Aracaju, 22 de setembro de 2021

Servidores realizam 1ª manifestação após suspensão greve (Foto: ascom)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Os servidores do estado participaram nesta quinta, 12, do primeiro ato público após a suspensão da greve. A manifestação, realizada em frente à Secretaria de Estado da Educação (Seed) e em prol da valorização do serviço público e de melhores condições de trabalho, faz parte do calendário de mobilização da categoria, que permanece em vigília pela implementação integral do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos da Administração Geral (PCCV/AG) até o fim de maio.

“Esta manifestação representa a continuidade da mobilização dos servidores, mesmo após o retorno aos postos de trabalho. O governo deve estar ciente que não estamos esquecidos do prazo estabelecido (até o atual mês) para implantar, de fato, o Plano, como foi divulgado pelo próprio governador”, afirma o presidente do SINTRASE, Diego Araújo.

O presidente aponta que a categoria pede o pagamento do PCCV com reajuste em 24,31% (referente ao índice inflacionário) para garantir o ganho que o servidor teria em 2014, ano em que o Plano foi aprovado. “O salário mínimo naquele ano era de um pouco mais de 700 reais e o salário inicial na tabela do PCCV, 900. Hoje, com o mínimo em 880 reais, o servidor exige o reajuste neste percentual, que equivale ao ganho real desde a aprovação do Plano”, declarou.

No ato, representantes do sindicato e servidores também repudiaram a nota enviada pela Seed à imprensa, que culpa a greve pela falta de merenda escolar. “Não é novidade que há falta de alimentos e de produtos simples para preparo da merenda, ou seja, de condições de trabalho dignas nas escolas da rede pública estadual. É muito fácil culpar quem paralisa em protesto e não a sua própria má gestão, como faz o secretário estadual da Educação, Jorge Carvalho, que tenta colocar a sociedade contra a greve dos servidores; greve esta que não foi, em nenhum momento, decretada ilegal. Mas o secretário não consegue, porque quem convive nestes ambientes ou tem filho matriculado nas escolas da rede sabe que a merenda não é de qualidade e que a ausência de alimentos básicos para o preparo é frequente”, destacou Diego.

A próxima manifestação dos servidores está agendada para a quinta, 19, dia que antecede a reunião marcada com o governador Jackson Barreto (20). Neste encontro, o governo deve apontar definitivamente a implementação do PCCV.  “Se não houver uma definição concreta para implantação do Plano nesta reunião, uma nova assembleia com a categoria será chamada para redefinir as negociações”, finalizou o presidente.

Detalhes sobre o ato do dia 19 serão divulgados em breve.

Fonte: ascom Sintrase

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Internação de idosos por covid reforça importância do reforço
Goretti detalha visita a CG que sediará Conferência da Unale
Dois homens acusados de balear o delegado Marcelo Hercos são presos em Aracaju
Aracaju inicia imunização da população de 15 anos e vacina mais 11.065 pessoas