Aracaju, 19 de janeiro de 2022

FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DA MULHER FAZ PEDIDOS À SSP

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Frente Parlamentar em Defesa da Mulher, que tem como presidente a deputada estadual Goretti Reis (PMDB), e é composta pelos deputados, Maria Mendonça (PP), Garibalde Mendonça (PMDB), Georgeo Passos (PTC), Gilson Andrade (PTC), Padre Unaldo (PC do B) e Samuel Barreto (PSL), representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SE), das enfermeiras forenses, do Núcleo de Análises e Pesquisas em Políticas de Segurança e Cidadania (Naspec), foram recebidos, na manhã dessa terça-feira (17), pelo secretário da Segurança Pública do Estado João Batista que estava acompanhado pela delegada da Mulher Mariana Diniz e o comandante da Polícia Militar Cel. Marcone Cabral.

A visita, segundo a deputada Goretti Reis, teve o objetivo de apresentar, ao secretário, o resultado das primeiras ações realizadas pela Frente buscando melhorar o atendimento as mulheres vítimas da violência nas delegacias em todos os municípios de Sergipe. “A proposta que apresentamos é para regionalizar as delegacias com a possibilidade de plantões nos fins de semana, com pelo menos uma delegacia aberta, e, de preferencia com mulheres”, explicou Goretti.

João Batista explicou que diante da crise que o Estado enfrenta não é possível criar equipes só de mulheres para atender, por falta de pessoal e que neste momento, a realização de concurso público, é inviável. “Como sugestão e com o apoio do Governador Jackson Barreto poderemos melhorar a absorção de agentes escrivães, que serão capacitados para o atendimento às mulheres que sofrem algum tipo de violência”, ressaltou informando que uma das reivindicações da Frente já foi atendida, a contratação de mais 10 médicos legistas e um odonto legista, somando, 20 médicos legistas e dois odontos legistas.

Outra reivindicação apresentada pelos parlamentares foi a unificação dos dados estatísticos de todos os setores e órgãos do estado que fazem atendimento a mulher. Segundo eles, não existe um banco de dados, apesar de todos os órgãos computarem as ocorrências e não compartilhar num só lugar. “Essa é outra falha que precisa ser corrigida, porque vai ajudaram na elaboração de projetos e proposta de como evitar a violência em determinado município ou região”, concluiu Goretti Reis, acrescentando, que a visita foi positiva diante do compromisso assumiu com a Frente Parlamentar em Defesa da Mulher.

Por Glice Rosa – Agência Alese de Notícias

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Aluna de Rosário recebe medalha nas Olimpíadas de Matemática
Covid: Aracaju inicia nova fase vacinação infantil e inclui crianças de 11 anos, sem comorbidades
Secretaria de Estado da Saúde lança o Selo Família Vacinada
Programa Sinal Vermelho reforça o combate à violência doméstica