Aracaju, 28 de setembro de 2021

Finanças do Estado e Valorização dos Servidores é tema de Seminário (Foto: ascom)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

por: Iracema Corso

Das 8h30 ao meio dia desta sexta-feira, 13/05, a Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) realiza em seu auditório o Seminário Finanças Públicas do Estado e Valorização dos Servidores que terá como palestrantes Luís Moura (Técnico do DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos em Sergipe) e Roberto Silva (Diretor de Formação Sindical da CUT e dirigente do SINTESE). A atividade é aberta para todos os sindicatos de servidores públicos estaduais.

Tomando como base o estudo sobre os relatórios da Receita Corrente Líquida e de Execução Orçamentária do Governo do Estado, os palestrantes vão apresentar às lideranças sindicais as incongruências e inconsistências encontradas, principalmente no que se refere aos gastos com pessoal. Na última semana de abril, Luís Moura e Roberto Silva entregaram esta análise sobre relatórios da Receita do Estado e apontaram os problemas encontrados ao membro da Defensoria Pública Geral de Sergipe solicitando que o defensor consulte a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) sobre o tema.

O Estudo aponta que o Governo do Estado não contabiliza todas as receitas, isso faz com que o percentual de gastos com pessoal (de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal) sempre ultrapasse o limite prudencial. O assunto é de extrema importância para todos os sindicatos de servidores públicos estaduais, pois o argumento do limite prudencial é usado para impedir o reajuste salarial dos servidores públicos estaduais e barrar a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV). O mesmo discurso foi usado pelo Governo do Estado para não pagar o Piso Nacional do Magistério aos professores de Sergipe, assim a categoria não teve qualquer reajuste nos anos de 2012, 2015 e 2016.

Dirigente do SINTESE e diretor da CUT/SE, Roberto Silva explicou que os questionamentos sobre a receita do Estado de Sergipe são baseados no Manual da Secretaria do Tesouro Nacional, o documento que baliza a forma dos entes federados confeccionarem seus relatórios fiscais e prestarem contas das receitas e despesas. “Percebemos a necessidade de uma auditoria nas contas do Estado. Pelos relatórios fiscais do governo do estado há recurso, então o movimento sindical precisa se somar nesta luta”.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Samuel decidirá adiar casamento com Zayla em ‘Nos Tempos do Imperador’
Juliette recebe Pabllo Vittar no ‘TVZ’: ‘Fico hipnotizada quando olho pra ela!’
Larissa Manoela sai do mar de maiô cavado e ganha curtida de affair
Aos prantos, Luisa Mell relembra violência médica: “Não quero viver assim”