista da classe trabalhadora.

“Um exemplo da qualificação profissional é a assistência técnica em Sergipe, onde a maioria de seus membros foi formada no curso de agronomia pelo Pronera. São alunos que vieram do campo e hoje estão fazendo assistência técnica de qualidade nos assentados de reforma agrária”, diz Gislane.

Ela relatou que, como assentada, filha e neta de assentados, graças ao Pronera teve a oportunidade de ingressar no curso de Licenciatura em História pela Universidade da Paraíba e, recentemente, fez especialização em Residência Agrária em Sergipe. “Agradeço também à luta do MST. Se o movimento não tivesse lutado por esta pauta, não teríamos formado tantos jovens de reforma agrária no campo”, acrescenta.

Aos 60 anos, o pedagogo Gilberto Aristides dos Santos relatou sua experiência durante o encontro. “Fui alfabetizado com quase 40 anos, depois fiz magistério pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Pedagogia da Terra, pela (Universidade) Federal de Sergipe (UFS) e pós graduação em Economia Política pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). O Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) mudou tudo na minha vida”, contou.

A Pedagogia

Maria do Carmo Oliveira da coordenação do Curso de Agroecologia do IFS do município de São Cristóvão falou do diferencial pedagógico do programa. Segundo ela, “o Pronera procura aliar a pedagogia da alternância com a pedagogia da terra, ou seja, é permitir que o educando estude um tempo específico fora de seu período de plantio e colheita, que chamamos de tempo escola, e volte para sua localidade, que chamamos de tempo comunidade para qualificar seu conhecimento. Isso aliado com a pedagogia da terra trazendo os elementos da luta  da mística, da cultura, da solidariedade do trabalho”, disse Maria.

Participaram da mesa de abertura o superintendente do Incra, Wesley  Menezes, o representante da diretoria nacional do Pronera, Fabrício Souza, o secretário de estado da Agricultura, Esmeraldo Leal, a deputada Ana Lúcia, o ex-superintendente do Incra Antônio Fontenele, que representou o deputado João Daniel, a representante do IFS,  Maria Inêz, e a representante da direção nacional do MST, Gislene Reis.

Por: Ednilson Barbosa Santos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Polícia já tem suspeito do roubo das joias de Ana Alves, que inclui anel do seu pai, e já vai ouví-lo
Seduc convoca 57 educadores profissionais aprovados em seleção para cursos técnicos
Sergipe recebe mais de 67 mil vacinas para aplicação em primeira e segunda doses
Luciano Bispo diz que PDES revela potencialidades para investimentos